Para Ler, Ver e Ouvir!

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Meus Discos #15 – CD “No Name Face” Lifehouse

É de conhecimento dos leitores e ouvintes assíduos do blog O Planeta Alternativo que Lifehouse é uma das minhas bandas favoritas, desde os tempos que eu acompanhava as aventuras do Superboy em Smallville, hein? Lifehouse embalou muito a trilha de vários episódios da série. Desde então a banda entrou na minha playlist e até os dias de hoje ouço diariamente a banda. Gostaria de analisar o primeiro disco lançado da banda lá em meados de 2000. Um disco único e poderoso, chamado ''No Name Face'', lançado em 30 de outubro de 2000 pela gravadora DreamWorks Records. 

Capa do álbum ''No Name Face''

O vocalista Jason Wade, de 20 anos (na época), formou a banda BLYSS em 1996 e passou por mudanças pessoais desde então para formular o que então foi conhecido como ''Lifehouse''. Com uma mistura de pop / rock / alternativa, os vocais maduros, profundos e ricos de Jason carregam algumas músicas muito boas.

Começamos com "Hanging By a Moment" uma música que claramente clama por Deus e expressa um amor permanente e desejo pela verdade ao mesmo tempo em que incentiva a enfrentar mundo incerto via auto-aceitação e retidão moral. Seguimos ao som de ''Sick Cycle Carousel'' uma música sobre o carrossel vicioso que sentimos como se estivéssemos quando cometemos os mesmos pecados repetidamente, é uma das minhas músicas favoritas. Temos ''Unknow'' que começa com riffs elétricos mais fortes para uma música sobre um homem que luta para abraçar a fé cega. ''Somebody Else's Song'' traz uma mensagem sobre pensamentos estranhos na sua cabeça que você não deseja, ao estilo de canções de outra banda que eu adoro como Sixpence none the Richer. ''Trying'' uma canção espetacular e que geralmente ouço, expressa admitir humildemente que ele não tem todas as respostas para as perguntas da vida, mas está comprometido em tentar. Vamos a ''Only One'' e ''Simon'', a primeira elogia uma relação amigável sólida, enquanto a segunda fala sobre hostilidade, uma balada de seis minutos em que Wade fala sobre alguém que foi abusado psicologicamente por seus colegas, é a música mais silenciosamente mais forte do disco, assim como outra canção presnte no álbum ''Quasimodo'' que simpatiza com pessoas que foram feridas ou abusadas. Já ''Cling And Clatter'' aborda angústia, procurando a voz em meio a tantas.

''Breathing'' é uma das mais amo da banda, uma canção especial e que merece ficar em modo repeat. Nela, Jason Wade traz a felicidade por "ficar sentado do lado de fora na porta do céu", o vocalista Jason Wade quer discernir a voz de Deus nessa canção. Outras músicas não identificam o Senhor pelo nome, mas têm um sabor distintamente espiritual. Certamente um álbum cheio de perguntas e dúvidas, mas que sempre resta uma apreciação pelas bênçãos que recebemos. Muito do que Wade canta poderia estar descrevendo nossa conexão com Deus ou nossa conexão com uma pessoa significativa importante em nossa vida.

Encerramos o disco dignamente com a épica ''Everything'', onde o cantor homenageia uma fonte de força e paz. É uma música que começa com leves toques e é cantada tão silenciosamente quanto uma oração, dirigindo-se a alguém que é tão vital à sua existência que eles desmoronariam sem eles. Se essa pessoa é Deus ou seu amor mais querido, não é revelado, mas está claro desde o início que essa entidade não pode ser encontrada em lugar algum e, como resultado, os primeiros quatro minutos da música fica a interpretação de cada um. Considero a canção bem espiritual, tanto é que ele foi executada muitas vezes nas igrejas. Em 2001, a canção tocou na parte final do episódio pilot de Smallville. Independentemente da origem espiritual da banda e de suas músicas, eles criaram um álbum de rock digno, positivo e liricamente benigno. Embora não afirme ter todas as respostas, esta banda acredita que elas existem e parecem estar procurando nos lugares certos. Com certeza!

O primeiro lançamento da banda alcançou o status de Top 40 nas paradas. Resumindo "No Name Face" é uma coleção agradável de doze músicas bem criadas e extremamente sinceras, e às vezes é tudo o que realmente precisamos de uma música. Lifehouse é frequentemente rotulado como uma banda de rock cristã, e até certo ponto eles são (a banda é franca sobre suas crenças religiosas.) Como sou cristão, isso obviamente não me incomoda, mas para não-cristãos esse rótulo pode afastar eles de apreciar alguma música da banda. A boa notícia, no entanto, é que Lifehouse pega as qualidades inspiradoras e afirmadoras da vida que são proeminentes no rock cristão e as apresenta de uma maneira que é universal. Enfim, é uma banda para todos. Ouça o disco disponível no Spotify:



SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Blog Layout Designed by pipdig