Para Ler, Ver e Ouvir!

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Filme #158 – Django Livre (Django Unchained, 2012)

Vida, liberdade e a busca da vingança.

Django é um escravo negro liberto que, sob a tutela de um caçador de recompensas alemão, torna-se um mercenário e parte para encontrar e libertar a sua esposa das garras de Monsieur Calvin Candie, charmoso e inescrupuloso proprietário da Candyland, casa no Mississippi onde escravas são negociadas como objetos sexuais e escravos são colocados pra lutar entre si.

Django Unchained, 2012

Aqui temos mais uma obra do Quentin Tarantino que dispensa apresentações. Figurinha carimbada dentre os maiores diretores da história, junto de ícones como Francis Ford Coppola, Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock, o norte-americano é dotado de um estilo único e de um perfeccionismo difícil de se igualar. 

O filme conta a história de Django (interpretado por Jamie Foxx), um escravo que é comprado pelo Doutor King Schultz (interpretado por Christoph Waltz), um caçador de recompensas. Como Django já havia rodado por inúmeras plantações no Sul dos Estados Unidos, o conhecimento da região adquirido pelo escravo era uma ferramenta essencial para Schultz. Além das informações, o escravo ainda se mostra extremamente impiedoso com a pistola em punho e dotado de uma habilidade natural para matar, e por isso sua parceria com Schultz torna-se ainda mais letal. Entretanto, assim como o mentor, Django também tem seus objetivos, e pretende fazer de tudo para alcançá-los. Assim que for liberto, o escravo pretende resgatar sua mulher, Broomhilda (interpretada por Kerry Washington), da fazenda de Calvin Candie (interpretado por Leonardo DiCaprio). E, eventualmente, surge uma oportunidade de vingança.

Mais um bom filme do Quentin Tarantino, cercado de violência e sangue! O clássico ame ou odeie, Tarantino é um gosto adquirido, não são todos os adeptos ao seu estilo de escrever roteiros com diálogos longe do politicamente correto e do seu gosto peculiar pelo derramamento de sangue. Particularmente eu gosto desse estilo dele, destoa de outras obras e gêneros que já estamos acostumados de ver por aí. Nesse filme, ele nos apresenta o gênero 'western' tendo como plano de fundo a escravidão no sul dos EUA antes da guerra civil. Com um humor negro peculiar, ele consegue abordar uma temática forte, sem ser exatamente o foco principal do filme, mas sim a vingança (como sempre retratada em seus filmes). Destaque também para a fotografia indicada ao Oscar, e o elenco forte que nos premia com ótimas atuações, com destaque para Christoph Waltz e Samuel L. Jackson, eterno parceiro de Tarantino desde os tempos de Pulp Fiction (também já comentado aqui no blog). Enfim, eu gostei e recomendo. Disponível na Netflix BR.
SHARE:

Um comentário

Blog Layout Designed by pipdig