Para Ler, Ver e Ouvir!

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Meus Discos #13 – CD “Divine Discontent” Sixpence None The Richer

Sixpence, é sem dúvida, uma das melhores bandas com integrantes cristãos (já que não podemos chamá-la de banda essencialmente cristã) dos últimos tempos! É ótimo podermos contar com a linda voz de Leigh Nash e a criatividade gigantesca de Matt Slocum, um verdadeiro gênio da composição na música pop. 

Para quem não conhece, quero contar mais um pouco sobre esta banda. O quarteto [na época] surgiu no ano de 1993. Desde então, lançaram 6 ótimos discos e algumas coletâneas próprias, além de ter participado de inúmeros projetos, além de ter diversas músicas incluídas em vários filmes [Ela é Demais com a música "Kiss Me", Mais Que o Acaso com o ator Ben Affleck e as músicas "Need To Be Next To You" e "Love", entre muitos outros...] e séries de televisão [Smallville, Felicity, entre outros...]. Todo este reconhecimento só veio em meados de 1999, dois anos após o lançamento do disco auto intitulado [anterior ao Divine Discontent], onde se encontraram verdadeiros hits como "Kiss Me" e "There She Goes", músicas que cativaram tanto o público cristão como secular, levando a banda às alturas do sucesso. 

Bom salientar que os discos da banda anteriores ao sucesso também são de extrema qualidade criativa e musical, criando sempre músicas de lindas melodias seguindo uma linha mais "clássica" do pop. 

No seu auge a banda contou com com 6 integrantes e foi considerada uma das maiores e melhores bandas pop daquela época [começo dos anos 2000]. 

“Divine Discontent” Sixpence None The Richer

De fato, o disco Divine Discontent foi produzido no ano de 2000, mas devido a uma série de problemas com a sua gravadora, a "Squint Entertainment", o álbum só pôde ser lançado em [2002], o que causou muita dor de cabeça para a banda... e algumas mudanças no produto final. 

A primeira música do disco é "Breath Your Name", primeiro single da banda para as rádios, que se tornou um verdadeiro sucesso. Com um olhar cristão, a canção fala sobre deixarmos a nossa vida à disposição daquilo que Deus quer fazer. Logo após você pode ouvir "Tonight", excelente também! É realmente simples, porém, muito linda, possuindo uma letra que pode adquirir diversos sentidos. O que abre para qualquer tipo de interpretação, ótimo, né?

"Down and Out of Time", cuja letra foi escrita pela própria Leigh Nash é outra linda música, mais calma que as anteriores. Slocum [que fez a música para esta letra] é um especialista em criar sequências não usuais sem soar experimental demais, como nesta música. 

Em seguida, você poderá ouvir um cover da música "Don't Dream It's Over", tocada originalmente pela banda "Crowded House" em 1987 [um dos maiores hits da banda], e que nas mãos do Sixpence, ganhou nova vida. Está é, inclusive, a música que faz parte da trilha sonora da série Smallville! "Walking On The Sun" foi escrita pelo produtor Ron Aniello e também pelo vocalista da banda Lifehouse, Jason Wade (sou fã desse cara). Se você gosta e já ouviu Lifehouse, você poderá notar algumas similaridades, como o ar 'southern' da música (que inclusive vez ou outra comento aqui no blog). 

"Still Burning" já é uma música mais no estilo Sixpence de ser. A interpretação que dei para esta música [é realmente difícil interpretar as músicas do Sixpence], foi que ela trata sobre a amizade, e que devemos estar disponíveis para ajudar uns aos outros. A seguir, você ouve "Melody Of You", uma música guiada basicamente por um violão dedilhado. Sua letra pode ser interpretada como dirigida a uma outra pessoa, mas ela foi originalmente escrita como uma música de adoração a Deus cheia de poesia e figuras de linguagem. É muito bom vermos quando a arte em si está sendo usada em nome de Deus, em toda a sua essência, e não somente baseada nos famosos jargões cristãos. 

"Paralyzed" é a música mais ''pesada'' do disco, meio revoltada, pois foi baseada no fato da morte de um jornalista durante a guerra de Kosovo em 1999. O assunto pode soar meio antigo para a nossa época, mas vale lembrar que em 2000 o disco já estava pronto, seu lançamento que foi exaustivamente adiado por causa dos problemas da gravadora. Para acalmar os ânimos, em seguida você pode ouvir "I've Been Waiting" que fala sobre frustrações em relacionamentos amorosos. Depois você ouve a segunda música escrita por Leigh "Eyes Wide Open". Uma música muito legal, mas que porém, não consegui entender nada da letra. Dizem que ela foi inspirada pelo medo que Leigh Nash tem de voar [olhando por este lado, a música se torna um tanto quanto trágica, mas mesmo assim, muito legal]. 

"Dizzy" é uma ótima descoberta do disco! Uma música guiada inicialmente pelo piano e uma pequena orquestra. Com seus seis minutos e meio de duração, ela é uma declaração de dependência de Deus. Ela é como uma oferta de vida, citando diversos heróis da história cristã, como Tomé, o rei Davi e Pedro. Todos erraram [e quem não erra? aí está o 'tchan' da música] mas eram filhos amados de Deus. Davi, foi chamado de "homem segundo o coração de Deus", Tomé se manteve como discípulo e apóstolo de Jesus Cristo, e a Pedro foi dada a responsabilidade de cuidar do povo de Deus na terra, da Sua igreja. Em seguida você ouve "Tension Is A Passing Note", uma das músicas preferidas de Leigh para este disco, por ser extremamente honesta, conforme ela mesma diz em uma entrevista dada ao site JesusFreakHideOut.com. No meu ponto de vista, ela traz uma certa brasilidade em sua melodia, tanto nos acordes como na forma como o violão é tocado. 

Para finalizar você acompanha "A Million Parachutes", uma balada muito gostosa e perfeita para amarrar este disco. Ela te insere em um ambiente, como se você estivesse em uma cabana, e lá fora estivesse chovendo o dia inteiro, falando sobre saudade e solidão. 

Enfim, um álbum espetacular do Sixpence, e você sabe... se é Sixpence, é ótimo, e vale a pena ouvir! 

Ouça!



SHARE:

Um comentário

Blog Layout Designed by pipdig