Para Ler, Ver e Ouvir!

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Filme #146 – O Livro de Eli (The Book of Eli, 2010)

Acredite 1:15:10

Num futuro não muito distante, cerca de 30 anos após o término da guerra, um homem solitário cruza a paisagem devastada da América do Norte. Cidades abandonadas, viadutos destruídos, crateras no solo — ao seu redor, as marcas da destruição catastrófica. Não há civilização aqui, nem lei. As estradas estão dominadas por gangues que matariam um homem pelos seus sapatos, por um copo d’água… ou simplesmente por nada. Mas eles nem se comparam a esse andarilho. Um guerreiro não por opção, mas por necessidade, Eli só quer viver em paz, porém, se desafiado, ele destroçará seus agressores antes que eles se deem conta do seu erro fatal.

O Livro de Eli (The Book of Eli, 2010)

Mais um filme que trata do apocalipse iminente, causado pelo próprio homem, pelas suas guerras e ambições desenfreadas e doentias, aonde no fim nos resta apenas um mundo sem cor, sem paisagem, apenas um mundo cinza, e caótico. Esse é o ambiente do filme, O Livro de Eli. Confesso que gosto muito de filmes apocalípticos, pois parece cada vez mais que a humanidade caminha para isso.

Com direção dos dos irmãos Allen e Albert Hughes, lançado em 2010. Na trama acompanhamos Eli (interpretado por Denzel Washington), uma homem que há 30 invernos caminha em direção ao Oeste carregando e protegendo um livro, este livro era seu companheiro de todos os tempos e era o combustível que ele precisava para seguir a viagem. O filme não entra em detalhes sobre o que aconteceu com a terra que está diante dos nossos olhos. O que vemos é um mundo pós-apocalíptico, destruído por uma guerra. Um mundo sem regras e sem lei. Eli viaja com o livro porque ouviu uma voz, que o orientou a rumar para onde o sol se põe. Eli é da paz, mas ai de quem se meter em seu caminho. E para gerar um pouco de boas cenas ação, alguns se metem. O vilão dessa história é Carnegie (interpretado por Gary Oldman), o chefe de um vilarejo bem interessante, que há tempos caça um livro, que segundo a sua crença, possui palavras poderosas, que podem torná-lo um grande líder e dominador. Bem, não é difícil imaginar que o livro que o bandido quer é o livro que o mocinho tem.

O Livro de Eli (The Book of Eli, 2010)

A perseverança de Eli em meio as dificuldades enfrentadas em sua jornada é o ponto alto do filme. Uma aventura que se pararmos para refletir pode nos deixar ensinamentos valiosos. Em nossas vidas, nem sempre encontraremos facilidades para alcançarmos nossas metas e se as encontrarmos, devemos refletir se este realmente é o caminho a ser seguido.

É um grande filme, que nos mostra que mesmo em tempos difíceis, temos que manter nossa fé, mesmo que não vejamos nada naquele instante.

Andamos pela fé, não pela visão, quer dizer que você tem certeza das coisas, mesmo não sabendo de nada! Não tem sentido, é a Fé, a Fé é a luz da escuridão que me dá força, para seguir em frente.

Esse é o ápice do filme, pois mostra que o sofrimento em alguns momentos é importante! Como homens, buscamos sempre levar vantagem porque somos imediatistas, momentâneos, mas aquele que vive por fé sabe da recompensa que terá por seu sofrimento. Os problemas para o homem que vive na fé verdadeira é uma preparação para a sua grande recompensa futura.

Em um mundo pós-apocalíptico, onde não há legislação e a ignorância é geral, as pessoas não irão temer nada, sua busca pela sobrevivência as fará roubar, matar… pois elas não tem referência daquilo que é virtuoso. Então chega Eli, um homem que conhece a verdade na qual é revelada em um livro, a Bíblia Sagrada, e baseado nesse livro, ele aprende sobre o amor ao próximo, a gratidão a Deus e principalmente que aquele livro não deixará o mal prevalecer e que Deus controla soberanamente o mundo conforme a Sua vontade e que no momento certo a vitória chegará para o justo. Recomendo!
SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Blog Layout Designed by pipdig