Para Ler, Ver e Ouvir!

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Filme #138 – Em Nome de Deus (The Magdalene Sisters, 2002)

A triunfante história de três mulheres que encontraram coragem para desafiar um século de injustiça.

Baseado em uma história real, essa é a história de três jovens mulheres que são mandadas para um convento por seus familiares, para "pagar por seus pecados". Essa punição é por tempo indeterminado, o que significa uma vida de trabalhos forçados na lavanderia do asilo católico. Conhecidas como "As Irmãs Magdalena", elas são humilhadas e castigadas fisicamente pelas madres, que não toleram desobediência.

Nora-Jane Noone interpreta Bernardette

Com direção de Peter Mullan e lançado em 2002, o filme The Magdalene Sisters (Em Nome de Deus, no Brasil). O cenário é a Irlanda, década de 60. A trama começando nos apresentando Margaret (interpretada por Anne-Marie Duff), que acaba sendo estuprada num casamento por seu primo; Então somos apresentados a Bernardette (interpretada por Nora-Jane Noone), que só por ser muito bonita representa um perigo para os homens da vizinhança; Depois conhecemos Rose/Patricia (interpretada por Dorothy Duffy), que está no hospital com o filho que acabou de dar a luz, sendo reprovada pelo seus pais. Todas elas são mandadas para um convento por seus familiares, com o intento de "limpar seus pecados". No convento, ainda conhecemos a história de Crispina (interpretada por Eileen Walsh), que assim como Rose é uma mãe solteira. O filme é inspirado nas instituições chamadas de Asilos de Madalena.

O título original The Magdalene Sisters poderia ter sido traduzido literalmente como “As Irmãs de Maria Madalena” como foi a tradução do título para Portugal. Há aqui uma referência direta à figura bíblica de Maria Madalena, a prostituta que teria lavado os pés de Jesus Cristo e conseguiu se redimir, pagar pelos seus pecados na terra e entrar no reino do céu. No caso, Magdalene foi o nome dado aos asilos-reformatórios (no original, Magdalene asylums) que recebiam moças desviadas e marginalizadas socialmente. Esses asilos, chamados de lares Madalena, na Irlanda, eram de responsabilidade das Irmãs da Misericórdia, em nome da Igreja Católica. Trinta mil mulheres passaram por esses reformatórios. Muitas viveram e morreram esquecidas pelos seus familiares e pela sociedade nesses Lares. O último asilo de Madalena, em Waterford, encerrou suas atividades em 25 de setembro de 1996.

Em Nome de Deus (The Magdalene Sisters, 2002)

O filme mostra alguns dos horrores praticados nesses asilos irlandeses para jovens mulheres que fossem apanhadas em qualquer tipo de atividade sexual fora do casamento. Mostrando, também, a mentalidade do povo irlandês na época, e quão hipócrita era a sociedade. O filme soa como um protesto contra as atrocidades cometidas entre os padres e freiras para com os seus devotos. Pecados são cometidos entre os fieis e todos tem de agir como se nada acontecesse, permanecer calados. Toda a calmaria que esse lugar mostra, não passa de mera ilusão, por dentro todos guardam suas angustias e pecados. "Como acatar a ordem de alguém, que comete coisas piores que você?!" é um dos questionamentos do longa. Freiras maltratam as devotas, padres abusam de fieis esquizofrênicos e tantas outras coisas são mostradas no filme. 

Confesso que comecei o filme sem muita expectativa, porém no decorrer do filme fui me interessando mais ainda por aquelas jovens e destino que elas poderiam ter. Representa um retrato vivo (de parte) da sujeira que o catolicismo trouxe à sociedade. A fotografia é interessante em alguns momentos, mas o foco do filme é no drama psicológico e não na poética da imagem. Recomendo!
SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Blog Layout Designed by pipdig