Para Ler, Ver e Ouvir!

sexta-feira, 12 de julho de 2019

O rock’n’roll no final do arco-íris

O filme O Mágico de Oz (1939) e o disco The Dark Side of the Moon (1973), do Pink Floyd, a princípio parecem não ter nenhuma relação. Durante os anos 90, porém, começou um boato de que o álbum teria sido inspirado no filme, pois, quando reproduzidos juntos, os dois parecem se encaixar perfeitamente. O fenômeno ficou tão conhecido que ganhou nome próprio, “The Dark Side of the Rainbow”.

O longa conta a história de Dorothy (interpretada por Judy Garland), uma garotinha do interior do Kansas que é levada por um tornado para a mágica Terra de Oz. Para sair de lá, ela embarca em uma jornada pela estrada de tijolos amarelos e conhece no caminho o Espantalho (interpretado por Ray Bolger), o Homem de Lata (interpretado por Jack Haley) e o Leão (interpretado por Bert Lahr), que passam a acompanhá-la no trajeto até a Cidade das Esmeraldas onde vive o Mágico. Foi neste musical que a canção Over the rainbow estreou e ganhou o Oscar de Melhor Música Original. A trilha sonora alternativa não fica atrás: “The Dark Side of the Moon” é um dos álbuns de rock’n’roll mais famosos e vendidos da história, e parece ter sido feito sob medida para o filme. Mesmo que as letras da banda falem sobre temas distantes daqueles abordados no filme, como a cobiça do ser humano e a saúde mental, a melodia e até mesmo algumas frases realmente se encaixam às cenas.

Para testar a experiência em casa, basta colocar o disco para tocar logo após o terceiro rugido do leão da MGM (Metro-Goldwyn-Mayer), ou procurar no YouTube um dos vídeos que unem a imagem e o áudio.

O rock’n’roll no final do arco-íris

Em vários momentos as sincronias ocorrem, e as transições de uma música para outra parecem marcar perfeitamente as trocas de cenário e o clima das cenas. Um dos melhores momentos é quando o tornado chega à casa de Dorothy e a música agitada e com gritos que soa durante a confusão muda para um tom mais calmo no exato momento em que a garota desmaia. Quando o filme muda de preto e branco para colorido, marcando a transição do Kansas para a Terra de Oz, o animado início de “Money” (primeira faixa do lado B) começa a tocar, e os munchkins que a garota encontra ao aterrissar parecem estar dançando no ritmo da música.

Alguns pontos do filme parecem se encaixar com as letras do álbum também. Enquanto a Bruxa Boa do Norte explica que existem duas bruxas do mal, a do Oeste e a do Leste a música “Us and Them” canta “who knows which is which and who is who?” e quando o espantalho começa seu número musical sobre não possuir um cérebro, “Brain Damage” começa com o verso “the lunatic is on the grass”. É impressionante a sincronia no momento em que o Homem de Lata conta que não possui coração e Dorothy se inclina com o ouvido em seu peito enquanto de fundo soam os batimentos cardíacos do final de “Eclipse”.

O albúm tem por volta de 50 minutos e acaba um pouco antes de Dorothy encontrar o Leão. Mesmo que alguns falem para reiniciar o disco, as sincronias param de aparecer tão evidentemente. Os membros do Pink Floyd já foram muito questionados sobre o assunto e sempre afirmam que o fenômeno não passa de uma grande coincidência, contradizendo os mais conspiracionistas que afirmam que a banda se inspirou no filme para gravar.

Sendo proposital ou não, “The Dark Side of the Moon” sem dúvida daria uma boa trilha sonora para a jornada de Dorothy. E assistir ao filme desta maneira mostra como nossas emoções são influenciadas pela música de fundo, que geralmente acaba ditando as expectativas que temos sobre a cena. Talvez o filme e o álbum combinem tão bem por conta disso, as músicas mais agitadas se encaixam com os momentos de maior movimento e as músicas mais tranquilas com os momentos calmos.

Ouça o álbum “The Dark Side of the Rainbow” no Spotify!


Créditos:
Por Fernanda Pinotti
fsilvapinotti@usp.br

SHARE:

Um comentário

  1. Interessante apresentar isso, Walter. Não tinha conhecimento dessas curiosidades. Sou amante de estórias de contos de fada.
    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Blog Layout Designed by pipdig