Para Ler, Ver e Ouvir!

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Filme #120 – Com as Próprias Mãos (Walking Tall, 2004)

Quando um membro formal da Força Especial da Marinha dos EUA volta à sua cidade natal na zona rural de Washington com o desejo de trabalhar lá, descobre que muitas coisas mudaram: a tranquila e silenciosa cidade de antes foi invadida pela corrupção e pelo crime, agora cheia de drogas e ataques violentos, além do constante sentimento de terror e maldade. Muitos culpam o cassino onde agora trabalha como bailarina sua ex-namorada. Buscando vingança, com integridade em seu coração, o soldado altamente treinado, agora xerife do condado, e seu adjunto, percebem que é hora de cortar algumas cabeças para devolver à sua gente o lugar que merecem para viver em tranquilidade.

Protagonizado por Dwayne ‘The Rock’ Johnson, 'Com as Próprias Mãos' foi um dos filmes que mais assisti na vida (hahahaha), meu irmão curtia muito e eu acabava assistindo junto. Se eu fizesse uma lista de filmes que assisti inumeras vezes com certeza esse aqui estaria na lista.

Com as Próprias Mãos (Walking Tall, 2004)


Com direção de Kevin Bray e lançado em 2004, 'Com as Próprias Mãos (Walking Tall, no original) é uma modesta refilmagem de uma produção de 1973 baseado na história real do xerife Buford Pusser que numa pequena cidade do interior dos Estados Unidos, entre 1964 e 1970 conseguira impor a lei a ordem ficando famoso ao utilizar um bastão de madeira com o qual batia em criminosos quando os confrontava.

Apesar da inspiração e homenagem ao xerife Pusser, o personagem de Johnson tem o nome alterado para Chris Vaughn, um jovem militar veterano que acaba de deixar o exército para voltar a viver em sua pequena cidade natal ao lado de sua família e amigos de infância. Além de voltar a viver com seus pais, Chris quer trabalhar como marceneiro, seu antigo ofício antes de servir as forças armadas. Ao reencontrar sua família e e velhos amigos, Chris sente-se verdadeiramente de volta ao lar.

Entretanto a paz e a calmaria que ele volta a encontrar em sua pequena cidade não vão durar muito, pois em pouco tempo ele descobre que Jay Hamilton (interpretado por Neal McDonough), um dos amigos ou colega de infância, comanda negócios ilícitos em um cassino local do qual é proprietário. Ao participar de uma jogada no cassino, Chris descobre existe fraude nos jogos, arranja uma briga com os seguranças do local e é expulso e espancado quase até a morte. Felizmente Chris sobrevive e após sair do hospital, resolve entrar na justiça contra Hamilton que apesar de tentar, não consegue suborná-lo à não fazer isso.

A partir da pequena sinopse do parágrafo àcima não é dificil deduzir que logo mais adiante haverá um jogo de perseguição entre ambos, pois Chris Vaughn fará de tudo para descobrir todas as atividades ilícitas que Hamilton comanda na cidade, sendo que após vencer causa no tribunal, candidatou-se à xerife e venceu tal eleição, o que infelizmente não é mostrado na narrativa e isso é uma pena, mesmo para um filme de ação feito para divertir.

Como mencionado, a história do filme foi baseada na vida do xerife do Tennessee Buford Pusser. Esse fato já tinha chegado aos cinemas em 1973. A primeira versão chamou-se Fibra de valente (Walking Tall) e foi estrelada por Joe Don Baker. O sucesso foi tão grande, que gerou duas seqüências: Fibra de valente II (1975) e Fibra de valente: o capítulo final (1977). Em ambas as continuações o ator Bob Svenson interpretou o famoso xerife. Buford Pusser era um típico branco morador de uma cidade do sul dos Estados Unidos. Essa região americana sofre até hoje pelo racismo e maioria dos seus habitantes possuem armas e costumam ser muito agressivas. Buford conseguiu eleger-se xerife e sua notoriedade veio do uso de um cedro em forma de bastão para manter a lei na cidade. Parece inusitado, mas era a forma sulista de combater a violência que imperava.

Com as Próprias Mãos (Walking Tall, 2004)

Uma cena memorável de Walking Tall é quando Chris invade o cassino furioso e derruba um a um todos os seguranças, além de fazer um belo estrago no local. O confronto final de Chris com Jay Hamilton  é também um dos pontos altos da aventura, pois os atores conseguiram fazer uma das melhores cenas de luta que já vi - afinal, o cinema de ação moderno já está muito impregnado de efeitos digitais, algo que não se vê nessa produção que por sinal cuja ação foi filmada em estilo "old school", ou seja, de modo mais bruto, como nos velhos tempos.

Um atrativo a mais além da ótima ação são boas as tiradas de humor por conta da presença de Johnny Knoxville (de JackAss) no papel de Ray Templeton um dos amigos de infância de Chris e que se torna seu assistente no combate ao crime, o alivio cômico do filme. Walking Tall é uma expressão em inglês que traduzida literalmente significa "caminhando alto", e em português é equivalente à "andar de cabeça erguida" - algo que define muito bem pessoas corajosas e determinadas e nessa aventura The Rock se revelou um xerife mais que eficiente pavimentando sua carreira ao estrelato em que vive agora. Recomendo!
SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Blog Layout Designed by pipdig