Para Ler, Ver e Ouvir!

quinta-feira, 25 de julho de 2019

Filme #111 – Convenção das Bruxas (The Witches, 1990)

Para salvar o mundo, um menino enfrentará as feiticeiras mais poderosas

Após ficar órfão, o pequeno Luke se muda para a Inglaterra com sua avó. No hotel onde fica, Luke descobre uma convenção, com bruxas de verdade que planejam transformar todas as crianças do mundo em ratos. Uma aventura para toda a família baseada no livro de Roald Dahl e dirigida por Nicolas Roeg.

Esse filme esteve muito presente na minha infância e por isso merece um post só dele aqui. No filme conhecemos o jovem Luke (interpretado por Jasen Fisher), que após perder os pais em um acidente de carro, vai morar com a avó Helga (interpretada por Mai Zetterling). Entre as histórias que ela conta para o neto, a temática das bruxas está sempre presente, o que faz com que Luke saiba reconhecer os sinas que diferenciam uma bruxa de uma mulher normal. 

Mai Zetterling e Jansen Fisher em ''Convenção das Bruxas''

Entre as histórias contadas, ela relembra a história de sua amiga de infância, chamada Erica, que desapareceu misteriosamente. No entanto no filme mostra Erica sendo capturada por uma bruxa e presa em um quadro para sempre. Entre isso, ela específica as características de uma bruxa, que todas são geralmente carecas e usam perucas, o que as incomoda bastante e faz coçar muito. Elas também tem mãos muito grandes e feias que escondem com luvas e seu pés! Tem os pés mais feios, com pontas quadradas nos lugares de dedos. Helga ainda diz que elas tem o olfato bastante apurado e que cheiro de criança para elas é como cheiro de cachorro, um odor que incomoda bastante. A avó o alerta que ele deve ter muito cuidado com a Bruxa-mor, a líder. Porque ela é a mais malvada de todas. Ela pede que ele lembre bem disso se quiser sobreviver caso encontre uma bruxa.

Pouco tempo depois, os pais de Luke morrem e ele tem que se mudar junto com sua avó para a Inglaterra. Em uma cena memorável, preciso citar aqui quando Luke está brincando em uma arvore. Lá Luke encontra uma mulher de luto que lhe oferece uma barra de chocolate, Luke fica horrorizado quando nota que os olhos da mulher são cor violeta, um outro traço marcante em bruxas. Ela tenta atraí-lo com uma cobra, mas Luke se recusa e começa a chamar por sua avó.

Depois de uma severa pneumonia, Helga é aconselhada pelo médico a passar uns tempos num hotel beira-mar para melhorar. Ela e Luke viajam para o Majestic Hotel, na cidade litorânea de Bournemouth. Neste mesmo hotel está rolando a Convenção Anual da Real Sociedade para a Prevenção da Crueldade com Crianças. O que Luke e Helga não sabem é que este evento é fachada para a Convenção Anual das Bruxas.

Depois de alguns capítulos engraçadíssimos que descrevem com detalhes minuto a minuto da convenção, o garoto Luke é pego pela Grã Bruxa e é transformado em rato por uma poção criada por ela. A “Fórmula 86 de ação retardada para fazer ratos” tem o intuito de transformar todas as crianças da Inglaterra em ratos. Para se vingar, o menino-que-agora-é-rato traça um plano de roubar uma das fórmulas e jogá-la na panela de sopa das bruxas.

Trata-se de um plano perfeito. Afinal, todas as bruxas vão se reunir na sala de jantar para comemorar o sucesso da convenção. A sopa de ervilha é a entrada do jantar. Mas, você provavelmente vai reparar que no filme a sopa é de agrião.

Foi nomeado em diversas categorias do “Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films”, “BAFTA Awards” entre outros, faturando mais de US$ 10 milhões. No site especializado “Rotten Tomatoes” atribuiu ao filme 100% de aprovação. 

Anjelica Huston em ''Convenção das Bruxas''
Baseado no livro “As Bruxas” de Roald Dahl, sendo lançado em 1983 e, na época, chegou a ser banido de diversas livrarias americanas. Isso porque a obra foi considerada sexista e que poderia influenciar os meninos a crescerem odiando as mulheres. Nada como o exagero do politicamente correto para tirar prestígio de uma boa obra, não é? Ainda bem que este boicote não vingou, o livro foi um sucesso e até virou um baita filme.

“Convenção das Bruxas” foi lançado nos Estados Unidos no dia 24 de agosto de 1990, teve uma ótima recepção da crítica, principalmente sobre a atriz Anjelica Huston, que interpretou a Grã Bruxa e precisava aguentar 8 horas de maratona na maquiagem para ficar com aquele aspecto maligno que nos atormentou quando crianças. O longa é uma envolvente mistura de aventura, suspense e comédia feito especialmente para crianças, mas que não incomoda em momento algum aos pais que acompanhavam os filhos durante o filme. Recomendo!
SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Blog Layout Designed by pipdig