Para Ler, Ver e Ouvir!

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Filme #107 – A Canção do Sul (Song of the South, 1946)

Zip-a-Dee-Doo-Dah foi uma música marcante em 1946. Ano em que chegava aos cinemas o primeiro filme da Walt Disney Pictures usando atores reais, A CANÇÃO DO SUL. O significado da canção era aproveitar a vida, filme lançado em 1946 nos EUA era adaptação do livro escrito de Joel Chandler Harris e que trouxe a história de um garoto que vai morar com os avós e conhece Tio Remus, um sujeito bondoso e simples que conta diversas histórias para alegar o jovem. 

Após os sucessos de Branca de Neve, Pinóquio, Dumbo e Bambi, foi a vez de testar uma mistura inusitada: animação com atores reais. Sendo assim, o filme foi o primeiro filme dos estúdios Disney com atores e também foi o primeiro a empregar a técnica que unia em cena atores reais com personagens animados, técnica até então considerada avançada para a época.

A Canção do Sul (Song of the South, 1946)

O filme se passa na Era da Reconstrução. A história gira em torno de Johnny (interpretado por Bobby Driscoll), um menino branco que se mudou para a fazenda de sua avó, pois seus pais se separaram. Lá ele fez amizade com Toby (interpretado por Glenn Leedy), um menino negro filho de uma empregada da fazenda e com Ginny (interpretada por Luana Patten), uma loirinha, filha de uma família pobre próxima cujos irmãos são levados e brigões. A única coisa que o faz feliz são as histórias de Tio Remus que além de suas "fantasias", dá lições àqueles que gostam de ouvir as desventuras do Coelho Quincas e suas eternas tentativas de ludibriar a Comadre Raposa e o urso Zé Grandão.

Tio Remus (interpretado por James Baskett) é um velho e sábio empregado da fazenda local. E é a partir destas fábulas, provenientes do folclore sul-americano, que Johnny cria o seu próprio “Lugar do Riso”, o qual lhe ajuda a lidar com os problemas domésticos e emocionais.

A integração entre desenhos e atores é fantástica. Mesmo aos olhos de hoje, o filme tem mais de 70 anos, continua fascinante. Ótima performance dos atores mirins, que personificam a sinceridade e a inocência das crianças em relação aos adultos indiferentes e insensíveis. A cena no final do filme com Tio Remus dando as mãos às três crianças, uma menina e um menino branco e um menino negro mostra um filme puro e inocente destinado para toda a família.

O filme ganhou o Oscar de Melhor Canção Original por “Zip-A-Dee-Doo-Dah!” assim como o Oscar honorário entregue a James Baskett, pelo seu trabalho como Tio Remus. Há um bom tempo, o senhor Walt Disney queria adaptar o livro de historias de Tio Remus, escritos por Joel Chandler Harris. Mas ele só decidiu colocar a ideia em prática, em meados de 1940, quando tinha encontrado um modo de dar ao Tio Remus alegria equivalente ao livro, Walt disse: ''Eu sempre sentir que Tio Remus tinha que ser interpretado por um personagem real''.

A Canção do Sul (Song of the South, 1946)

Por muitas pessoas o filme é considerado racista, esse ataque ao filme veio principalmente pelos estereótipos ligados à figura do protagonista, Tio Remus, empregado negro de uma plantação que, expressando-se com linguagem incorreta (como todos os outros personagens negros do filme), além retrata os negros em situação de servidão e morando em casas simples, enquanto os brancos são retratados como senhores de terra que vivem em mansões, só que eu acredito que o filme deve ser visto como um produto de seu tempo. Embora o filme não mencione data em que a história se passa, por meio das roupas dos personagens, as atitudes, e o cenário em que estão inseridos, situa a história da produção em um período entre o fim da Guerra da Secessão Americana e o pós guerra, período chamado de a ''Era da Reconstrução'', o que justificaria o que é mostrado no filme. Outro ponto é que alguns brancos, também vivem em casebres como os que perseguem o garoto Johnny, representando a força trabalhadora, necessária em um período em que a escravidão finalmente foi abolida.

Devemos levar em consideração a história que é apresentada, o contexto histórico da época retratada, e entender o filme como uma reprodução de um tempo que não deve ser esquecido e que jamais deverá ser repetido, além de servir de alerta para as novas gerações das atrocidades cometidas em um passado não muito distante.

Uma boa solução seria contextualizar tais obras, com explicação do que elas representam e o como era no tempo que foram produzidos, desta forma teríamos material para estudar o contexto histórico de um determinado tempo, com base na produção daquele tempo. Não é verdade?

A Disney deveria voltar a liberar ''A Canção do Sul'' assim como seus outros clássicos. Até há uns anos atrás o SBT reprisou o filme em sua grade de programação, o que dá a esperança de que o filme não seja esquecido totalmente por aqui. Há muitos lugares que falam sobre a beleza do filme e sua importância, como o primeiro filme da Disney com atores reais e a primeira produção com atores atuando com animações. Muitos defendem seu lançamento e sugerem  a inclusão de uma explicação sobre o período em que A Canção do Sul foi produzido e o período que ela retrata. Certamente, Walt Disney ficaria feliz onde quer que esteja.
SHARE:

Um comentário

Blog Layout Designed by pipdig