Para Ler, Ver e Ouvir!

quarta-feira, 31 de julho de 2019

6 Episódios Memoráveis das Séries de TV

Sempre há aquelas séries que nos marcam e personagens inesquecíveis que sempre recordaremos com muito carinho, também há episódios memoráveis que nunca esqueceremos por este ou aquele motivo. Os finais de séries e/ou temporadas são propícios a emoções fortes e a ficarem gravados nas nossas memórias, mas nem sempre são esses os melhores ou os mais marcantes. Aqui ficam então alguns dos meus episódios preferidos do mundo das séries e que nunca esquecerei. Nem todos eles foram estrondosos em termos de enredo, mas têm em comum o fato de me terem agarrado fortemente como poucos outros foram capazes.

Ilustração: OPlanetaAlternativo.com


1. O Toque de um Anjo
(Touched by An Angel, 1994-2003)

Episódio: 5x09 “O Salmo 151” (Psalm 151) 

Ainda lembro como se fosse ontem, quando minha mãe me chamou para assistir ao final do episódio ''Psalm 151'' da série Touched by an Angel que ela sempre assistia nos fins de tarde da Warner. Eu tava louco para assistir Dragon Ball Z no Cartoon. hahahah. Mal sabendo eu que essa série ia se tornar uma das minhas favoritas para o resto da vida.

Para quem ainda não conhece, vale a apena apresentar. Mônica (interpretada por Roma Downey) é um anjo-da-guarda moderno enviado constantemente à Terra para ajudar pessoas em situação adversa. Que precisam mudar suas vidas antes que seja tarde demais. Belíssima figura angelical, ela é uma espécie de assessora de Deus. Mônica confia em seu talento e nas força dos milagres para cumprir suas missões divinas, inspirando os desiludidos com amor e esperança, administrando duras lições aos desencaminhados ou enfrentando o diabo em pessoa.  Mônica acaba sempre se envolvendo apaixonadamente com a vida das pessoas que precisam de sua ajuda. Humanos que necessitam de o toque de um anjo. Às vezes, entretanto, ela chega perto demais dos objetos de suas missões. É nestas ocasiões que o anjo supervisor, Tess (interpretada por Della Reese), aparece para colocar Mônica de volta a suas tarefas divinas. Esperta e sarcástica, Tess não é facilmente enganada.
Junto com elas, há Andrew (interpretado por John Dye), um amável anjo da morte que, apesar da função, não provoca medo, pois também ajuda na solução dos problemas. Quem quer que cruze pelo caminho de Mônica, Tess e Andrew acaba sentido realmente O TOQUE DE UM ANJO.

No episódio ''Salmo 151'' a série chega ao seu centésimo episódio. Nesse episódio Mônica recebe a missão de ajudar o pequeno Petey (interpretado por Joseph Cross) a realizar antes de sua morte, uma lista com 9 desejos. E um deles está em ajudar sua mãe a terminar uma música de louvor pelo seu nascimento. O que levou Audrey (mãe de Petey, interpretada por Wynonna Judd) a escrever, foi por não encontrar nos 150 Salmos da Bíblia, nenhuma expressão que correspondesse a alegria pela vinda do seu primeiro filho. E em agradecimento a Deus, começa compor os primeiros versos do Salmo 151… podendo ser essa canção suas últimas palavras de amor a seu filho. “Testemunharei o Amor” conduz o espectador a um encontro pessoal e inesquecível com Deus. Uma combinação perfeita de música e fé, capaz de mergulhar o público em questionamentos profundos, negados a se fazer ao longo dessa passagem chamada VIDA. O episódio aborda um tema forte, delicado e de acontecimento inevitável em nossas vidas: A Morte.

Um dos finais de episódios mais lindos que eu já acompanhei. Para vocês terem noção eu já assisti esse episódio umas 200 vezes e nunca me cansou. Tudo é muito bem feito e a parte ruim é que é apenas 45 minutos (tempo padrão de episódio). O episódio foi tão marcante na minha vida que fiz um post falando apenas sobre ele, segue aqui.

Cada desejo tinha um significado grande e profundo para Petey. Que apenas assistindo ao episódio para poder então entender tudo. Por isso, os convido para assistir. Além da participação especial de Wynonna Judd & Celine Dion.

2. One Tree Hill: Lances da Vida(One Tree Hill, 2003-2012)

Episódio: 3×16 “With Tired Eyes, Tired Minds, Tired Souls, We Slept”

Recentemente falei de One Tree Hill aqui no blog em Minha Memória de Séries. Uma das melhores séries que assisti na minha adolescência. Uma série que fala sobre amores e perdas adolescentes numa cidade pequena, abordando vários temas, como amor, amizade, rivalidades e traição, e explora as razões por trás deles.

Apesar da paixão pelo basquete, aparentemente Lucas e Nathan são dois jovens com poucas coisas em comum — exceto pelo nebuloso segredo de que os dois têm o mesmo pai. Situada na cidade fictícia de Tree Hill, Carolina do Norte, os meios-irmãos Lucas (interpretado por Chad Michael Murray) e Nathan (interpretado por James Lafferty) inicialmente eram rivais dentro e fora das quadras de basquete. Aos poucos os dois ficam amigos, enfrentando lado a lado os intermináveis dramas do mundo escolar adolescente — crimes com armas, gravidez, assassinato e uso de drogas são apenas alguns.

Um dos episódios sem dúvidas inesquecíveis foi da terceira temporada, episódio 16 ''With Tired Eyes, Tired Minds, Tired Souls, We Slept''. Neste controverso episódio, One Tree Hill abordou o tema de bullying e tiroteios nas escolas de forma sensível e matizada. A mensagem que esse episódio traz é muito real e reflexiva, achei ótimo, apesar de ser um episódio bem triste.

Aqui não há discussão. Esse é o melhor episódio da série para mim. Depois do episódio da abertura da cápsula do tempo, Jimmy Edwards, um estudante ignorado praticamente por todos, leva uma arma para Tree Hill High, criando um clima extremamente tenso com vários estudantes confinados dentro da escola feitos de refém. As consequências desse episódio afetaram completamente a série e a vida dos personagens, como Keith que foi morto pelo próprio irmão (que me deixou bastante chateado, pois eu achava que ele poderia sobreviver) e o suicídio de Jimmy. Ainda vemos uma baita crítica social para a mídia sensacionalista, em que Brooke se confronta com uma repórter que de forma fria, só se importa em entregar uma ótima notícia, além de Peyton baleada, Nathan, Haley e Rachel presos na mesma sala que Jimmy, e outros vários estudantes desesperados.

O episódio leva bastante a reflexão sobre o bullying nas escolas. Sabemos que isso é uma realidade e só quem sofre ou sofreu bullying de colegas sabe o que se sentir como o Jimmy se sentiu. O sentimento de revolta e vingança passa a penetrar na mente de muitos e pode levar a consequências drásticas, infelizmente.

3. Smallville: As Aventuras do Superboy
(Smallville, 2001-2011)

Episódio: 4×18 “O Espírito” (Spirit)

Já falei tanto de Smallville aqui no blog, mas para quem ainda não conhece, conta a história de um  rapaz chamado Clark Kent (interpretado por Tom Welling) que conhecerá no futuro sua verdadeira missão. Agora, ele é somente um jovem com as dúvidas e inquietudes de um adolescente comum, mas que deve aceitar os desafios e entender seus superpoderes. Esta é a nova história sobre o mito do Super-Homem, um personagem clássico.

Clark não usa óculos, nem roupa de super-herói, e não pode voar. Um rapaz dividido entre uma vida normal e seu invitável destino em "Smallville".

No episódio memorável ''O Espírito'' caminhamos a conclusão do ensino médio dos personagens. E como toda série teen, chegou o baile de formatura do último ano do Colégio Smallville High. E com isso a eleição da rainha do baile.

Chloe (interpretada por Allison Mack), surpresa, é nomeada para Rainha do Baile pelos seus colegas e tenta convencer Clark e Lana a irem com ela, mas que hesitando em ir. Entretanto, a nomeação de Chloe é mal vista aos olhos de Dawn Stiles (interpretada por Beatrice Rosen), que quer ser a rainha, pela primeira vez vê uma chance de ser eleita a rainha, e faz de tudo para conseguir sua coroa, mas apenas se preocupa com futilidades, como unha, cabelos, roupa e limunise para ir ao baile. Cansando de sua superficialidade seu namorado Billy termina com ela na véspera do evento. Dirigindo na estrada, não querendo chegar ao baile desacompanhada, Dawn pega o anuário do colégio para escolher seu novo par. Mesmo dirigindo começa a ler o livro do colégio. Encontrando a foto de Clark, decide ir com ele, mas um acidente muda seus planos. Por não estar prestando atenção na estrada, Dawn bate com o carro, que rola uma ribanceira, caindo na cratera cheia de meteoros. Sem perceber que sue corpo ficara no chão, seu espirito sai para estrada para pedir ajuda. Como não é vista por ninguém, o carro que vem na estrada passa direto, atropelando o espirito de Dawn. Seu espirito invade e se apodera do corpo da motorista , Martha Kent, que passa a ter uma perda transitória da consciência e de sua própria identidade.

A partir disso, com o espírito de Dawn solto por aí, ela entra nos corpos dos outros fazendo eles agirem fora do comum. Resultando em Lana pedindo para Clark ser o seu parceiro, Lois vai ao baile e Chloe coloca fogo da escola (claro que todos possuídos pelo espirito). O episódio tem o bônus especial do Lex trazendo aos formandos um presente especial para o baile: a banda Lifehouse!

Tem uma frase nesse episódio que a Martha fala para o Clark ''Oh, Clark. As coisas nem sempre acabam do jeito que você as imagina, mas às vezes elas podem acabar ainda melhores se você lhes der uma chance.''

De certa forma, o espirito de Dawn uniu Clark e Lana nesse episódio. Caso ele ficasse em casa, estaria fechando as portas a oportunidade de ser feliz. Como foi o seu deleitamento ao conseguir realizar seu sonho de tanto tempo: estar dançando no baile com Lana. Claro que essa escolha competiu a ele: agarrar a chance de algo maravilhoso acontecer e escrever com a tinta da satisfação esse momento inesquecível em seu livro da vida ou desperdiçar a oportunidade de ser feliz ficando em casa se lamuriando em tristezas pelo que poderia ter sido, mas que ele nem deu chance para ser. Os momento precisam ser vividos e não apenas sobrevividos. A felicidade e todo regozijo que a vida traz passam na porta da nossa casa como bondes, alguns escolhemos e pegamos a chance de ter essa bem-aventurança, outros por sua vez deixamos se perder seguindo outros caminhos, sem que nem imaginemos o mundo de venturas que nos levaria.

Clark também lidou com o sobrenatural, ao se deparar com um espirito que aleatoriamente ia possuindo os corpos ao qual ia encontrando. Foi um teste de sensibilidade e percepção, não ser enganado pelo que via e escutar sua intuição, já fortalecida de muita sagacidade. Sua mente já não o deixa mais se enganar tão facilmente mostrando ter seus sentidos sob controle. O conhecimento ao qual se abriu com os ensinamentos que viveu com seus três mentores ( Jonathan, Jor-El e Dr. Swan) abriu seu pensamento para um mundo mais transcendental, destruindo o véu das aparências que torna as pessoas ignorantes, conseguindo abrir sua visão para além das aparências , exatamente como o sol revela com sua luminosidade a beleza no mundo.

4. Game of Thrones
(2011-2019)

Episódio: 8x03 “A Longa Noite” (The Long Night)

Considero o episódio The Long Night, um dos mais épicos de GoT. A primeira sequência da história de Game of Thrones – tanto literária quanto televisiva – se passa numa floresta e alguns patrulheiros acabam surpreendidos pela inesperada presença de Caminhantes Brancos. É o teaser de uma jornada que se inicia com bases sólidas e essas bases também nos fazem uma promessa: será a chegada dessa ameaça que moverá as engrenagens numa única direção. A chegada do inverno se correlaciona com a chegada do Rei da Noite e, então, estabelece-se a completude da dramaturgia da série. Se temos em mãos uma grande ameaça à integridade da vida e ela vai transformar os envolvidos de alguma forma, ela precisa ser representativa, precisa afetar a curto e a longo prazo; e ela precisa deixar sequelas.

O terceiro episódio da última temporada de Game of Thrones, afinal, trouxe uma das mais importantes batalhas de toda a série. Os white walkers, então, chegam e todos os exércitos, dentro dos quais se encontram Brienne (Gwendoline Christie), Tormund (Kristofer Hivju), Jaimie (Nikolaj Coster Waldau), Verme Cinzento (Jacob Anderson), Eddison (Ben Crompton) e Sam (John Bradley-West) unem-se a essa batalha contra a morte. O episódio de Game of Thrones é sombrio como toda guerra deve ser. É sangrento, com corpos se misturando à fumaça de fogo e gelo, e apesar dos esforços de todos, talvez seja impossível vencer o inimigo dessa vez. Diante do poderio do Exército da Noite, dessa maneira, os exércitos retornam para dentro dos muros de Winterfell.

O  episódio começa com a chegada dos mortos, Jon (Kit Harrington) e Daenerys (Emilia Clarke) não conseguem resolver seus problemas pendentes e saem para a luta. Eles montam em seus dragões e seguem para o campo de batalha. Lá em baixo, as coisas não caminham muito bem. Os zumbis são fortes e resistentes causando dificuldades para serem derrotados; Arya (interpretada por Maisie Williams) manda Sansa (interpretada por Sophie Turner) se esconder nas criptas, e proteger aqueles que não conseguem lutar. Tyrion Lannister (interpretado por Peter Dinklage) também vai para lá.

Melisandre (interpretada por Carice Van Houten) aparece, e ajuda na batalha com sua magia de fogo, que é mortal para os zumbis. Mesmo assim, o exército dos humanos começa a perder; a jovem Lyanna Mormont (Bella Ramsey) é morta por um gigante, mas o mata também. Brienne é quase morta porém escapa; Sam também escapa por pouco, mas perde um amigo no caminho.

Enquanto isso, Jon e Daenerys lutam contra o Rei da Noite e seu dragão de gelo. Jon vai para cima e derruba o vilão de sua montaria – e acaba caindo também. Jon tenta atacar o zumbi, mas ele revive os mortos ao seu redor; o rapaz é salvo por Daenerys, que queima todos os inimigos – menos o próprio Rei, que permanece ileso. Jon pede para que ela ajude Bran, mas os zumbis sobem no dragão, que sai voando sem ela.

A Rainha e Jorah Mormont (interpretado por Iain Glain) ficam encurralados e lutando contra os inimigos – Jorah leva uma facada no peito e permanece de pé. Os mortos das criptas também se levantam e atacam quem estava escondido por lá.

Jon consegue escapar do Rei da Noite e entra em uma luta contra o dragão de gelo – enquanto os mortos invadem Winterfell. Bran Stark (interpretado por Isaac Hempstead-Wright) fica ao lado da árvore coração, protegido por alguns soldados que acabam morrendo, sobrando apenas Theon Greyjoy (interpretado por Alfie Owen-Allen). O Rei da Noite chega até o rapaz e Theon se sacrifica por ele.

Quando o grande vilão chega até Bran, pronto para elimina-lo, Arya Stark chega por trás e mata o monstro; com sua morte, todos os outros zumbis morrem, inclusive o dragão de gelo – os humanos venceram a batalha contra os mortos!

Sem dúvidas um episódio épico, mas que dividiu muito os fãs que formaram muita expectativa sobre ele. Eu vibrei e torci. Sem dúvidas, a série poderia ter encerrado ali com uma batalha épica, a visto do que veio depois em outros episódios.

-

Ilustração: OPlanetaAlternativo.com


5. Dawson's Creek
(1998-2003)

Episódio: 3x20 “The Longest Day”

Dawson's Creek é uma das minhas séries favoritas e já deixei isso claro em vários posts do blog (hahaha). Mas para quem ainda não conhece, a série se passa em Capeside, uma pequena cidade litorânea perto de Boston, todos os dias, eles convivem com os mais diferentes tipos de problemas, que os fazem crescer para entender melhor o mundo em que vivem. E chega uma hora que cada um precisa decidir sua carreira profissional, universidade, paixões. Não é nada fácil, mas, com amor e amizade, esse caminho será bem menos difícil de trilhar.

No episódio “The Longest Day” temos a narrativa contada sob a perspectiva de Pacey, Joey e Dawson (interpretados por Joshua Jackson, Katie Holmes e James van der Beek, respectivamente), esse episódio mostra como Dawson finalmente descobre o relacionamento entre seus dois melhores amigos. Pacey e Joey estão namorando escondido há semanas e não conseguem contar a verdade para Dawson, com medo de sua reação. Quando Pacey finalmente toma coragem, é impedido por Joey e os dois começam a discutir sobre isso em pleno jardim de Dawson. O que nenhum deles sabia é que Dawson já estava sabendo da história toda por acidente, já que Jen (interpretada por Michelle Williams) revela tudo acreditando que ele a havia procurado para se consolar.

Dawson explode com os dois e revela tudo para Andie, no meio de seu encontro com Will. Enquanto Dawson coloca Joey contra a parede e quer que ela escolha, Andie deixa claro para Pacey que depois de tudo, ele acabará sozinho. E ela nem estava tão errada assim, já que, depois da discussão, Joey termina com ele, para tantar arrumar as coisas com o melhor amigo.

Um episódio super original onde temos a visão de cada personagem. A amizade de Dawson e Pacey é testada quando ambos demonstram interesse por Joey. A mesma cena se repete várias vezes, mas sob o ponto de vista de cada personagem. Sem dúvidas, um dos melhores da série.

O episódio mostra mais um pedaço de tudo o que aconteceu e termina com Dawson dando um ultimato em Joey: se o namoro continuar, eles não serão mais amigos! A cena em que Joey termina com Pacey é triste e que deixa muito para o fim da temporada!

Esse capítulo é especialmente danoso para nossa saúde mental: uma atitude de bundão dar ultimatos por aí, hein? Sério, gosto do Dawson, mas assim não tinha como defender.


6. Buffy, A Caça-Vampiros
(Buffy the Vampire Slayer, 1997-2003)

Episódio: 7x22 “Chosen”

Para quem não conhece, caso isso seja possível, Buffy é uma série americana que foi ao ar entre 1996 e 2003. A série começa com ela e mudando com a mãe para Sunnydale, Califórnia, após uma série de incidentes e o divórcio dos pais. Buffy (interpretada por Sarah Michelle Gellar) tinha apenas 15 anos quando descobriu que era a Escolhida, a slayer (ou caça-vampiros, em português) e ela era guiada por um Sentinela (Watcher), ligado ao Conselho de Caça-vampiros. A série mostra as aventuras e desafios enfrentados pelos dois e seus dois amigos, Xander e Willow.  Ao longo de 7 temporadas, a série aborda diversos temas do mundo adolescente até o amadurecimento, passando por sexo, homossexualidade, total ausência do pai, magia, demônios variados, relacionamentos conturbados e diversas tentativas de apocalipse. Buffy foi uma das principais séries com protagonismo feminino na década de 90 e passa lindamente no teste de Bechdel (quantos filmes da mesma época falham miseravelmente e ainda sim tem o protagonismo feminino? Acho que, tipo todos).

Essa série teen soube trabalhar diversos assuntos do cotidiano — como o empoderamento feminino, morte, sexualidade e uso de drogas — de uma maneira orgânica, não soando forçada ou pretensiosa. Com 144 episódios, Buffy se tornou um marco na cultura pop e continua até hoje, 16 anos depois de seu fim.

No último episódio 7x22 ''Chosen'' encerra a série de uma maneira extremamente satisfatória. Os maiores mistérios da série foram apresentados ao longo da sétima temporada: o surgimento do mal, a evolução dos vampiros e o porquê de ser uma caçadora apenas. Nesse último episódio – repleto de efeitos especiais – é travada uma batalha épica que causa a destruição total de Sunnydale e o fechamento da Boca do Inferno. De lambuja, Willow vira uma deusa quando permite que todas as potenciais caçadoras tenham seus poderes. Todos possuem seu momento nesse episódio, até Angel faz uma participação.

O último encontro do quarteto Buffy, Willow, Xander e Giles antes da batalha é um dos momentos mais emocionantes desse final, além do diálogo da protagonista com Spike antes de seu sacrifício, sendo esse um dos momentos mais lindos entre os dois e uma redenção para o vampiro. Como não podia deixar de ser, existem perdas consideráveis após esses eventos, e toda Sunnydale acaba destruída, mas o sentimento de satisfação no final desse episódio, após ter acompanhado a vida da caça-vampiros por tantas temporadas, é gigantesco, e por isso, o melhor.

Confesso que eu chorei com os eventos do episódio final e ainda mais sabendo que a série encerrava ali. Vale relembrar que a série continuou nos quadrinhos, mas sabemos que não é a mesma coisa.

-

Enfim, alguns episódios memoráveis dessas grandes séries. Apesar de que cada uma merecia um post só delas, teve tantos episódios bons que é difícil escolher apenas um pra comentar aqui. Enfim, fico por aqui.
SHARE:

Um comentário

  1. Concordo com você com a escolha do episódio de GoT e que a série se perdeu depois dele. Aliás, fiquei desnorteado com o fim da série. Que fim mais ruim foi aquele?
    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    O blog JOVEM JORNALISTA está em HIATUS DE INVERNO, de 20 de julho à 29 de agosto. Mas republiquei um post. Nesse período comentaremos nos blogs amigos.

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Blog Layout Designed by pipdig