Para Ler, Ver e Ouvir!

segunda-feira, 8 de julho de 2019

15 Atrações Memoráveis do Sony Spin

O Sony Spin foi um canal que surgiu em 2011 e veio para substituir o canal Animax (esse eu não acompanhei) e tinha uma programação focada na geração millennials, o canal trouxe diversas séries jovens ao longo do seu período de atividade. Como o próprio diz, o canal foi um ''spin-off'' do canal mãe Sony. Focado em jovens entre 16 e 24 anos, caracterizada pelo seu espírito inovador, único, audaz, dinâmico e transgressor. A programação ofereceu muitas séries juvenis e com premissas muito legais, relembrar algumas delas é o objetivo dessa lista.

Ilustração: OPlanetaAlternativo.com
Pra criar essa lista preciso voltar há uns anos. Era 2012, eu estava no terceiro ano de ensino médio. Estudava pela manhã e geralmente a tarde tirava o tempo para fazer algumas atividades ou ir em reunião de projetos da escola e no tempo livre eu ficava mais na frente da TV zapeando até encontrar algo legal pra assistir. Geralmente a tarde não encontrava nada de atrativo pra assistir em outros canais, já no Sony Spin era oferecido uma variedade de séries no período da tarde e começo da noite, eram os horários que eu mais ficava sintonizado. Geralmente eram séries já finalizadas ou canceladas há anos... mas que eu curtia acompanhar, pois muitas eu nem conhecia, então assistir lá era uma chance de conhecer aquela produção de décadas. Nessa época também eu já perdia o interesse de acompanhar séries infanto juvenis de canais mais infantis. Buscava algo mais maduro pra um jovem da minha idade. Aí ver no Sony Spin era a chance de descobrir uma boa série. Aí ver no Sony Spin era a chance de descobrir uma boa série.

Então vamos pra lista de algumas atrações que vi lá... e como diria o slogan do canal ''Tá Ligado?!''

1.Parker Lewis Can’t Lose

Produção do começo dos anos 90. Ninguém faz as coisas melhor do que Parker Lewis, sem dúvida alguma o garoto mais cool da escola. Sendo encantador, perceptivo e travesso, não há situação que Parker não consiga agüentar, e muito menos ninguém do seu nível. Para cada situação Lewis tem um plano com Mike, seu melhor amigo, e Jerry, o nerd adorável.

Parker Lewis Can't Lose

Além de vários aspectos da vida adolescente, inseridos com muito surrealismo, um estilo de vida quase cartunesco, inteligente ângulos de câmera e técnicas de filmagens, os episódios regularmente contém referências sutis a filmes, política e celebridades.

Infelizmente depois que o Sony Spin acabou, a série também saiu do ar e nunca mais voltou em nenhum canal. Lembro que costuma assistir a série umas 17h da tarde no canal, era cômica e o Parker Lewis me lembrava muito o Ferris Bueller de Curtindo a Vida Adoidado.

2. Clueless

Muitos conhecem o filme “As Patricinhas de Beverly Hills”? Claro era reprisado constantemente na ''Sessão da Tarde''. Porém, poucos conhecem a série que foi inspirada no filme. Em “Clueless” traz os personagens já conhecidos pelo público em novas e inesperadas histórias.

A série mostra as paixões e aventuras de Cher Horowitz (interpretada por outra atriz, Rachel Blachard), uma descolada (e complicada!) patricinha que adora ir ao shopping, fazer muitas compras e frequentar festas badaladas. Além dela, sua amiga Dionne Davenport e a exagerada Amber Mariens fazem parte do grupo das garotas populares do colégio.

Clueless

Igualmente ricas, bonitas e charmosas, elas seguem à risca as tendências da moda e têm o guarda-roupa de dar inveja em qualquer garota. Junto com elas estão Murray Duvall (e Sean Holliday, dois amigos super engraçados e pra lá de trapalhões.

Vale lembrar que essa série passou na Nickelodeon dublada (ou eu tô enganado?) e era exibida em áudio original e com legendas no Sony Spin. Whatever.

O episódio piloto da série está legendado e disponível no Youtube. Vale a pena da uma olhada.



Eu assistia geralmente umas 5h30 da manhã. Acordava cedinho e ficava assistindo até da a hora de levantar e cuidar para ir a escola. Nesse período eu acompanhei tanto Clueless como Party of Five que vinha na sequência e que também será a próxima da lista.

3. Party of Five

Party of Five conta a comovente história de cinco irmãos que se tornam órfãos, que se vêem obrigados a viver como adultos depois da morte de seus pais em um acidente. Era a série mais séria e cheia de tensões que eu acompanhei nesse período. Era bem interessante e você realmente entrava nos dramas da família. A série foi algo totalmente novo no período que esteve originalmente no ar, não a toa ninguém via e ela quase chegou a ser cancelada durante a primeira temporada. A sorte é que a série conseguiu captar mais público e conseguiu mais temporadas. Uma historia diferente e muito bem escrita. Inclusive já falei dela aqui no #MinhaMemóriaDeSéries

O que me fez ver? Além do roteiro interessante, tinha também o Matthew Fox (que eu só conhecia por LOST). Na série ele esta bem mais novo e também é protagonista. 

Party of Five

Obs: Nessa época as dúvidas que eu tinha na cabeça era se eu ia assistir mais um episódio de Party of Five ou assistia mais um episódio de Smallville na Warner que era exibido no mesmo horário (6h00) hahaha. Saudades desse tempo que os compromissos eram esses.

Aproveitando tudo isso, eu resolvi escrever esse post mesmo pra dizer que a série está disponível com todas suas seis temporadas na Netflix Brasil. Então não tem desculpa pra rever esse clássico. Partiu maratona!

4. Beverly Hills 90210

A história da série começa com a mudança da família Walsh da pacata Minessota para a badalada Beverly Hills, mostrando as experiências, dificuldades e realizações dos gêmeos Brandon e Brenda. 

Dos tempos do colégio West Beverly até a graduação na universidade, poderemos rever as histórias dos Walsh e seus melhores amigos Kelly, Steve, Dylan, Andrea, David e Donna, e também das pessoas que os rodeiam. Enquanto seguem caminhos diferentes e conhecem novas pessoas na descoberta do mundo, eles mantêm sempre fortes os laços de amizade e companheirismo - menos quando se trata dos namorados.

Beverly Hills, 90210

Beverly Hills, 90210 (que no Brasil recebeu o nome de ''Barrados no Baile'') foi um verdadeiro marco na história das séries de televisão que atingiu com perfeição o seu principal público, os adolescentes, com uma concepção rebelde e inovadora. A fórmula de Aaron Spelling foi frequentemente copiada, mas nunca se igualaram ao show que invadiu milhares de casas. A série já foi vista em mais de 100 países e tem uma estimativa de 200 milhões de fãs em todo mundo.

Geralmente era exibido nas tardes do canal e eu acompanhava um episódio ou outro e curtia muito aqueles dramas. Inclusive já falei da série aqui no #MinhaMemóriaDeSéries.

5. Joan of Arcadia

Joan Girardi, uma garota de 16 anos, começou a agir de forma estranha. O resultado é que aparecem para elas pessoas que se apresentam como Deuses, dando orientações sobre sua vida. Mantendo isso em segredo, sobretudo da sua família, Joan começa a perguntar por que ela é capaz de ver isso, levando a sério as mensagens de Deus, enquanto tenta ser normal.  O Todo Poderoso começa a encarregar a garota de algumas tarefas, que ela precisa cumprir enquanto leva sua vida cotidiana e seus eventuais conflitos familiares.

Joan of Arcadia

A história é obviamente baseada nos relatos sobre Joana D’Arc (Joan Of Arc), a jovem heroína francesa que foi queimada como bruxa após vencer o exército inglês durante a Guerra dos Cem Anos. A série se aproveita da mitologia em volta dessa figura que, dizem, tinham conversas justamente com Deus. Outra série que esteve aqui no #MinhaMemóriaDeSéries

Curtia bastante ainda mais pela canção ''One of Us'' que era tema de abertura. Assistia no começo da noite, lá por volta de 18h. Inicialmente era exibido legendado, depois começaram a passar dublado. Curtia muito!

6. The Guardian

Antes de ser O Mentalista, Simon Baker era O Tutor. Centrado em torno de seu protagonista Nick Fallin: um advogado corporativo sentenciado a 1500 horas de serviço comunitário com os Serviços Legais de Pittsburgh como resultado de uma condenação por drogas. Além disso, Nick tem uma relação tensa com seu pai, que era presidente do escritório de advocacia onde trabalhou em tempo integral.

The Guardian

O que me fez ver a série foi a própria presença do Simon Baker, pois já acompanhava The Mentalist e gostava muito. Porém, The Guardian acompanhei poucos episódios.

6. Jane by Design

Jane Quimby é uma adolescente órfã e esperta, que consegue um emprego em uma empresa famosa e admirada no ramo da moda. Com uma idade inapropriada para trabalhar, ela cria uma dupla identidade que fica dividida entre os delírios escolares e as responsabilidades no emprego.

Jane by Design

Jane se encontra perdida, uma vez que sua verdadeira idade não pode ser descoberta no seu serviço e tão pouco o pessoal de sua escola poderá saber onde ela está trabalhando. Porém, Jane sabe que não poderá perder esta oportunidade, pois são nulas as chances de seu currículo ser confundido novamente e ela ganhar um cargo de extrema confiança: ser assistente de um dos maiores nome do mundo da moda.

Série que acabei esquecendo de mudar de canal e quando percebi estava assistindo e acompanhando. Vale a menção na lista também. Porém não vi o desfecho da protagonista.

7. Beautiful People

Beautiful People
Depois que o marido de Lynn Kerr foge com a amante, ela decide começar uma nova vida com suas filhas adolescentes, Karen e Sophie. Elas então fazem as malas e se mudam da pequena cidade em New Mexico para Nova York.

Sophie Kerr, a filha mais nova, recebe uma bolsa de estudos para estudar na prestigiada escola Brighton, mas as coisas em Brighton são muito diferentes da antiga vida dela. Depois de entrar na nova escola, ela não tem idéia de como se relacionar com as pessoas mais ricas e esnobes, conhecidas como "BPs" - os "Beautiful People". Os "BPs" podem fazer a vida de uma garota do interior como Sophie ser um inferno, mas o charme e a falta de pretensões da adolescente atraem dois garotos diferentes: Gideon Lustig, um artista sensivo e, Nicholas Fiske, o lindo e confiante líder dos "BPs".

Karen Kerr, a filha mais velha, sonha com uma carreira de modelo. Por causa de sua beleza estonteante as coisas sempre foram fáceis para ela, mas em Nova York é diferente. Karen percebe que a concorrência é sempre um pouco mais alta ou mais magra, e isso a obrigará a correr riscos e decidir quanto sacrifício vale a pena fazer para realizar seu sonho. 

Lynn Kerr, que quer recuperar seu sonho de ser uma designer de moda, arranja um emprego na indústria da moda, trabalhando para um famoso designer. O que deixa a situação mais complicada é que o trabalho a deixa em contato diário com uma antiga paixão, o milionário casado Julian Fisk, que ainda guarda sentimentos por Lynn. 

Para todas as mulheres da família Kerr, seguir seus sonhos não será fácil, mas elas não têm medo e, pela primeira vez, acreditam que tudo é possível. Durante o caminho elas irão se deparar com desafios, situações e pessoas que irão testá-las de todas as formas. Mas se elas continuarem juntas, perceberão o verdadeiro significado do que é ser uma bela pessoa.

Era bem interessante e eu achava as protagonistas muito lindas. Além da música de abertura ser de uma banda que eu curto muito chamada ''The Afters''. Foram poucos episódios produzidos, mas até que eu gostava.

8. Teen Wolf

“Teen Wolf” é a versão televisiva do filme “O Garoto do Futuro” de 1985 dirigido por Rod Daniel, mas com uma abordagem mais intimista que a produção dos anos 80. Scott McCall era apenas um garoto normal do cursinho, até que uma noite seu melhor amigo Stiles o leva ao bosque e ele é mordido por um lobo.

Teen Wolf

Não sabendo controlar seus impulsos e novas habilidades, ele se apaixona por Alison, a garota nova na cidade, com a qual terá de se entender muito bem caso queira levar o romance a frente. A série consegue equilibrar horror, romance e muitas intrigas.

Comecei a acompanhar por causa do meu amigo da escola. Ele curtia bastante a série e me instigou a assistir também. Pois bem, eu comecei a assistir e até que gostei. Mas admito que não é minha série favorita. Na época também eu possuia um celular de baixa qualidade e gravava algumas cenas por esse celular pra mostrar pra ele que eu realmente estava assistindo (Alô, meu amigo Raul!).

9. Punk'D

Ashton Kutcher em ''Punk'D''
Era um espécie de reality show com intuito de pregar pegadinhas em celebridades. O programa começa com Ashton Kutcher descrevendo a celebridade vai sofrer a pegadinha, o porquê da celebridade merecer ser pega e explica como é que a pegadinha vai ser, identificando os cúmplices. Como o programa decorre geralmente em Los Angeles, as pegadinha são feitas, na sua maior parte, em locais comuns como parques de estacionamento, restaurantes, quartos de hotel, residências, no parque temático Universal Studios Hollywood, escolas ou em locais onde se joga boliche.

Acho que Punk'D foi uma das últimas atrações que estreou no Sony Spin antes dele ser encerrado. O programa lembrava muito o ''Telegrama Legal'' do Domingo Legal, lembram desse? O Punk'D era a versão dos gringos, onde o Ashton fazia essas pegadinhas com os famosos lá de Hollywood.

Era até estranho as vezes, pois as vezes soava muito combinado. Um episódio que não esqueço foi com a presença da atriz Mandy Moore. Mas até que era legalzinho.

O que me fez ver? As propagandas que circulavam durante a programação instigava a ver o programa. E eu sempre gostei dessas coisas de ''câmeras escondidas''. A pessoa paga o maior mico e depois descobre que tudo não passou de uma pegadinha. Daí ela fica sem saber onde enfiar a cara.

10. The Adventures of Merlin

 "Merlin" é uma releitura da história do Rei Arthur e os cavaleiros da Távola Redonda, em que vemos a juventude de Merlin e Arthur. Esta série é repleta de drama, aventuras mágicas e dragões, para ser assistida em família! Merlin é um garoto bonito do campo que um dia chega à grande e colorida cidade de Camelot. Emocionado por estar nesse novo lugar, presencia a sentença de morte de um jovem pela prática de magia. Assustado, vai embora e começa a procurar seu pai, Gaius. Ao encontrá-lo, terá que aprender milhares de coisas novas e, entre tantas, a praticar corretamente a magia.

Merlin
É uma ótima série. Conheci pelo Sony Spin e descobri que ela está na Netflix Brasil. Em meio à dragões, bruxas e castelos, o seriado consegue soltar nossa imaginação.E, por mais que os efeitos especiais não sejam uma maravilha, As Aventuras de Merlin conseguem nos encantar.

11. Live from Abbey Road

O sonho de qualquer banda de Rock é tocar no legendário estúdio “Abbey Road”. Bandas como The Beatles e outros músicos famosos gravaram seus discos nesse templo musical, como The Kooks, The Killers, David Gilmour e Massive Attack, tocando nesse famoso estúdio de Londres.

Live from Abbey Road

Algumas das melhores ideias são as mais óbvias. O conceito de LIVE FROM ABBEY ROAD é muito simples. Captura, ao vivo, fantásticas performances, reunindo grandes artistas em um dos lugares mais criativos e inspiradores do mundo da música, o lendário estúdio Abbey Road, em Londres.

O que me fez querer assistir? As chamadas do canal convidando pra assistir. Pois bem, vi alguns episódios e curti.

12. Zorro: A Espada e a Rosa

A primeira vez que eu assisti algo sobre o héroi Zorro, foi a série do Walt Disney dos anos 50, que era exibida pela Fox Kids. Isso me despertou para assistir ''Zorro: A Espada e a Rosa'', porém era bem diferente do que eu tinha assistido. A trama tinha uma pegada mais de telenovela. Eu até cheguei a ver alguns capítulos e achava até interessante, mas não cheguei a continuar assistindo.

Zorro: A Espada e a Rosa

A trama conta a história de Diego de La vega, que é tido por todos como fraco e irresponsável, mas isso muda quando ele conhece Esmeralda, por quem se apaixona e acaba virando um herói misterioso para conquistá-la.

O melodrama segue vagamente o romance Zorro: Começa a Lenda da escritora chilena Isabel Allende, mas também usa os personagens principais da série da Disney da década de 1950. Ele mostra uma fantástica versão de Los Angeles, cheia de romance, intriga real, e feitiçaria epoligamia. A cidade é preenchida com os ciganos, os escravos, os clérigos, canibais, conspiradores, índios rebeldes e guerreiros da Amazônia, junto com colonos espanhóis, soldados, piratas e camponeses mestiços.

13. Melissa & Joey

Protagonizada por Melissa Joan Hart e Joey Lawrence, essa comédia de meia hora de duração apresenta Mel, filha mais velha de uma família de políticos, agora ela própria uma política. Quando sua irmã acaba sendo presa e seu cunhado foge do país depois de um escândalo, Mel ficará responsável por sua sobrinha adolescente, Lennox, e por seu sobrinho pré-adolescente, Ryder. Isso se transforma em uma tarefa muito difícil para ela sozinha, mas logo chega a ajuda mais do que oportuna de Joey que, desesperado por causa de um trabalho, vai morar com eles e vira o babá da casa.

Melissa & Joey

Melissa Burke sempre foi uma pessoa festeira e agora tem que lidar com as responsabilidades do trabalho e cuidar dos seus sobrinhos adolescentes. Joe tem muito talento para as tarefas de casa (muito mais que a Mel), cozinha, lava e passa roupa. Ele se torna quase um integrante da família Burke.

Além disso, desde a primeira temporada foi evidente a tensão sexual que existiu entre Joe e Mel, mas nenhum dos dois admitia isso. É muito engraçado ver como um mexe com o sentimento do outro, mas eles são teimosos demais para admitir e vivem discutindo.

O que me fez ver a série? Melissa Joan Hart ja era um rosto conhecido pra mim. Quem não se lembra de ''Sabrina, A Feiticeira''? Pois é. Fora que os filmes da bruxinha sempre eram reprisados na ''Sessão da Tarde''. Nessa série ''Melissa & Joey'' a comédia realmente funciona e até que eu gostava de acompanhar.

14. Tudo Que É Sólido Pode Derreter

Uma série que conseguiu ser inteligente e divertida ao mesmo tempo: "Tudo Que É Sólido Pode Derreter", produção brasileira originalmente exibida pela TV Cultura e depois reprisada no Sony Spin.

Tudo Que É Sólido Pode Derreter
A série mostra as experiências da jovem e sonhadora estudante Thereza (interpretada por Mayara Constantino), que precisa lidar com as dificuldades da vida escolar, com os problemas dos amigos e da família(um tio seu,que era ator, cometeu suícidio). A série buscou explorar de forma atraente e com bom muito humor o universo adolescente a partir do cotidiano de Thereza, que estuda na escola grandes obras da literatura de língua portuguesa, descobrindo e envolvendo-se com suas histórias.

Cada um dos episódios relaciona a vida de Thereza com essas grandes obras da Literatura (como "Senhora" e "Canção do Exílio"), e esta é a grande sacada educativa do programa. O seriado foi produzido em 2009 e mostra que há, sim, vida inteligente na TV brasileira.

15. Filmes

o Sony Spin possuiu diversas sessões de filmes semanalmente e diariamente, sendo em sua maior parte produções da Sony Pictures Entertainment. Foram exibidos longas de todos os gêneros, mas normalmente priorizando das películas de comédia e ação.

As vezes quando rolava um filme legal lá eu acabava assistindo também. Entre eles lembro de ter assistido A Casa de Vidro, Matilda, Duplex, Resident Evil e até uns trash brasileiro como ''Carlota Joaquina: A Princesa do Brasil'' e ''2 Filhos de Francisco'' exibidos nitidamente para cumprir a cota de produção nacional na grade, pois os filmes iam contramão da proposta do canal.


-

O canal teve várias atrações, entre séries, animes e musicais, mas que infelizmente eu não acabei acompanhando, pois os horários não batiam com os que eu podia acompanhar (rsrs). Em 1 de julho 2014, alegando baixa audiência, o Sony Spin se despede sem cerimônia e dá lugar ao canal Lifetime.

Algumas séries dessa lista ainda chegaram a passar em outros canais, já outras infelizmente nunca mais foram exibidas. A esperança é elas serem disponibilizadas em algum streaming futuramente. O fim de uma era. Só resta as lembranças daquelas tardes tediosas e que a maior preocupação era fazer o dever de casa e buscar algo para assistir em seguida.

Fim!
SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Blog Layout Designed by pipdig