Minhas 12 Canções Favoritas do Michael Jackson - O Planeta Alternativo

segunda-feira, 1 de julho de 2019

Minhas 12 Canções Favoritas do Michael Jackson

O Rei do Pop, Michael Jackson (1958-2009), marcou gerações com os seus hits inesquecíveis. O menino que começou a carreira com os irmãos formando o The Jackson Five acabou por seguir carreira solo e emplacou uma série de clássicos do pop. Ele nos deixou há dez anos, dá pra acreditar? Parece uma eternidade, especialmente quando pensamos que o Rei do Pop ainda está extremamente presente no mundo da música.

Ele passou a maior parte da sua vida entretendo o público com sua voz incrível e movimentos de dança lendária. É meio ruim separar doze canções do MJ, sendo que ele tem uma lista enorme de canções ótimas. Porém, sempre tem aquelas canções que mais executamos, pensando nisso eu separei algumas delas aqui. Inclusive algumas delas já apareceram aqui pelo #naminhaplaylist, #musicbox, #oldiscool. Então, vamos lá!

Michael Jackson

1. Billie Jean

Um dos maiores sucessos comerciais da carreira de Michael, Billie Jean foi lançada em 1982 e está incluída no disco Thriller, seu sexto álbum solo. A letra conta a história de um relacionamento fugaz vivido pelo eu-lírico. A parceira é caracterizada como uma bela jovem, com feitio de atriz de cinema, e ele se descreve como sendo "o cara".

Apesar dos avisos que o eu-lírico ouviu de todos ao redor, o casal fica junto brevemente, num encontro que parece ser meramente frugal. Tempos depois a moça reaparece e afirma que ele é o pai do seu filho. O eu-lírico, por sua vez, rebate e argumenta que o filho não é dele.

A letra fala sobre interesse, cobiça, individualismo e critica aqueles que desejam tirar algum proveito se envolvendo com pessoas famosas.

Sobre a criação da música, na sua autobiografia (Moonwalk), Michael confessou que, ao contrário do que muitos acreditavam, a inspiração para escrever a canção não foi retirada da sua vida real:

"Nunca houve uma verdadeira Billie Jean. A garota da música é uma mistura de pessoas com as quais os meus irmãos foram atormentados ao longo dos anos. Eu nunca conseguia entender como essas garotas poderiam dizer que estavam carregando o filho de alguém quando não era verdade."

Em 1983, no 26º Grammy a música Billie Jean arrecadou dois prêmios: Melhor Canção de Rhythm&Blues e Melhor Performance Vocal de R&B Masculino.


2. Thriller

Quem não se recorda das batidas de Thriller? A música de terror que dá nome ao álbum lançado em 1982 foi um dos ápices da carreira de Michael Jackson. O disco Thriller aliás, foi dos álbuns mais bem sucedido em termos comerciais de todos os tempos, alcançando 33 discos de platina.

A canção pop invoca um ambiente soturno, mal assombrado, escuro, que provoca arrepios no ouvinte. Já é madrugada quando o eu-lírico percebe um movimento estranho, que não consegue identificar, e o pânico toma conta do seu corpo.

A letra reproduz imagens dignas de um pesadelo ou retiradas de um filme de terror. Vemos o eu-lírico tentar gritar, sentir o coração parar de bater e o corpo congelar com medo das bizarras criaturas.

A noite de terror assombra o ouvinte, que sente, assim como o eu-lírico, o corpo paralisado e as mãos frias. Ele deseja com todas as forças que o cenário seja fruto apenas da sua imaginação. Aliens, demônios e fantasmas fazem parte dos seres assustadores que comparecem na letra.

O clipe, dirigido por John Landis (diretor de Um lobisomem americano em Londres, 1981) e lançado em 2 de dezembro de 1983, fez enorme sucesso. A produção, filmada em Los Angeles, foi a mais cara que já havia sido feita até então tendo custado meio milhão de dólares. O trabalho reúne uma forte caracterização, um cenário elaborado e figurinos apropriados para o tema (quem não se recorda da célebre jaqueta vermelha usada pelo Rei do Pop?).

O clipe recebeu alguns prêmios, entre eles o Grammy de Melhor Vídeo Musical Longo e três prêmios MTV Video Music Awards:



  3. Black or White

Confesso que Black or White é um dos meus videoclipes preferidos do Michael. “Black or White” foi o maior single de Jackson, na América, desde “Billie Jean”. Ela ficou no #1 da Billboard Hot 100 por sete semanas e se tornou o rock single mais vendido dos anos noventa. Ela também foi o maior sucesso global dele, atingindo o topo dos charts em vinte países, incluindo o Reino Unido, Austrália, Áustria, Bélgica, Cuba, Dinamarca, Finlândia, França, Israel, Itália, Japão, México, Noruega, Espanha, Suécia, Suíça e Zimbabwe.

O grande hit de Michael Jackson “Black or White” surgiu como uma espécie de resposta. A mudança de cor da sua pele era a cada dia mais questionada pela imprensa e haviam boatos de que ele teria mudado a cor de sua pele propositalmente, através de um tratamento intensivo com hidroquinona. Para os jornais, essa era uma excentricidade de Michael. Entretanto, na verdade o astro sofria de vitiligo, uma doença na qual ocorre a destruição total (ou parcial) dos melanócitos.

Durante anos Michael tentou esconder o caso usando uma maquiagem escura, da cor que era sua pele antes da doença. Os primeiros sinais de que sua pele estava ficando mais clara apareceram em 1979 e foram descobertos por seu dermatologista. O astro afirmou que teve pouco tempo para tratar o problema devido a promoção do seu álbum Off The Wall. Anteriormente a doença também se manifestou em um tio seu, o qual não tratou a doença e consequentemente ficou parcialmente branco.


“Black or White” foi uma explosiva fusão pop-rock-rap, com uma mensagem de harmonia racial e uma corrente de indignação. Isso foi em um momento em que tensões raciais estavam elevadas. O videoclipe é, sem dúvidas, o mais envolvente vídeo musical da carreira do MJ. O crítico cinematográfico Armond White o chamou de “um dos melhores vídeos musicais já feitos”.

4. Rock With You

Outra canção que eu gosto muito e não poderia faltar na lista é “Rock With You”. A canção é uma suave perfeição disco-pop-soul. Desde o rufar de tambores na abertura, Jackson se encaixa no groove vintage dela, cantando sem esforço, acima de um sutil background de percussão (incluindo palmas e estalar de dedos). “O que é extraordinário em ‘Rock With You’ é o quão discreta ela é” escreveu J. Edward Keyes da Rolling Stone.

O vídeo musical da canção, dirigido por Bruce Gowers, foi feito com um Jackson de vinte e um anos em um terno de lantejoulas, vintage, brilhante, dançando em meio à fumaça, luzes e lasers. Foi um grito distante dos curtas-metragens que viriam, mas a juventude atraente e a energia de Jackson continuam brilhando diante da tela.


“Rock With You” chegou ao 1º lugar no Hot 100 da Billboard, no início de 1980, tornando-se a primeira vez que Michael Jackson cantava sucessivos números 1, desde os primeiro dias dele com o Jackson 5'’.

5. You Are Not Alone

Lançada no disco HIStory (1995), a música You Are Not Alone foi composta por R. Kelly. A criação surgiu depois de um pedido de Michael, que ficou encantado após ouvir o disco Bump And Grind.

A letra fala da solidão e do abandono e faz com que o ouvinte sinta uma identificação imediata com o eu-lírico. Quando alguém parte, quem fica sente o peso do vazio e da saudade. Apesar de haver uma espécie de cena de despedida, o eu-lírico afirma que o interlocutor não está sozinho.


O clipe, dirigido por Wayne Isham, foi considerado bastante polêmico quando lançado porque exibia o cantor e a sua então esposa, Lisa Marie Presley, nus e aparentemente vulneráveis. As gravações foram feitas na propriedade Neverland e no teatro Hollywood Palace.

6. I Just Can't Stop Loving You

O primeiro single lançado do álbum Bad, “I Just Can’t Stop Loving You”, foi a maior estreia de uma música em 1987. Dentro de semanas, ela alcançou o #1 lugar na Billboard Hot 100, o primeiro de um recorde de cinco músicas do álbum ao chagar ao #1.

Foi escrita por Michael, e conta com a participação da então iniciante cantora Siedah Garrett. Não foi gravado nenhum videoclipe para essa canção, ao contrário dos singles posteriores, também lançandos para promover o álbum.


É uma baladinha muito gostosa de se ouvir, uma das minhas preferidas também. 

7. Human Nature

Uma das mais belas canções do catálogo de Michael, ‘Human Nature’, manteve-se um favorito dos fãs desde o seu lançamento. Uma das mais belas canções do catálogo de Michael, ‘Human Nature’, manteve-se um favorito dos fãs desde o seu lançamento. Michael Jackson uma vez descreveu “Human Nature” como uma “música com asas”. A metáfora foi adequada.

Uma linda balada de sintetizador, “Human Nature” desliza sem esforço por sequencias cintilantes e cenário brilhante. Uma música sobre desejo, juventude e anseio, ela evoca uma cidade vibrante, onde o narrador caminha no crepúsculo entre a realidade e o sonho.


Foi produzida por Quincy Jones e pelo próprio Jackson para o sexto álbum solo do cantor, Thriller, de 1982. E conseguiu chegar à segunda posição na parada de sucesso Hot Adult Contemporary da revista americana Billboard, e sétimo lugar no Hot 100, tornando-se o quinto hit de Jackson a chegar aos Top 10.


8. Will You Be There

"Will You Be There" foi lançada como single em 1993 como parte da promoção para o álbum Dangerous. A canção fez parte da trilha sonora do filme Free Willy. Recebeu 7 certificados de ouro, mais do que qualquer outro single do álbum e vendeu mais de 1,05 milhões de cópias. Dessa forma, entrou direto no top 10 de países como França e Alemanha. Na Europa em geral o single permaneceu como o nº1 de Michael, até 1995.

"Will You Be There" tem uma das letras mais bonitas e marcantes do cantor. Jackson revela que escreveu ela em cima de uma árvore no seu rancho Neverland. Os versos finais, sussurrados por Jackson, ganharam o nome de "oração". Pois contém uma das poesias mais lindas e visionárias do cantor. Michael também escreveu uma versão estendida do Will You Be There por seu livro 'Dancing The Dream ', que transportou as novas linhas suplementares no final da canção.


“Will You Be There” é uma música pessoal sobre uma condição universal. Se as palavras finais são dirigidas a Deus, uma amada ou a humanidade, como um todo, elas comunicam a elementar ânsia humana por amor e compreensão.’’

9. Gone Too Soon

Lançada como single no Dia Mundial da AIDS, em 01 de dezembro de 1993 presente no álbum Dangerous, ‘‘Gone Too Soon’’ foi inspirada em Ryan White, um adolescente americano diagnosticado com HIV/AIDS.

Um garoto comum de Kokomo, Indiana, Ryan contraiu o vírus da Aids através de transfusão de sangue contaminado. Ryan era um hemofílico. Posteriormente, ele foi rejeitado, escarnecido, intimidado e ameaçado pela violência de seus colegas de classe e comunidade. Quando Michael soube a respeito daquele garoto, se aproximou para oferecer sua amizade e apoio. Eles rapidamente se tornaram próximos.


A letra fala sobre a beleza, a transitoriedade e a fragilidade da vida. As palavras poderiam facilmente cair em um clichê e sentimentalismo nas mãos de um intérprete comum, mas Michael não era um desses. Michael colocou a alma nessa canção. Ouça!


10. We Are The World

A iniciativa para a criação de We Are The World foi liderada pelo empresário Harry Belafonte, que decidiu usar a sua preciosa rede de contatos para contribuir para a minimização da fome e de algumas doenças no continente africano.

A canção We Are The World acabou por ser cantada pela nata de artistas norte-americanos, entre os famosos estavam Stevie Wonder, Diana Ross, Bob Dylan e Tina Turner.

Os autores da canção foram o Rei do Pop e Lionel Richie. Ambos abraçaram a causa imediatamente e mobilizaram todos os esforços para levar a frente a campanha de caridade que visava melhorar as condições de vida na África.

A letra procura sensibilizar o público fazendo-o compreender que vivemos em rede, somos responsáveis também por quem está ao nosso redor (seja mais perto ou mais distante). A canção empodera o ouvinte e o mobiliza a efetivamente agir.

A gravação, realizada em janeiro de 1985, contou com a presença de 46 cantores super populares. No dia 7 de março a gravação foi transmitida pela primeira vez no rádio. Os lucros obtidos foram distribuídos para uma série de países como a Etiópia e o Sudão. A iniciativa foi um sucesso absoluto tendo arrecadado mais de cinquenta e cinco milhões de euros segundo a Forbes.


We Are The World recebeu quatro prêmios Grammy em 1985, foram eles: Melhor Gravação do Ano, Canção do Ano, Melhor Clipe e Melhor Performance Pop de Dupla ou Conjunto.

Após o terremoto de 2010, no Haiti, a canção foi regravada com o intuito de ajudar as vítimas da terrível catástrofe natural.

11. Heal The World

Inserido no álbum Dangerous, lançado em 1991, Heal The World foi bastante julgada por uma parcela de críticos norte-americanos que achavam a canção muito parecida com We Are The World.

Ambas as canções partilham um objetivo comum: apelam para que o ouvinte transforme o mundo em um lugar melhor. As duas letras convocam quem está do outro lado a efetivamente atuar e promover a mudança que deseja assistir na sociedade.

Longe de serem canções conformadas, o que elas pretendem é instaurar no ouvinte a atitude de mobilização e reação: "If we try we shall see" (Se nós tentarmos, nós veremos).

A letra entusiasma o ouvinte a abandonar a sua zona de conforto e, de fato, agir. A ideia é que, se atuarmos já - aqui e agora -, poderemos transformar o mundo em um lugar melhor. Michael nos estimula não só a pensar em um futuro melhor para os nossos filhos e netos como também para toda a raça humana.


Em 1992 o cantor criou a Fundação Heal The World, um espaço para ajudar crianças ao redor do mundo dando acesso à educação, tratamentos de saúde e prevenções contra o uso de drogas. O nome da organização foi dado justamente em homenagem à canção.


12. Beat It

E para finalizar essa lista com chave de ouro, escolhi Beat It. Lançada em 1983, foi a última canção composta para o álbum Thriller. Na ocasião o produtor Quincy Jones havia pedido para Michael criar uma música de rock, foi dessa "encomenda" que surgiu Beat It.

A canção que ficou consagrada como um dos maiores sucessos do Rei do Pop conta com o solo de guitarra de Eddie Van Halen, que se sentiu tão honrado por ser convidado para participar da gravação que se recusou a receber qualquer tipo de pagamento.

A letra de Beat It pretende deixar claro para o ouvinte que se deve abominar toda e qualquer forma de violência, por mais que se esteja vivendo uma tremenda injustiça.

O eu-lírico é bastante direto quando orienta que devemos nos afastar de tudo o que promova a violência. Mesmo que tenhamos razão na questão, mais vale sair de cena do que partir para a agressão física.


A letra, criada no princípio dos anos oitenta, é uma resposta às brigas de rua que aconteciam entre gangues rivais nos Estados Unidos. As palavras são frontais: é melhor fugir de uma situação de perigo do que enfrenta-la e correr o risco de ser agredido: "Don't wanna see no blood, don't be a macho man" (Não queira ver nenhum sangue, não seja um machão).

Michael Jackson disse em entrevista a respeito da composição da música: "Para mim, a verdadeira bravura está na resolução das diferenças sem uma luta e tendo a sabedoria para fazer esta solução possível."

-

Bem, aqui está algumas canções, porém eu recomendo ir atrás de mais outras, pois o repertório do MJ é grande e tem muita qualidade envolvida, letras profundas e ritmos únicos. Como legado, o artista deixou não apenas suas canções, mas também elevou a maneira de fazer música a um novo patamar, influenciando e inspirando toda uma geração. Descanse em paz!

E você? Qual sua canção ou canções favoritas do Rei do Pop? É complicado listar, né? São tantas, mas faz aí nos comentários. Fico por aqui. Até a próxima!

Um comentário:

  1. Oi, Walter!

    Tudo bem por aí com você?
    Aqui, tudo normal, mas com mto trabalho na escola (sou professora, creio k já te disse) até ao final desse mês.

    Um cantor, que ficou na história da música. Não faz meu género, mas tenho de reconhecer seu talento.

    Abraços e dias felizes.

    ResponderExcluir