O Que Há de Novo em Séries #23 – The Office - O Planeta Alternativo

quinta-feira, 13 de junho de 2019

O Que Há de Novo em Séries #23 – The Office

Uma equipe de televisão resolve acompanhar o dia a dia de um escritório da empresa distribuidora de papel Dunder Mifflin e o cotidiano de seus empregados. Essa é a premissa da versão americana de The Office. A série estreou em 2005 adaptada a partir da original britânica criada e dirigida por Rick Gervais. Tudo bem, a série não faz parte do grupo das novatas, mas até então eu nunca tinha assistido. Então, vale a pena incluir ela aqui.

Adepta do formato “mockymentary” – um documentário fictício –, a série é filmada com uma única câmera e sem a característico “claque” (as risadas, aplausos e ovações de fundo) das sitcoms americanas. A presença do cinegrafista é reconhecida por todos os personagens, quebrando a “quarta parede” ao olharem diretamente para a câmera e, consequentemente, para o público. A narrativa intercala cenas do cotidiano dentro do escritório da Dunder Mifflin em Scranton, na Pensilvânia, com entrevistas “confessionais” individuais ou em duplas com os empregados. Tais entrevistas são marcadas por olhares e caras constrangidos, como uma marca registrada da série. Em certos casos, alguns personagens tiram proveito da presença da câmera, e em outros ela invade a privacidade de momentos em que os personagens acreditavam estarem sozinhos.

The Office

Por sete temporadas, o responsável por comandar o escritório é Michael Scott (interpretado por Steve Carell), gerente regional da região de Scranton e o melhor amigo de todos os seus colegas de trabalho; já os empregados em questão não acham o mesmo. Sendo dono de um entusiasmo indestrutível, Michael acredita ser o cara mais engraçado e querido do escritório, sem saber como realmente é visto por seus funcionários. Participa do documentário com entusiasmo, sempre querendo se mostrar sábio perante as câmeras, mas nem todos agem como ele quando o cinegrafista está por perto. A recepcionista Pam Beesly (interpretada por Jenna Fischer), por exemplo, se mostra incomodada ou constrangida sempre que as lentes a focam.

O “pseudo-documentário” aborda a por vezes complicada, divertida, tediosa e banal convivência dos colegas de trabalhos enquanto fazem seu serviço e ainda precisam aturar o chefe em um escritório que poderia ser o seu. Dentre os funcionários estão o premiado vendedor Dwight Schrute (interpretado por Rainn Wilson), assistente do gerente regional, cuja personalidade autoritária e fanática por ficção científica sempre entra em conflito com Jim Halpert (interpretado por John Krasinski), o bem humorado representante de vendas que mantém uma forte amizade com a recepcionista Pam, marcada por uma tensão sexual – ainda que Pam comece a série noiva de Roy, o cara que repõe o estoque do escritório.

Steve Carell, que ganhou um Globo de Ouro em 2006 por seu sem-noção Michael Scott além de seis indicações consecutivas ao prêmio de Melhor Ator em Série de Comédia no Emmy, resolveu não renovar seu contrato após a sétima temporada. Na oitava, James Spader (de Boston Legal) entrou para a série como Robert California, o novo gerente regional da Dunder Mifflin, sendo que a série foi encerrada na 9ª temporada. Recomendo a série!

Um comentário:

  1. Steve Carrell é fantástico.
    E Ricky Gervais um fenómeno!!!
    Aquele abraço, bfds

    ResponderExcluir