Minha Memória de Séries #48 – Harper's Island - O Planeta Alternativo

sábado, 8 de junho de 2019

Minha Memória de Séries #48 – Harper's Island

Há um bom tempo que venho pensando na série Harper's Island para o Minha Memória De Séries. Acompanhei a série em 2009 nas noites do SBT, até então em horário nobre. A série é fechadinha (com apenas 1 temporada), bem escrita, com enredo bacana, personagens cheios de nuances interessantes e um mistério que consegue sustentar bem a trama por seus treze episódios.

A história gira em torno de Abby Mills (interpretada por Elaine Cassidy) que, depois de ter sua mãe assassinada pelo serial killer John Wakefield sete anos atrás, volta a ilha onde morava (Harper’s Island) para o casamento de seu melhor amigo de infância Henry Dunn (interpretado por Christopher Gorham). Porém, o retorno a ilha torna-se um pesadelo quando uma nova matança começa a acontecer e nenhum dos convidados do casamento ou moradores da ilha estão salvos. Esta é a única breve descrição que darei sobre a série, pois com um suspense bem escrito, qualquer informação que eu possa dar a mais pode estragar o mistério criado por Harper's Island.

E por falar em mistério, ele é realmente o ponto forte da trama, pois além do conhecido “quem matou”, ficamos tentando entender o motivo dos assassinatos, e é aí que está um dos principais diferenciais da série! Normalmente em filmes e seriados deste gênero, vemos muitos suspeitos e todos com motivos para serem o assassino, em Harper's Island não existem suspeitos (fora Wakefield que foi morto pelo pai de Abby após a primeira matança) e muito menos motivos para os assassinatos que estão ocorrendo. Mas será que John Wakefield foi morto mesmo? Se sim, quem é o assassino? E qual o motivo? Dúvidas que nos perseguem por todos os episódios…

Harper's Island

Como todo bom suspense, a série conta com uma criança que é assustadora mesmo “sem querer ser querendo”, e histórias secundárias interessantes que não atrapalham o mistério central. A série contempla muitos personagens e todos ganham a relevância necessária ao longo dos episódios antes de morrer, exceto um ou dois, mas os mais interessantes vão permanecendo vivos, garantindo bons plots para série e deixando o suspense do “quem matou” ainda mais difícil de ser desvendado.

Outro ponto positivo da série é que, por se tratar de uma série fechada, todo episódio é relevante e o ritmo da série é acelerado e intenso. A ”mocinha” irrita menos e erra menos do que o normal em comparação a outras produções do gênero, o que não nos faz ter tanta raiva dela. As mortes também podem ser destacadas como outro destaque da série, visto que apenas mais pro final vemos aquele senso como de assassino correndo atrás de vítima, até mais da metade dos episódios ela acontece por armadilhas, o que nos faz ficarmos apreensivos a todo momento, pois pode acontecer a qualquer hora; fora que combina com todo aquele cenário de ilha, natureza, pesca…

Além disso, o sofrimento não é explorado só com intuito de chocar, gosto de ver séries de suspense “quem matou” e suas as mortes, e o bom de Harper's Island é que não ficamos assistindo vísceras de fora, cérebros estourados, tripas espalhadas ou coisas do tipo. A “exploração” das mortes acontece no ponto ideal, sem qualquer exagero. E o último elogio é o final, a resolução do mistério é satisfatória e os episódios finais alucinantes.

Enfim… Harper’s Island é uma série que eu aconselho a todos os que gostam de um bom suspense a assisti-la. Eu fico pensando aqui: Por que não se fazem mais séries assim? De uma temporada, fechada, sem a pretensão de durar anos e anos e depois se perder (temos muitas aí atualmente como exemplo). Enfim, se alguém leu e conhece alguma outra série que foi no mesmo estilo de Harper's Island, a caixa de comentários é livre. Fico aqui. Até mais!

Um comentário:

  1. Já está anotada para ver há algum tempo. Gostei da premissa da série.
    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir