Para Ler, Ver e Ouvir!

sexta-feira, 28 de junho de 2019

30 Atrações Que Eu Vi Na TV Cultura

Nos últimos dias foi anunciado que a TV Cultura pretende lançar um canal no Youtube com todos os seus clássicos na íntegra. No próprio Youtube podemos assistir ''Castelo Rá-Tim-Bum'' na íntegra em seu canal oficial. Porém, dessa vez todos os clássicos produzidos pela emissora serão disponibilizados em um único lugar. Sim, a TV Cultura lançara o canal ''Eu vi na Cultura'', reunindo todos os seus clássicos com seus episódios completos. Que demais, não é? Eu cresci assistindo a programação da rede e decidi criar essa lista para divulgar essa ótima notícia. E quem sabe algumas dessas atrações que marcaram a grade da emissora não aparecem no novo canal, não é mesmo? Mas antes preciso falar um pouco dessa rede de TV aberta incrível que temos em nosso território.

Ilustração: OPlanetaAlternativo.com
A TV Cultura tem uma posição relevante no contexto da televisão brasileira, com um nível de audiência pouco habitual entre as televisões educativas e culturais de todo o mundo. Esse desempenho, conquistado em mais de cinco décadas de atividades, se deve a dois fatores fundamentais: Uma estrutura institucional independente e uma programação alternativa de alto nível. Desde sua criação a emissora iniciou uma bem-sucedida tradição de produções infanto-juvenis. Desde então vem realizando programas desse tipo e já conquistou com eles uma série de prêmios nacionais e internacionais. Desenvolveu um estilo próprio, mantendo-se sempre em dia com as mais novas tendências em educação e atualizando a linguagem e a estética a cada novo programa. Esses programas oferecem, lado a lado, conhecimento e entretenimento, auxiliando no desenvolvimento e aperfeiçoamento cultural e intelectual de crianças e jovens, e servindo ainda de apoio à educação formal, como complemento à escola.

Entre seus diversos públicos, a criança sempre foi a maior a preocupação da rede; por isso, a TV Cultura dedica especial atenção aos temas da infância, cobrindo-os com regularidade e realizando especiais que focalizam o assunto com a seriedade que ele merece. Além disso, a emissora é responsável por uma programação infanto-juvenil que se destaca no cenário nacional pela qualidade e pelo respeito conquistado junto ao público e à crítica.

Eu fui uma criança privilegiada por acompanhar tantos programas de qualidade. E através dessa lista quero reunir programas de qualidade dessa rede incrível que permanece ainda no ar levando qualidade a tantas famílias. 

Isso não é um post pago, não estou recebendo 1 centavo para divulgar o mais novo canal do youtube da TV Cultura. É por livre espontânea vontade que faço essa listinha especial. Então, vamos lá, né? Embarcar em uma nostalgia incrível. Siga-me os bons!

01. Castelo Rá-Tim-Bum

Inteligente e divertido, CASTELO RÁ-TIM-BUM, dirigido por Cao Hamburguer, foi uma superprodução premiada da TV Cultura, realizada com apoio do SESI (Serviço Social da Indústria). 

As envolventes histórias apresentadas a cada episódio da série se desenvolvem no CASTELO RÁ-TIM-BUM, onde vivem curiosos moradores. Doutor Victor (interpretado por Sérgio Mamberti), dono do castelo, é um simpático mago e inventor. Com 3.000 anos, garante que foi assistente do famoso Leonardo da Vinci. Sua tia, a feiticeira Morgana (interpretada por Rosi Campos), com 5.999 anos, está sempre relembrando os grandes acontecimentos da história universal que presenciou. O sobrinho Nino (interpretado por Cassio Scapin) é o aprendiz bagunceiro, um garoto de apenas 300 anos que protagoniza a série. Ele vive grandes aventuras ao lado de estranhos bonecos e das crianças Pedro (interpretado pelo Luciano Amaral), Biba (interpretada por Cinthya Rachel) e Zequinha (interpretado por Fredy Allan), que o visitam diariamente, e de simpáticos bonecos.

Castelo Rá-Tim-Bum
Na questão educacional, a série contribui para a formação de crianças de 4 a 8 anos. Os conteúdos abordados dentro da série foram algumas noções de Ciências, História, Matemática, Música, Artes Plásticas, Ecologia, Cidadania e Incentivo à Leitura, são tratados de forma a ampliar o conhecimento da criança, despertando o seu interesse para as áreas fundamentais ao seu desenvolvimento global. 

A série explorou a riqueza e a magia do universo infantil, utilizando sofisticados recursos e trabalhando simultaneamente com atores, bonecos, animações e uma grande variedade de efeitos especiais. Conta ainda com uma trilha sonora especialmente composta, que cativa as crianças com suas canções. 

O castelo é frequentado ainda por mais cinco convidados especiais, que aparecem provocando divertidas situações. 27 diferentes quadros, produzidos a partir das mais variadas técnicas, colaboram para tornar o programa ainda mais dinâmico e atraente e para transmitir importantes conceitos pedagógicos.

A série ainda hoje é reprisado e com grande sucesso. Eu acompanhei por anos e posso me arriscar em dizer que Castelo Rá-Tim-Bum é o nosso Harry Potter brasileiro. E também originou um filme que eu assisti também quando mais novo. Só que a série é bem mais legal. Eu recomendo!

02. Rá-Tim-Bum

Grande sucesso junto ao público infantil brasileiro, a série, produzida pela TV Cultura traz situações estimuladoras e divertidas, os programas apresentam conteúdos como noções básicas de raciocínio lógico-matemático, lateralidade, comportamento, percepção visual e auditiva e socialização. Utilizando uma grande diversidade de recursos e técnicas televisivas (bonecos, atores e animações), os programas apresentam uma linguagem dinâmica, sendo divididos em pequenos quadros, cada um com seus personagens e objetivos pedagógicos específicos.

O mundo RÁ-TIM-BUM nasce na sala de uma família, no momento em que a televisão é ligada. Lia e Ivo, as duas crianças da família, vêem materializar-se através da luz da TV inúmeras atrações. Num mesmo programa podem aparecer as mais diferentes situações e personagens, da fada Dalila, que resgata o mundo mágico da fantasia, ao detetive Máscara, um mestre em disfarces que tenta solucionar curiosos mistérios, geralmente auxiliado por seu assistente Roi, um inteligente ratinho. Essa diversidade serve para estimular a criança, ajudando a prender sua atenção.

Senta que lá vem a história!
A série traz ainda personagens como o Professor Tibúrcio, um mestre meio maluco, que usa os mais estranhos objetos como material didático e ensina uma classe virtual; uma contadora de histórias que utiliza objetos inusitados para reforçar sua narrativa; dois astronautas de outro planeta que viajam para a Terra para realizar missões secretas; um cameraman, uma repórter e um âncora de um incrível telejornal, entre tantos outros.

Uma cena memorável é o quadro do ''SENTA QUE LÁ VEM A HISTÓRIA'', o menino que fica sentado no sofá comendo uma maçã. Quem lembra? Muito bom!

03. Cocoricó

Cocoricó
Um programa de bonecos manipulados e interpretados por atores ambientado num paiol, onde os personagens se encontram para conversar sobre o mundo real. O menino Júlio mora na fazenda de seu avô e, todos os dias, vai ao paiol onde vivem o cavalo Alípio, a vaquinha Mimosa, o papagaio Kiko, seu sobrinho Kako e as galinhas Lola, Zazá e Lilica. 

Juntos, eles discutem temas como as estações do ano, comidas típicas e clima, e assistem a desenhos animados da Alemanha, Inglaterra e França. Os desenhos apresentam a maior variedade possível de técnicas e passam conceitos de amizade e cidadania.

Um dos grandes sucesso da TV Cultura. No início, o projeto original do programa era que o Júlio e os avós seriam humanos reais e o nome do programa seria Fazenda Rá Tim Bum, porém, não foi adiante. Que bom, né? Da forma simples como foi feito foi um sucesso de cara e permaneceu no ar por 8 temporadas!

04. Mundo da Lua

As fantasias de Lucas, um garoto de 10 anos conduzem as divertidas histórias vividas pela família Silva e Silva. Este seriado, produzido pela TV Cultura, explora a temática familiar focalizando, de forma bem-humorada, o cotidiano dos Silva e Silva, uma típica família de classe média brasileira. As histórias se desenvolvem sempre a partir das fantasias do filho caçula, Lucas, um menino de 10 anos, esperto, curioso e sonhador. Usando o gravador que ganhou do avô, o garoto narra num diário suas experiência cotidianas, questionando os valores que lhe são apresentados e modificando a realidade conforme sua imaginação de menino. Os Silva e Silva moram no sobrado do avô Orlando (interpretado por Gianfrancesco Guarnieri). Rogério (interpretado por Antônio Fagundes) e Carolina (interpretada por Mira Haar) são os pais de Juliana (interpretada por Mayana Blum) e de Lucas (interpretado por Luciano Amaral), o protagonista da série.

Mundo da Lua
Além do núcleo principal, o seriado tem a participação de outros importantes atores da televisão brasileira como Laura Cardoso, Lucinha Lins, Flávio de Souza e Marisa Orth. Cativante para telespectadores de todas as idades, o seriado procura reforçar comportamentos comuns nas relações entre pais e filhos, recuperando sentimentos e atitudes que são valorizados ao longo dos episódios. Temas importantes como a responsabilidade na escola e no trabalho, as regras de higiene e alimentação são abordados ao lado de assuntos como a gravidez, a super proteção dos pais e a independência dos filhos.

Mundo da Lua também gerou um spin-off chamado Lucas e Juquinha em Perigo! Perigo! Perigo!. Também uma premiada série sobre prevenção de acidentes infantis, dirigida por Cao Hamburguer. Na época, pesquisas constataram que a grande maioria dos acidentes infantis acontece em casa com objetos deixados ao alcance das crianças. A partir disso foram gravadas cinco vinhetas de um minuto cada em que facas, ferros de passar roupas, panelas no fogão, remédios e produtos de limpeza desencadeiam situações de perigo que, na série, são vividas por Juquinha, um garoto de cinco anos que a todo momento está prestes a se acidentar, mas é sempre salvo por Lucas. De forma bem-humorada, as vinhetas utilizavam a linguagem do desenho animado, com planos, cores e trilhas sonoras que remetem a séries do estilo Tom & Jerry.

05. Ilha Rá-Tim-Bum

Ilha Rá-Tim-Bum
Solidariedade é o tema geral da série, presente em todos os episódios. É a mola propulsora das escolhas que os personagens fazem, de seus atos heroicos. A grande história da série é a de que os 5 heróis precisam se juntar, deixar de lado suas diferenças, imbuir-se de solidariedade, para vencer o vilão.

Cinco jovens chegam por acidente a uma ilha desconhecida. Sem ter como sair dela, vão ter que enfrentar o terrível vilão Nefasto e descobrir um jeito de fazer novos amigos nesse lugar misterioso e cheio de criaturas incríveis. É a premissa da série ''Ilha Rá-Tim-Bum'' produzida também pela TV Cultura.

A história gira em torno de três adolescentes e duas crianças que iam participar de uma apresentação de seu coral em uma ilha, porém, no dia de embarcarem perderam a balsa e foram obrigados a ir para a ilha numa lancha, mas eles não esperavam que durante o trajeto o combustível acabasse, desta forma, deixando-os presos no meio do oceano atlântico. Dias depois foram parar numa ilha deserta, que além de não existir no mapa, é habitada por seres estranhos e fantásticos! Não tendo como saírem da ilha, eles vivem grandes aventuras. Enquanto exploram o desconhecido, também aprendem a conviver, a respeitar a natureza, a sobreviver enfrentando situações inusitadas e o vilão Nefasto, que pretende vigiá-los, testá-los e estudá-los para aprender a lidar com a raça humana, e assim obter conhecimento suficiente para dominá-la.

Criada por Flávio de Souza, a série começou a ser elaborada desde o fim de Castelo Rá-Tim-Bum, em 1997.  Porém só foi ao ar mesmo em Julho de 2002, permanecendo reprisado durante alguns anos e foi numa dessas reprises que eu pude assistir a série nas tardes do canal. Fiz uma lista de séries brasileiras que marcaram minha infância e esqueci totalmente dessa série que também acompanhei, então aproveitando isso eu incluo ela aqui. 

06. X-Tudo

X-Tudo era uma revista infantil de variedades que apresenta uma paginação dinâmica e colorida, focalizando assuntos que estão presentes no cotidiano da criança, através de matérias informativas e quadros criativos. O programa utilizou uma linguagem moderna e bem-humorada para passar informações e conceitos de importantes áreas do conhecimento, como Ciência, Música, Literatura e Ecologia.

X-Tudo
Dirigido à faixa etária de 7 a 12 anos, o X-TUDO é comandado pelo boneco "X", manipulado pelo ator Fernando Gomes. O "X" representa a curiosidade infantil e está sempre pronto a esclarecer as dúvidas das crianças. Ainda no elenco estavam os atores Márcio Ribeiro, Norival Rizzo e Raquel Barcha, e até então ainda crianças Rafael Meira e Fernanda de Souza (antes das Chiquititas).

Alguns quadros do X-Tudo foram:
Você Sabia: Simula um programa de televisão de perguntas e respostas no estilo "O que é, o que é?"

Quem é Você: Enfoca o cotidiano de uma criança ressaltando aspectos de sua vida, como pais separados, irmãos gêmeos e crianças de ascendência oriental. 
Sherazade: Sobre um grande livro voador em um cenário que é uma grande biblioteca, a lendária contadora de histórias destaca os aspectos mais interessantes dos livros e incentiva o hábito da leitura.
Experiência: O quadro apresenta experimentos artísticos e científicos que podem ser facilmente executados pela criança em sua própria casa.
Ecologia: O quadro trata de questões ambientais mostrando a relação do homem com a cidade. Culinária: Traz receitas fáceis e nutritivas adequadas à faixa etária, acrescentando ainda informações sobre as propriedades dos alimentos. 
X da Palavra: Explica a origem e variações de palavras frequentemente encontradas no vocabulário infantil.

07. Glub Glub

Glub Glub
Combinando diferentes técnicas televisivas, o programa reproduz o fundo do mar, onde dois simpáticos peixinhos, o Glub e a Glub, e a carangueja Carol, se reúnem para comentar aspectos da vida infantil. Esses personagens têm contato com a vida externa através de um aparelho de TV estrategicamente jogado no fundo do Oceano. O programa reúne produções diferenciadas de diversos países, como Alemanha e Inglaterra, que unem humor a um conteúdo educativo. São filmes de animação e desenhos produzidos a partir de diferentes técnicas, como massinhas, bonecos, marionetes e recortes.

Era dentro também desse programa que foram apresentados diversos desenhos animados e que vou incluir individualmente nessa lista alguns deles.

08. Confissões de Adolescentes

Confissões de Adolescentes
Série escrita a partir da vivência de uma adolescente, conta os conflitos e experiências de quatro irmãs. O universo jovem, com seus conflitos e descobertas, é focalizado segundo a ótica irreverente e bem-humorada do próprio adolescente neste importante seriado, indicado ao Emmy de 1995 na categoria de melhor programa para jovens.

O seriado foi inspirado na peça homônima da jovem atriz Maria Mariana, que decidiu encenar as confissões, segredos e situações anotadas em seu diário pessoal. A repercussão da peça, assistida por mais de 200 mil pessoas no Brasil, motivou a realização desta co-produção entre a TV Cultura e a Dez Produções, com direção de Daniel Filho, um dos mais importantes profissionais da televisão brasileira.

Com roteiros de Euclydes Marinho, o seriado mescla a linguagem de ficção e documentário, através de depoimentos dos personagens sobre as situações abordadas em cada episódio. CONFISSÕES DE ADOLESCENTE tem como personagens centrais quatro irmãs, uma delas vivida pela própria Maria Mariana e as outras pelas atrizes Georgiana Góes, Deborah Secco e Daniele Valente, que moram com o pai, interpretado pelo grande ator Luis Gustavo, num apartamento de classe média no Rio de Janeiro. Os episódios mostraram momentos da vida das quatro garotas, que estão em fases diferentes da adolescência, e as dificuldades e surpresas do pai ao lidar com essas questões. Os episódios abordam com fidelidade temas importantes do universo jovem, retratando questões como relacionamento amoroso e sexual, a ânsia de liberdade, o desejo de enfrentar o mundo, a experimentação e a contestação, comuns a uma fase cheia de medos, conflitos e descobertas, que vai marcar de forma definitiva o futuro de cada uma.

10. Tudo Que é Sólido Pode Derreter

Na série acompanhamos as aventuras de Thereza (interpretada por Mayara Constantino) e seus amigos nesta divertida crônica juvenil recheada de emoção, descobertas e livros... muitos livros 100% brasileiro. A série busca explorar de forma atraente e com bom muito humor o universo adolescente a partir do cotidiano da jovem Thereza, que estuda na escola grandes obras da literatura de língua portuguesa, descobrindo e envolvendo-se com suas histórias.

A série foi derivada do premiado curta-metragem de mesmo nome, dirigido por Rafael Gomes, que agora adapta a trama para uma construção dramatúrgica em capítulos.

O curta-metragem Tudo o que é sólido pode derreter é uma porta de entrada para o universo shakespeariano. Contando a história de uma garota de 15 anos que tem de estudar a peça Hamlet, de Shakespeare, justamente numa fase em que sua vida está em crise, o filme coloca numa mesma mistura, entre outros, a solidão e a angústia características da adolescência, a vida escolar e a dor da perda de um parente querido – tudo permeado pela descoberta de um clássico da literatura universal.

Tudo Que É Sólido pode Derreter
Tudo o Que É Sólido Pode Derreter, a série, visa adaptar essa premissa para uma construção dramatúrgica em capítulos. Terá a mesma jovem do filme como personagem fixa, descobrindo e envolvendo-se, a cada episódio, com uma obra importante da literatura de língua portuguesa, seja ela um romance, uma peça de teatro ou um poema.

Viajando por entre o O Auto da Barca do Inferno, Os Sermões, Os Lusíadas, Canção do Exílio, Senhora, Macário, Dom Casmurro, Ismália, Quadrilha, Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres, Quem Casa Quer Casa, O Guardador de Rebanhos e Macunaíma, a série dialoga com o público jovem da atualidade, traçando paralelos entre livro e vida e construindo uma crônica juvenil delicada e divertida, que mescla humor e drama para abordar o tema da transição para a idade adulta.

Nos 13 únicos episódios da série acompanhamos a aproximação da adolescente à obra em questão, traçando paralelos lúdicos e sentimentais. São amplamente exploradas as possibilidades cênicas e dramáticas do encontro entre a realidade juvenil retratada e o vasto mundo ficcional presente na obra literária.

A série busca equilibrar um tom realista, de observação das dores e alegrias da personagem adolescente, e o lado fantasioso de encontro entre a vida real urbana com todo um universo ficcional distinto, que possibilita à mente jovem ousados voos associativos e imaginativos. Possui um ponto de vista bastante subjetivo. O espectador é sempre guiado pelo olhar da protagonista e a costura entre seu cotidiano e a obra por ela estudada se dá através do seu mundo e de seus sentimentos.

Para acompanhá-la nessa jornada pelo universo literário, Thereza conta com seus amigos Marcos, Letícia e João Felipe, sua rival, Dalila, seus pais, Marta e Décio, e a lembrança de seu falecido tio, Augusto.

11. Um Menino muito Maluquinho

Um Menino muito Maluquinho é uma série de televisão brasileira de fantasia infanto-juvenil. A série foi baseada na obra e série de livros homônima do cartunista brasileiro Ziraldo, tendo 26 episódios e uma temporada. Teve direção de César Rodrigues e roteiro de Cao Hamburguer (nome familiar nessa lista de atrações) e Anna Muylaert, autora de alguns livros do personagem.

Um Menino Muito Maluquinho
A primeira mostra o Maluquinho adulto, com 30 anos (interpretado por Fernando Alves Pinto); outra fala de quando ele era bem pequeno, com cinco anos (interpretado por Felipe Severo); e a maior parte dos episódios é sobre o Menino Maluquinho com a mesma idade que ele tem nos livros, 10 anos (interpretado por Pedro Saback). Os pais do garoto são interpretados pela atriz Maria Mariana e pelo ator Eduardo Galvão. Também estão na série a professora do Menino Maluquinho, o vovô Hortêncio e os amigos Bocão, Júlia e Junim.

Bom, não foi exatamente uma produção da TV Cultura, porém esteve na grade de programação também. A série televisiva se focaliza nas aventuras do protagonista fictício, Menino Maluquinho, e seus amigos aos 5 e 10 anos, na qual aborda temas sobre arte, tempo, amizade, escola e outros aspectos da vida, sendo geralmente narradas por uma versão de 30 anos. Uma ótima ideia e muito bem executada. Tanto é que rendeu uma ótima audiência e inclusive muitos prêmios, como o prêmio Japão do NHK Japan Prize, e indicado ao Emmy Award Internacional como melhor programa Infanto-juvenil, de 2007.

12. A Turma do Pererê

A obra do cartunista e escritor Ziraldo traz os exuberantes recantos naturais do Brasil para a televisão, utilizando recursos de dramaturgia, animação, música e linguagem dos quadrinhos. A Amazônia, o Pantanal, as Cataratas do Iguaçu e a Chapada Diamantina são alguns dos cenários das aventuras dos personagens que são a síntese do povo brasileiro. A série é destinada às crianças e adolescentes, público carente de um programa brasileiro, que fale de sua gente, de seu país, dos seus problemas.

A Turma do Pererê
Baseada nos quadrinhos criadas pelo mesmo. Os quadrinhos começaram a ser publicados na revista O Cruzeiro, em 1959, e em outubro de 1960 ganharam sua própria revista intitulada Pererê. A revista foi produzida mensalmente até 1964, quando a instauração da Ditadura Civil Militar Brasileira retirou as revistas das bancas. Em 1975, a editora Abril reiniciou a produção da história que gerou dez novos números. A primeira temporada da série A Turma do Pererê foi exibida originalmente em 2001 na extinta TVE Brasil, às 11h. Para trazer a linguagem dos quadrinhos para o âmbito da televisão as passagens são desenvolvidas com animações, como a abertura e onomatopeias de que servem de setas indicativas para os próximos acontecimentos.

A música de abertura era muito legalzinha, eu ficava cantando junto ''Viver dá pé, dá pé viver, pé de saci, pererê, pererê, pererê, pererê...''. Eu pude assistir tanto no canal original a TVE Brasil como também na TV Cultura, por isso decidi incluir na lista.

13. Galera

Galera
Usado também como GALΣⓇA foi um seriado brasileiro produzido e exibido pela TV Cultura. Teve apenas duas temporadas. A série, inspirada nas temáticas de outra produção da emissora, Confissões de Adolescente, abordava o universo dos adolescentes com um olhar verossímil, incluindo questões como uso de drogas, homossexualidade, sexo, amores e primeiro emprego.

A galera do ''Galera'' era formada por adolescentes que estudam na mesma classe de uma escola pública. Além dos alunos, a turma é formada, também, pelos professores, um diretor e, é claro, não poderia faltar o inspetor da escola. De repente, você topa com alguém muito parecido com você. Os problemas que essa galera vive na telinha podem ser bem semelhantes aos seus.

A cada episódio desta série produzida pela TV Cultura abordava um tema.  A série foi indicadao ao Prémio Emmy Internacional na categoria Melhor programa infantojuvenil em 2004.

14. Manos e Minas

Manos e Minas
O universo do jovem da periferia e o resgate de histórias da cultura brasileira e internacional são marcas registradas do programa Manos e Minas, é exibido há anos pela TV Cultura. Foi comandada por um tempo pelo rapper Max B.O. a atração aposta nos segmentos de música, esporte, danças, comportamento, grafite e cinema alternativo.

O Teatro Franco Zampari, em São Paulo, é palco para o espetáculo e conta com a participação da plateia para o debate de reportagens. Ritmos como rap, funk, reggae e samba estão ainda presentes na programação, com apresentação de artistas populares e dançarinos.

Manos e Minas surgiu para cobrir uma lacuna na TV aberta, ainda carente de programas que falem diretamente com o jovem de periferia, protagonizados por eles mesmos.

Atualmente, o Manos e Minas é apresentado pela atriz e cantora brasileira Roberta Estrela D'Alva, ao lado do DJ Erick Jay. O cenário do programa foi repaginado para se assemelhar à uma estação de metrô. Com a entrada de Roberta, o programa passou a contar com uma modalidade de poesia falada, o Slam, já que Roberta foi a pessoa que trouxe o esse tipo de poesia para o Brasil.

15. Programa Novo

Programa Novo
Talvez poucos possam lembrar desse programa, o ''Programa Novo'' foi exibido lá por 2009 e 2010 no começo das noites da TV Cultura e pegou aquela época em que as redes sociais estavam bombando.  Destinado ao público jovem, tinha como característica a participação do telespectador, que interagia mandando vídeos, escolhendo as pautas, inclusive o nome do próprio programa definitivo foi definido através de votação.

Focado na Web 2.0, os internautas podiam através de um chat da página do programa fazer comentários, e no site existia opção para envio de vídeos que ganhavam prêmios. Além disto o programa possuía Twitter, Orkut, My Space, interação via SMS, onde seu conteúdo era construído de forma coletiva através da leitura de mensagens enviadas pelo público. Durante suas exibições eram exibidos dicas de sites da Internet e vídeos top do You Tube.

16. Urbanoídes

Urbanoídes
Primeira série brasileira de animação com massa de modelar criada pelo diretor Cao Hamburguer (olha ele novamente na lista) e pelo artista plástico Jejo Cornelsen. De maneira bem-humorada, as animações partem de situações típicas da vida urbana para passar conceitos de cidadania, como respeito ao próximo, educação e limpeza da cidade. Foi exibido por anos dentro do ''Glub Glub''.



17. Teatro dos Contos de Fada
(Faerie Tale Theatre)

Originalmente chamado ''Faerie Tale Theatre'' foi uma série estadunidense produzida entre 1982 a 1987, foi criada pela renomada atriz norte-americana Shelley Duvall. Seus episódios foram exibidos no Brasil pela TV Cultura.  A série fez sucesso com o público com adaptações das principais histórias infantis à televisão, com atuação e direção de vários astros de Hollywood.

Shelley Duvall
A ideia era recontar alguns dos Contos de Fadas clássicos, em versões quase cinematográficas, com cenários e figurinos bastante requintados. A cada episódio era narrado um conto diferente, dentre várias histórias que foram apresentadas estavam Cinderela, Branca de Neve, Rapunzel, O Flautista de Hamelin, e outros já conhecidos. Um dos episódios intitulado Aladdin and His Wonderful Lamp' teve a direção por conta de Tim Burton, com o qual Shelley Duvall já havia trabalhado anos antes em seu curta Frankenweenie de 1986. Já o conto sobre Rip Van Winkle foi dirigido nada mais nada menos por Francis Ford Coppola. Além desses, diversos outros astros do cinema participaram de seus quase 30 episódios, como por exemplo Robin Williams que participou do episódio chamado The Tale of the Frog Prince, Susan Sarandon no epsódio A Bela e a Fera, Matthew Broderick, como o príncipe de Cinderela, James Belushi com o papel de Mário em Pinóquio e Liza Minnelli como a princesa do conto que no Brasil recebeu o título de A princesa e a ervilha, Peter Weller em As Princesas Balarinhas, o cantor Mick Jagger participou como o imperador chines em "O Rouxinol do Imperador", ator Christopher Reeve participou como o príncipe de A Bela Adormecida, a atriz Jennifer Beals participu como a Cinderella, e Leonard Nimoy no episódio Aladim e a Lâmpada Maravilhosa.

Uma característica marcante do programa era a frase dita pela criadora da série, “Olá, eu sou Shelley Duvall. Bem-vindos ao Teatro de Contos de Fadas”, apresentando, a seguir, qual seria a história a ser contada. Acho que até em 2010 dava pra ver uma reprise da série por lá. Lembro de chegar da escola e acompanhava alguns episódios na hora do almoço. 

Gostei tanto da série que comprei os dvds dos episódios que foram lançados no Brasil. Muito bom!

18. O Portal do Intercâmbio
(Foreign Exchange)

Portal do Intercâmbio
Da Austrália para a Irlanda em um segundo. A atração infanto-juvenil australiana Portal do Intercâmbio foi ao ar por uns tempos na TV Cultura. Na série, Brett Miller, jovem surfista australiano, mora com sua mãe Jackie, seu padrasto Craig, sua meia-irmã Meredith e Wayne, filho do primeiro casamento de seu padrasto. O problema é que só há três quartos na casa, e não quatro. É aí que a história muda. 

Brett encontra uma pedra no porão de sua casa e, ao girá-la, acha um portal para o colégio O'Keeffee's, na Irlanda. Lá, ele encontra uma menina chamada Hannah O'Flaherty, e mostra a ela o portal. É desse 'acidente' que surge uma forte amizade entre eles. Mas não é só isso que muda na vida de Brett, que faz do porão o seu novo quarto. 

O jovem trabalha na Irlanda como ajudante do zelador da escola e é apaixonado por Tara. Mas, ao decorrer dos episódios, percebe que a sua verdadeira paixão é Hannah. Com o título original denominado Foreign Exchange, o programa foi criado em 2004 por John Rapsey

Foi exibido também pelo Boomerang e acompanhei em ambos os canais. Gosto muito da premissa dessa série. Inclusive já até falei em outras listas aqui do blog. Muito bom! 

19. Ninguém Merece!
(Mortified)

Ninguém Merece!
Mais uma série de uma adolescente que enfrenta os dilemas típicos... é claro, da adolescência. Ninguém Merece! conta a vida de Taylor Fry (interpretada por Marny Kennedy), uma menina pré-adolescente de 12 anos em uma fase bastante confusa na qual borbulham emoções e sentimentos. Taylor é uma garota muito esperta, engraçada, inteligente e cheia de atitude. Porém, vez ou outra, como toda pré-adolescente, ela se sente um peixe fora d'água. No bairro onde mora, por exemplo, seu pai é conhecido por ser 'O Rei das Cuecas'. Tudo isso por gostar de tirar fotos com roupas íntimas. E sua familia é um pouco fora do comum, mas bem amorosos.

Série premiada e de grande sucesso internacional que já foi exibida por canais como Disney Channel (no mundo e no Brasil), BBC UK e BBC Kids (Canadá). Acho que a série parecida com outra que eu acompanhei chamada ''Os Pesadelos de Molly'' no SBT. Apesar de que Ninguém Merece! tinha uma trama mais infantil. Enfim, acompanhei a série quando eu tinha uns 12/13 anos por aí. Achava legal até, decidi incluir na lista.

20. Anos Incríveis
(The Wonder Years)

Anos Incríveis
Considerada não apenas uma das melhores séries de sua época, mas também um dos melhores programas de todos os tempos, 'Anos Incríveis' foi um verdadeiro sucesso de audiência durante as seis temporadas exibidas originalmente entre 1988 e 1993 - falando sobre a passagem da adolescência para a vida adulta. A série foi exibida primeiramente no Brasil pela TV Cultura.

A série apresentou as questões sociais e os eventos históricos do final dos anos 1960 e início dos anos 1970, recheado de músicas da época através dos olhos do protagonista Kevin Arnold (interpretado por Fred Savage), que também vive os assuntos da adolescência (principalmente com seu grande amigo Paul e sua paquera, Winnie Cooper), diversas situações com seus familiares e outros. Enquanto se passam as histórias, os acontecimentos são narrados por um Kevin mais velho e experiente, que descreve o que acontece e conta o que aprendeu de suas experiências. É isso que torna a série especial e diferente das outras.

21. Resgate Voo 29
(Flight 29 Down)

Resgate Voo 29
Posso dizer que essa série foi uma versão de LOST para as crianças. Mas será que os sobreviventes serão resgatados? A série conta a história de um acidente aéreo em que alguns jovens e o piloto, Bob Russel, sobrevivem e acham que é só uma questão de tempo para serem resgatados. Mas é aí que mora o perigo. Quem disse que eles serão resgatados? Alguém por acaso sabe onde eles estão? Após alguns dias, os estudantes Jackson, Melissa, Nathan, Daley, Lex, Eric e Taylor  começam a gravar depoimentos sobre as dificuldades e desafios que enfrentam para sobreviverem em uma ilha deserta com poucos recursos. 

A série teve a pretensão de ajudar as crianças com verdadeiras lições de vida, mostrando como as dificuldades pela sobrevivência podem despertar o sentimento de companheirismo e de solidariedade. Regate do voo 29 possui 30 episódios e foi estrelado por Corbin Bleu, ator, dançarino e cantor, conhecido por sua atuação no filme High School Musical. Assim como Lost, a série também foi filmada no Havaí. A produção é da Discovery Kids, porém foi exibida no Brasil tanto pela TV Cultura, como pelo Boomerang. Que coisa, não?

Eu particularmente gostava muito, principalmente de alguns episódios que tinha uma trilha sonora bem bacana.

22. O Pequeno Urso
(Little Bear)

Fui uma das crianças privilegiadas que pode acompanhar esse desenho. Sendo que "O Pequeno Urso" é dirigido à pré-escola e conta as aventuras de um filhote de urso que, sempre acompanhado de seus amigos, enfrenta com criatividade e bom humor os problemas do dia-a-dia.

O Pequeno Urso
É extremamente nostálgico falar do desenho O Pequeno Urso que foi exibido por anos pela TV Cultura. A série animada mostra as aventuras e grande imaginação do Pequeno Urso e seus amigos. Sob o olhar atencioso de sua mãe, Pequeno Urso ganha experiência e se torna independente com cada ação. No elenco estão a Pata, uma das melhores amigas do Pequeno Urso; a Galinha; o Gato; a Coruja; Emily, amiga humana do Pequeno Urso que anda com uma boneca chamada Lucy e a cachorrinha Tutu; Mitzi, a macaquinha; Sem-Pé, cobra que vive nas roseiras; Papai Urso; Mamãe Urso; Vovó Urso e Vovô Urso.

O Pequeno Urso é uma obra infantil escrita por Else Holmelund Minarik com ilustrações de Maurice Sendak. Prega para as crianças valores como a amizade e o respeito à natureza.

A trilha sonora do desenho remete muito a minha infância. "Allegro Vivace", do compositor austríaco Franz Schubert de sua Sonata para Violino nº 1 em Ré maior foi usado como tema de abertura do desenho animado. O tema foi organizado para sopros e cordas pelo compositor Arnold Black.

23. Arthur

Cada dia que se anda por aí, cada um que a gente vê, tem algo de original para dizer...

Arthur
A música de abertura é muito boa. ''Arthur'' é uma série animada de sucesso no mundo inteiro, ganhadora de três prêmios Emmy para Animações Infantis. Baseada nos livros de Marc Brown, a produção canadense conta as aventuras e desventuras de um porquinho-da-terra de oito anos chamado Arthur, cujo charme maior é ser apenas uma criança normal. Acompanhado da irmã e dos amigos, ele consegue resolver os problemas que aparecem, sempre com imaginação, bondade e muito humor. Arthur e sua turminha divertem e ensinam a garotada, estimulando a leitura e a escrita. Eles criam vídeos musicais e aceitam desafios como passar uma semana sem TV e até visitam a Casa Branca.

Tanto os livros como a série de TV gira à volta da vida do Artur e as suas aventuras, os dilemas, a escola, os amigos, a família etc.. A série retrata também problemas sociais e de saúde ligados às questões que afetam as crianças. Existe um ênfase forte sobre o valor educativo do livro e das bibliotecas, bem como as relações com os amigos e a família.

A série animada ainda está me produção e recentemente causou polêmica por exibir a cena de um beijo de dois personagens do mesmo sexo. Que coisa, não?

24. As Histórias do Velho Urso
('Janoschs Traumstunde' ou 'Bear Tales em inglês)

As Histórias do Velho Urso foram desenhos animados baseados nas histórias do escritor alemão Janosch. A série, a cada episódio, trouxe histórias independentes, contadas por um velho urso. Os desenhos são também recheados de aventuras, sempre com as participações de pequenos animais e seus amigos. 

As Histórias do Velho Urso
A série animada foi produzida entre os anos de 1986 e 1990, baseado inteiramente nos livros infantis de Janosh. Apesar de cada episódio ter uma história diferente, alguns episódios tiveram que contar até 4 histórias independentes, e o interessante é que os personagens vão  mudando, menos o apresentador/urso.

Sobre o autor dos livros: Janosch (nascido em 11 de março de 1931) é um dos autores de livros infantis mais famosos e bem-sucedidos da Alemanha. Por seu trabalho, ele recebeu inúmeros prêmios, como o Prêmio do Livro Infantil Alemão por “Oh, que bonito é o Panamá” e o Prêmio Juventude Internacional.

Além de seus livros infantis, Janosch escreveu numerosos romances e peças para adultos, nos quais lida com temas como religião, a questão do sentido da vida e a verdadeira arte de viver. O trabalho de Janosch foi traduzido para vários idiomas em todo o mundo e vendeu milhões de cópias. Incrivel. Devemos agradecer a TV Cultura por nos apresentar esse grande autor!

25. Os Animais do Bosque dos Vinténs
(The Animals of Farthing Wood)

Os Animais do Bosque dos Vinténs
Os Animais do Bosque dos Vinténs é uma bela animação que no Brasil foi exibida na década de 1990. O desenho foi baseado nos livros infantis do escritor inglês Colin Dann. Aqui a série fez um enorme sucesso, sendo transmitida por seis anos seguidos pela TV Cultura. Seus personagens bem desenvolvidos e cheios de carisma – cada um a sua forma – conquistaram toda uma geração de fãs e é lembrada com muito carinho até os dias de hoje devido a sua forte carga emocional.

O desenho conta a estória de um grupo de animais forçados a fugir do bosque em que viviam por conta da invasão humana ao seu habitat, reflexo direto da modernidade que destruía as florestas. Liderados pela Raposa, os animais decidem se reunir e, juntos, somar forças para enfrentar os desafios que se impunham. O desenho traz lições às crianças sobre o enfrentamento dos obstáculos da vida, a socialização entre pessoas de raças distintas, respeito aos animais e ao meio ambiente. Para alcançar seus objetivos, o desenho falava diretamente às emoções do público.

Os personagens principais eram a Raposa, Coruja, Texugo, Cobra, Doninha, Toupeira, e, a partir da segunda temporada, Raposas azuis. Resumidamente, esse desenho mostrava a luta pela sobrevivência destes animais, principalmente durante a primeira temporada, quando tiveram que sair de seu bosque e rumar para o Parque da Corça Branca.

Produzido pela BBC de Londres, a série teve três temporadas com 39 episódios. Infelizmente, a terceira não foi exibida no Brasil, mas está por aí, com legendas e tudo, só procurar.

Apesar de algumas tiradas cômicas, a animação possuía um roteiro que, para crianças, seria considerado pesado, já que havia muitos confrontos e, principalmente, morte dos bichinhos, mas era mostrado de uma forma tão natural, que as crianças, se tinham pais bundas-mole, entendiam perfeitamente aquilo que estava acontecendo, embora não compreendessem direito a carga emocional do fato.

26. Os Sete Monstrinhos
(Seven Little Monsters)

Os Sete Monstrinhos
Quem não se lembra dessa família de monstros que tinha muitas diferenças e dificuldades no dia-a-dia, mas as enfrentavam com muita união, inteligência, bom humor e, acima de tudo, muito amor. Belezas à parte, sete monstrinhos mostram como uma família unida, engraçada, divertida e inteligente resolve seus inúmeros problemas. Todos moram na rua dos Castanheiros, nº 1234567, e ficam o tempo todo sob os cuidados da mãe.

Cada um dos sete irmãos tem diferentes feições monstruosas e divertidas personalidades. Com muitas gargalhadas e vários contratempos, eles enfrentam os desafios da infância e ajudam uns aos outros.

Criada pelo escritor americano Maurice Sendak (o mesmo criador do 'O Pequeno Urso') e baseada no livro de mesmo nome. Sua obra de maior renome foi o livro “Where the Wild Things Are”, que no Brasil foi traduzida como “Onde vivem os monstros”. Lançado em 1963, o livro já vendeu 19 milhões de cópias pelo mundo. É a história de um garoto de cinco anos que faz uma grande travessura e é posto de castigo pela sua mãe. Em seu quarto, o menino inventa a fantasia de um mundo fantástico, onde existem vários monstros gigantes.

27. Os Camundongos Aventureiros
(The Country Mouse and the City Mouse Adventures)

As aventuras de uma ratinha do campo e um ratinho da cidade. A série faz uma viagem pelo mundo de Emily e Alexander. Ela, a prática ratinha do campo, e seu sofisticado primo, o rato da cidade, vivem as mais incríveis aventuras. Enquanto percorrem o mundo com visitas a parentes e descobrem novos amigos, ambos encontram inventores famosos, compositores, artistas e até realeza.

Os Camundongos Aventureiros
Em uma de suas aventuras pela América Central, a dupla vai ao México. Durante visita às ruínas maias de Chichen Itza, os camundongos descobrem que a valiosa estátua da onça está sob a mira de um perigoso ladrão. Alexander não vai medir esforços para salvar a relíquia e devolver à população mexicana. Essas e outras aventuras pelo Egito e Grécia eram só alguns dos episódios da série animada.

As histórias “quase sempre são iguais”. Os dois camundongos que vivem em um restaurante nos Estados Unidos saem pelo mundo para visitar seus parentes. Nessas viagens eles se deparam com as mais diversas situações, encontram todos os tipos de pessoas/ratos imagináveis, inventores, artistas, picaretas e diversas outras figuras.

Uma curiosidade é que em alguns episódios, são mostrados alguns acontecimentos da história, como por exemplo, a invenção do cinema, o voo do Zeppelin, as Olimpíadas gregas, mitos da Grécia antiga, entre outros fatos. Deixando o desenho mais educacional ainda.

28. Shaun, o Carneiro
(Shaun the Sheep)

Um carneiro esperto que leva a turma para encarar muitas trapalhadas. Premiada série britânica de animação em massinha utilizando a técnica de stop motion. A produção é dirigida para crianças e teve sua estreia no Brasil com exclusividade pela TV Cultura. No Reino Unido, o seriado entrou no ar em 2007 e tem como personagem central o carneiro Shaun, que exibe a inteligência típica dos humanos e muita criatividade.

Shaun, o Carneiro
A série examina o comportamento de Shaun e seus amigos em uma fazenda. Em cada episódio, o protagonista tem que resolver um problema sempre com muito senso de humor. O carneiro é um líder natural que leva a turma a passar por um monte de trapalhadas.

A série é feita pelos mesmos criadores da série de sucesso Wallace e Gromit. Um detalhe curioso é que o seriado não exibe diálogos sonoros, com exceção dos personagens humanos. Por isso, segue a tradição das comedias silenciosas, assim como Pingu, outra animação exibida na TV Cultura, porém eu não acompanhei. Indico o Shaun, o Carneiro (haha).

29. Rupert

O desenho narra as aventuras do Urso Rupert, personagem criado nos quadrinhos, por Mary Tourtel, na década de 1920. Em 1991 o urso Rupert voltou à TV com uma nova série, desta vez em desenho animado. No Brasil, foi exibido pela TV Cultura entre 1998 e reprisado desde então, com algumas pausas nas exibições.

Rupert
Rupert é um urso branco muito inteligente e espirituoso, e que tem muitos amigos de todos os cantos do mundo. Apesar de morar num pequeno vilarejo de origem medieval, chamado Nozópolis, Rupert gosta de viajar por todo o mundo, descobrindo novas culturas, vivendo grandes aventuras, desvendando mistérios e desmascarando vilões. 

A cultura nórdica dos países europeus, exerce influência no visual do desenho, com muitos castelos, cidadelas e vestimentas, além de personagens, como duendes e o monstro do lago Ness, que remetem à cultura européia. As paisagens dos livros de Rupert, que inspiraram a série, se basearam na região de Snowdonia e Vale of Clwyd na parte norte do País de Gales.

Divertido e carinhoso, Rupert é conhecido também por uma série de trejeitos, ao seu lado, os fiéis amigos: Bill, Algy e Edward. Este último, um simpático elefantinho. Ótimo desenho!

30. As Aventuras de Babar
(Babar)

As Aventuras de Babar
Baseada nos livros de Jean de Brunhoff e Laurent de Brunhoff, a série foca a história de Babar, um elefante que acaba se tornando rei. Nas primeiras temporadas as histórias eram centralizadas em Babar contado suas aventuras de infância para seus filhos Pom, Flora e Alexander. Já nas últimas temporadas as histórias passam mais a centralizar nos filhos de Babar. Foi transmitida aqui no Brasil pela TV Cultura em 1993, se tornando aqui no Brasil um clássico infantil. 

Nos primeiros episódios é revelado a origem de Babar como ele perdeu sua mãe de um caçador, fugiu para a cidade sendo acolhido por uma velha senhora humana que o educou fazendo-o agir como uma pessoa, além de seu retorno a floresta salvando seus amigos do bando do caçador e sendo coroado rei após a morte do antigo. Ainda nos primeiros episódios é mostrado a criação da cidade de Celesteville, a cidade dos elefantes além das constantes brigas de Babar com seu rival o rei dos rinocerontes Rataxes.

Desde 2010 As Aventuras de Babar ganhou uma renovação com o desenho Babar e as Aventuras de Badou. Nessa nova animação, a história gira em torno de Badou, neto de Babar, mas o vô elefante sempre esta presente.

Para quem não sabe, Babar, o Rei dos Elefantes é um personagem fictício, protagonista do livro infantil francês L'Histoire de Babar, escrito por Jean de Brunhoff. Com o tempo os livros deram origem a série animada e alguns filmes que fez o personagem ser mais conhecido pelo mundo, além de um maior marketing. Muito bom. 

(bônus) 31. Show do DJ Cão

Show do DJ Cão
No Show do DJ Cão, o cachorrinho mais legal da TV  recebeu convidados que têm muito o que contar num bate-papo feito especialmente para as crianças. Além disso, teve também o Som na Caixa com o DJ Cão.

Até um tempo atrás rolava nos intervalos da TV Cultura e da TV Rá-Tim-Bum, um cachorrinho chamado ''DJ Cão'' bem dançante e que apresentava os clipes que fazem sucesso entre os personagens da TV Rá Tim Bum. Nos intervalos da programação, o DJ Cão trazia músicas do Cocoricó, Castelo Rá Tim Bum, Ilha Rá Tim Bum e outros sucessos. Então merece uma menção nessa lista!

(bônus) 32. Inglês com Música

Inglês com Música
Outro programa educativo da TV Cultura que acompanhei lá por 2010 e merece uma presença nessa lista. Com a parceria entre a Univesp TV, o Centro Paula Souza e a Secretaria de Educação do Estado de SP, o Inglês com Música tem por objetivo incentivar o aprendizado da língua inglesa de uma forma descontraída, por meio de letras de músicas de cantores da atualidade e jogos entre equipes formadas por estudantes.

É um programa para as pessoas de todas as idades. Parabenizo a TV Cultura e a Univesp por essa iniciativa tão importante e rara na TV brasileira. 


-

Enfim, chegou ao fim dessa lista... ufa, é muita nostalgia envolvida. Poderia passar horas aqui escrevendo mais sobre outras atrações e desenhos que eu assisti nessa grande emissora. Espero mesmo que o canal ‘Eu Vi na Cultura’ consiga resgatar alguns desses clássicos inesquecíveis. Para dar início a essa jornada clássica, na sexta-feira, dia 28, serão disponibilizados os primeiros episódios de ‘Mundo da Lua’ e ‘Ilha Rá-Tim-Bum’ – a programação inicial do canal prevê dois novos episódios de cada uma dessas duas atrações às terças e quintas-feiras, respectivamente. Muito show, não é?

A TV Cultura ainda continua na ativa e com a qualidade de sempre em sua programação. Em 30 de janeiro de 2015, o instituto de pesquisa britânico Populus divulgou que a TV Cultura é o segundo canal de maior qualidade do mundo, atrás apenas da BBC One.

E você? Faça sua lista aí nos comentários de quais atrações você viu na TV Cultura e que te marcou bastante. Fico por aqui. Até mais!
SHARE:

2 comentários

  1. Eu fiquei mega feliz com essa notícia! Minha infância foi praticamente toda na TV Cultura (e os desenhos da Globo e SBT). TV por assinatura nunca foi uma opção aqui em casa. Da sua lista tenho saudades enormes de Ra-Tim-Bum, Glub Glub e tem outros dois programas que amava muito também: O mundo de Beakman e Pingu.

    Até mais;
    |Blog Mente Hipercriativa | Curta no Facebook|

    ResponderExcluir
  2. Uau! Quantas atrações. 'Castelo Rá-tim-bum' é inesquecível. Gostei de conhecer mais de 'Onde vivem os monstros', é uma das minhas obras preferidas.
    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Blog Layout Designed by pipdig