Para Ler, Ver e Ouvir!

segunda-feira, 18 de março de 2019

Minha Memória de Séries #40 – Everwood

Como é recomeçar a vida após perder alguém que amamos? É essa jornada que o Dr. Andy Brown (interpretado por Treat Williams), Delia (interpretada por Viven Cardone) e Ephram (interpretado por Gregory Smith) vivem ao mudarem-se de New York para uma pequena cidade no Colorado, Everwood. Acredito que comecei a assistir a série nas tardes do SBT como Everwood - Uma Segunda Chance, e depois me peguei acordado nas madrugadas do canal acompanhando episódios avulsos (era meio que impossível acompanhar alguma série na sequência correta dos episódios naquela época), seja como for é esta história escolhida para o #40 do Minha Memória de Séries.

Everwood

Perdido depois da morte de sua esposa, Andy não sabe como se relacionar com seus filhos, já que nunca passou muito tempo com eles. Tudo sempre foi intermediado através de Julia Brown (interpretada por Brenda Strong) e ao ter uma conversa com um paciente, Dr. Brown lembra-se como Everwood foi especial para sua mulher e então decide ir para essa cidadezinha e começar ou recomeçar do zero, com seus filhos. Mas logo no primeiro episódio percebemos que nada será muito fácil.

Ephram cresceu longe dos olhos do pai, sempre preocupado com a profissão, e aprendeu a dividir seus sonhos e medos com sua mãe. De repente, pai e filho se vêem tendo que se relacionar. Ao menos é isso que Andy espera e Ephram quer evitar. É óbvio que a mudança para uma cidade no meio do nada não é bem vista pelo jovem, que acredita que o pai ficou maluco e durante toda a primeira temporada tenta compreender o motivo da mudança e por que escolher aquele lugar em especial para morar.

Everwood

Everwood é uma cidadezinha que deve existir em qualquer lugar do mundo, onde todo mundo conhece todo mundo e existe um só médico que atende aos poucos habitantes da cidade. Mas com a chegada do renomado Andy Brown as coisas mudam. Com seu “bom tato” para as pessoas, Andy instala seu consultório bem em frente ao consultório do Dr. Harold Abott (interpretado por Tom Amandes), que não é nada amigável com o “novo vizinho”. Aos poucos, a relação entre os doutores serve de alívio cômico ao drama adolescente e familiar que a série carrega.

Se Dr. Brown não sabe muito como lidar com as pessoas (em um primeiro momento), o que podemos dizer sobre seu filho, Ephram, que se apaixona por Amy Abott (interpretada por Emily VanCamp) filha do concorrente de seu pai e namorada de um menino em coma? Se para Ephram sua ida para Everwood pode ser considerada um pesadelo, para Amy foi uma benção dos céus, já que seu namorado, Colin Hart (interpretado por Mike Erwin), encontra-se inconsciente após um acidente de carro, sofrido com seu melhor amigo e também irmão de Amy, Bright Abott (interpretado por Chris Pratt). A grande questão é que Andy Brown é um neurocirurgião e pode ser o salvador de Colin e, consecutivamente, de Amy.

As emoções de Everwood começaram em 16 de setembro de 2002, durando por quatro temporadas, tendo terminado sua história em 05 de junho de 2006, com um episódio com duas horas de duração, intitulado “Foreverwood”.



A série recebeu duas indicações ao Emmy: Em 2003, pela música de abertura, composta por Blake Neely, e em 2004 por melhor ator convidado de comédia para James Earl Jones que interpretou Will Cleveland. Treat Williams recebeu duas indicações ao Screem Actors Guild em 2003 e 2004, pelo seu papel como o Dr. Andy Brown. A série foi criada por Greg Berlanti (de Dawson's Creek) e há quem diga que é muito dramática, mas sempre discordei, acho que os momentos de emoção foram muito bem construídos, os diálogos também completam todo o clima de Everwood. Os principais temas tratados pela série por si só já são polêmicos como a relação entre pais e filhos, morte, solidão, amor e locura. Foi sem dúvidas uma das melhores séries do gênero que já vi. Passamos a conhecer a cada episódio os segredos que envolvem os moradores de Everwood e também os desafios que cada um deles enfrentam interiormente.

Infelizmente a série não está disponível em nenhum streaming no Brasil, mas vamos torcer um dia pra algum deles disponibilizar para matarmos a saudade. A Warner Channel até chegou a exibir o piloto da série no especial 20 anos do canal em 2015, inclusive com a dublagem da época do SBT, mas não continuou a exibição. Vamos torcer pra um dia a série voltar a ser reapresentada. Até a próxima #MinhaMemóriaDeSéries.
SHARE:

6 comentários

  1. Nossa que interessante, não conhecia essa série, acompanhei muitas séries como você, episódios avulsos, ColdCase era minha preferida e passava muito tarde da noite. Essa série me lembrou um filme novo do Netflix que a família passa por uma situação parecida. Ótimo post e boa semana.

    Visite: https://eumicaeli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu me lembro que passava no Sbt,eu via alguns pedacinhos da série mais nunca assisti a mesma por completo.Foi muito bom relembrar.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Desconhecia, mas o enredo parece ser bastante interessante!

    ResponderExcluir
  4. Estou deixando este comentário para dizer que gostei bastante do que acebei de ler aqui neste artigo, inclusive já salvei até meu navegador em meus favoritos.
    Abraços Goias da Sorte

    ResponderExcluir
  5. Estou deixando este comentário para dizer que gostei bastante do que acebei de ler aqui neste artigo, inclusive já salvei até meu navegador em meus favoritos.
    Abraços Super Vale

    ResponderExcluir
  6. Amava demais essa série, nessa época passava muitas séries boas no SBT, sinto falta de séries com tamanha simplicidade e que tocam fundo na alma, Everwood, Gilmore girls e Felicity eram muitas favoritas. Recomendo para você Being Érica, não passava no SBT, mas é boa demais.

    ResponderExcluir

Blog Layout Designed by pipdig