Séries Que Ficam Na Memória – #31: Angel - O Planeta Alternativo: Um pouco disso, um pouco daquilo – e muita música!

sábado, 1 de setembro de 2018

Séries Que Ficam Na Memória – #31: Angel

O vampiro Angelus mata uma garota cigana e acaba sendo amaldiçoado por sua tribo, sendo condenado a viver para sempre na angústia de seus horrendos erros do passado; agora chamado de Angel, o vampiro foi “agraciado” com sua alma de volta, tomando consciência das obscenidades que cometeu quando era um voraz ser das trevas. Em Buffy – A Caça-vampiros, o personagem aparece para ajudar a personagem título a matar seres de sua raça, que não compartilham da mesma bondade que ele tem no coração (nem de uma alma). Caça e caçador se apaixonam, e quando consumam a relação, atingindo a “felicidade verdadeira”, a maldição de Angel é quebrada e ele volta a ser o sanguinário Angelus, que saiu matando todo mundo e tocando o terror por Sunnydale. A Caçadora consegue conter a situação, mas o clima fica estranho entre os dois durante a temporada seguinte. Por isso, Angel resolve ir embora da cidade em 1999, se mudando para Los Angeles – e ganhando uma série só sua. E é justamente ele que ocupa o #31 do Séries Que Ficam na Memória dessa semana.

Angel

Junto com a popular colega de Buffy, Cordelia (interpretada por Charisma Carpenter), que se mudou para Los Angeles com a intenção de virar atriz, e com o irlandês meio-demônio, meio-humano Allen Doyle (interpretado por Glenn Quinn), enviado para ajudar o personagem título em sua cruzada moral por uma enigmática e antiga força que ajuda o lado do bem (“Os Poderes”), Angel (interpretado por David Boreanaz, de Bones) funda a firma de investigação Angel Investigations, onde os três agem como detetives particulares que, ao contrário da Caçadora da série-mãe, cobram por seus serviços.

Joss Whedon vê em Angel uma grande metáfora para os conceitos de redenção devido à eterna ambiguidade moral do personagem título. Enquanto Buffy foi desenvolvida para ser uma metáfora da vida adolescente dos anos 90, Angel estuda o lado sombrio da natureza humana, erros cometidos no passado e incertezas sobre o futuro. O conceito do mal na série também é diferente daquele abordado em Buffy; os vilões podem ser seres sobrenaturais, mas também podem ser humanos. A corrupta empresa de advocacia Wolfram & Hart está quase sempre por trás dos acontecimentos caóticos da LA retratada na série.

Além de Cordelia, outros personagens de Buffy voltam a aparecer em Angel. O ex-sentinela Wesley Wyndam-Pryce, interpretado por Alexis Denisof (que hoje é casado com Alyson Hannigan, a Willow de Buffy, e a Lily de How I Met Your Mother) em 9 episódios de Buffy, é personagem regular aqui. Depois de participar de um episódio na primeira e outro na segunda temporada, o vampiro Spike (James Marsters, de Smallville) entrou para o elenco fixo do último ano da série, assim que Buffy foi encerrada. O spin-off sobreviveu um ano após o cancelamento da série-mãe (chegou ao fim em 2005), rendendo cinco temporadas – duas a menos que Buffy.

Apesar de ter herdado alguns personagens da série de onde foi derivada e ter saído da mesma mente genial de Joss Whedon, Angel possui os mesmos conceitos psicológicos, emocionais e filosóficos de Buffy, mas ainda assim são diferentes. Enquanto a original utilizava-se de humor para contar uma história de terror B, o spin-off segue a linha policial noir mais urbano e obscuro, adicionando um pouco de vampiros e sobrenaturalidade à mistura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário