O Planeta Alternativo

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Filme #82 – Sol da Meia-noite (Midnight Sun, 2018)

4/19/2019 10:01:00 PM 0
Filme #82 – Sol da Meia-noite (Midnight Sun, 2018)
Katie é uma jovem de 17 anos que vive protegida dentro de sua casa desde a sua infância. Confinada no local durante os dias, ela possui uma rara doença que faz com que a menor quantidade de luz solar seja mortal. Sua situação muda quando seu destino se cruza com o de Charlie e eles iniciam um romance de verão. Em #82 o filme do blog é Sol da Meia-Noite (Midnight Sun, no original).

Lançado em 2018 e dirigido por Scott Speer, o filme conta a história de Katie (interpretada por Bella Thorne), uma garota de 17 anos que vive sua vida inteira trancada dentro de casa, por conta de uma doença rara que não permite que ela entre em contato com a luz do Sol.

Com exceção de seu pai viúvo Jack (interpretado por Rob Riggle) e sua única amiga Morgan (interpretada por Quinn Shephard), Katie não se relaciona com mais ninguém. Ela passa seus dias sozinha compondo músicas no violão e olhando o mundo pela janela do seu quarto.

Com o anoitecer, ela pode se aventurar com segurança e frequenta a estação de trem onde toca para os passageiros. Uma noite, Charlie (interpretado por Patrick Schwarzenegger) passa pelo local, ouve a música que Katie está tocando e a segue até a plataforma. Quando o caminho dos dois se cruza, o amor floresce e tudo muda em suas vidas.

Midnight Sun
É um filme que tem uma personagem principal com uma doença muito grave e agressiva, mas que mostra tudo com mais sensibilidade. O filme também consegue mostrar um relacionamento intenso e saudável de dois adolescentes, e é mais focado na mensagem que quer passar com esse relacionamento do que deixar o público chocado com as consequência da doença de Katie. Alguns momentos rendem boas risadas e logo depois você já está torcendo pelo casal.

O filme é daqueles que combinam com a categoria ‘água com açúcar’. O romance é bem clichê e com um estilo jovem melodramático. Mas isso não quer dizer que seja ruim, pelo contrário, o roteiro é simples e sem rodeios, caminhando corretamente para o desfecho previsto. 

Quando o amor é singelo e forte, mesmo em diferentes formas, ele é capaz de aguentar qualquer coisa, principalmente quando a vida coloca todo o peso em suas costas ou obstáculos que não são solucionados por completo, mas podem ser superados. 

Assisti na Amazon Prime Video. Recomendo para quem gosta do gênero!

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Filme #81 – Coração de Corredor (1 Mile to You, 2017)

4/18/2019 09:40:00 AM 1
Filme #81 – Coração de Corredor (1 Mile to You, 2017)
Depois que os melhores amigos e sua namorada morrem em um trágico acidente, Kevin acha que correr permite que ele se lembre deles perfeitamente. A corrida, no entanto, também lhe traz uma certa notoriedade, e ele logo se vê preso entre manter vivo o passado e fazer novas lembranças no presente. O filme de #81 é Coração de Correr (1 Mile to You, no original).

Lançado em 2017, o filme apresenta uma historia dramática onde uma equipe colegial de atletismo participa de um campeonato e o jovem Kevin (interpretado por Graham Rogers) consegue escapa do trágico acidente que levou todos seus amigos de equipe e sua namorada. Com isso o jovem atleta com um grande potencial tenta se afastar do esporte, mas para manter sua bolsa de estudos tem que participar das atividades esportivas do novo colégio, durante os treinos e competições ele usa a perda de seus amigos como uma arma para superar a dor do corpo e com isso se torna um grande corredor.

1 Mile to You

É um filme que leva a reflexão que por mais talentoso que você possa ser, haverá momentos conturbados, em que terá que lutar contra você mesmo, com seus sentimentos, e buscar forças para superar os problemas do dia dia. 

O interessante do filme é que o protagonista não demonstra uma superação repentina, tão típica de outros filmes do gênero, mas sim algo mais real, como o modo que cada um encara o luto e a dor da perda, seja na figura do protagonista ou do pai de um de seus amigos que morreram. A abordagem emocional do filme é bem profunda. Não é uma história romântica, é uma história de luto e empatia. Não consegui não me colocar no lugar dele, pois nunca passei por algo semelhante. 

Perder seus amigos de forma tão trágica é uma marca profunda que ele sempre vai carregar. Algumas pessoas superam rápido, outras levam mais tempo e algumas nunca superam. Talvez por isso eu tenha gostado tanto. É tão triste e bonito ao mesmo tempo. Nos faz pensar o quanto a morte é, muitas vezes, repentina, e o quanto de sequelas psicológicas tal situação pode deixar, às vezes para sempre, na vida daqueles que ficam. Cada um se agarra em alguma coisa para superar problemas, principalmente a morte de um ente querido, no caso de Kevin foi a corrida que o fez ficar mais forte para superar tudo e todos. Filme disponível na Netflix Brasil. Recomendo a todos!

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Filme #80 – Milagres do Paraíso (Miracles from Heaven, 2016)

4/17/2019 03:55:00 PM 0
Filme #80 – Milagres do Paraíso (Miracles from Heaven, 2016)
Annabel passou grande parte de sua infância sem poder levar uma vida normal, devido a um grave problema digestivo. Certo dia, quando tem a oportunidade de sair para brincar com suas irmãs,ela cai e bate com a cabeça em uma árvore. No entanto, ela não morre. Voltando a consciência, ela afirma ter visitado o paraíso para, em seguida, descobrir estar curada de sua doença crônica. ''Milagres from Heaven'' (Milagres do Paraíso, título no Brasil) é o filme de #80 no blog.

Baseado em uma história real de Christy Beam que lançou o livro de mesmo nome, o filme é sobre acontecimentos na vida de sua filha Annabel Beam, Milagres do Paraíso relata o drama vivido pela autora depois que uma de suas filhas foi diagnosticada com uma rara e excruciante doença, cujo tratamento é penoso e custoso. Desenganada pela medicina, o destino da menina foi alterado graças a uma suposta intervenção divina. No filme, Christy é vivida por Jennifer Garner, enquanto a garota doente, Annabel, é encarnada pela atriz mirim Kylie Rogers.

Miracles from Heaven

Uma família típica, pai, mãe e tres filhas que vivem no interior e vão todos os finais de semana a igreja. Aparentemente fiéis a Deus. A mãe, Christy Beam, sente sua fé abalada e questiona a existência de Deus quando descobre que uma de suas filhas, Anna, está com uma doença incurável. Ela luta, corre atrás de ajuda, consulta vários médicos e consegue um tratamento em Boston para amenizar as dores da filha. Mas foi em uma brincadeira no quintal de casa que tudo mudou.
Como devemos agir quando a vida nos traz problemas que não conseguimos resolver?

O filme me levou a refletir de quantas vezes precisamos chegar no fundo do poço para conversarmos seriamente com Deus? Quantas vezes questionamos o por que dos sofrimentos que enfrentamos na vida? Assim como a mãe no filme desesperada, muitas vezes tentamos agir por conta própria, quando não sabemos como proceder, o que fazer e o que pensar. Nos sentimos inúmeras vezes nesta mesma posição, esquecemos que temos um Deus cuidando de tudo, somos fracos na fé, vacilamos e tomamos outro rumo em nossas vidas. 

Este não é um filme que tenta persuadir alguém a mudar de religião. Ele nos leva a refletir sobre este poder maior, sobre o que é humanamente difícil de explicar. No fim a mãe cita uma frase de Albert Einsten:

Só há duas maneiras de viver a vida: A primeira é vivê-la como se os milagres não existissem. A segunda é vivê-la como se tudo fosse um milagre.

Eu acredito em MILAGRES, acredito que a vida pode ser muito mais bonita e leve quando não queremos ser o dono do caminho, quando confiamos nosso trajeto ao Deus que tudo pode! Você acredita em milagres?

Sem dúvidas foi um dos melhores filmes que vi esse ano. Que realmente me tocou e me fez ficar pensando horas e horas sobre como os milagres estão presentes em coisas simples de nossas vidas, nos pequenos detalhes, gestos e como Deus consegue usar pessoas ao nosso redor e até nós mesmos para fazer Suas vontades. É preciso ter fé, acreditar é o primeiro passo. Uma história belíssima que reafirma a essência de nossa existência. Recomendo a todos!

terça-feira, 16 de abril de 2019

Filme #79 – Um Olhar do Paraíso (The Lovely Bones, 2009)

4/16/2019 09:49:00 AM 5
Filme #79 – Um Olhar do Paraíso (The Lovely Bones, 2009)
Eu tinha 14 anos quando fui assassinada, em 6 de dezembro de 1973...

Esta é a história de uma menina que cuida de sua família e observa a todos, mesmo depois de morta. ''The Lovely Bones'' (Um Olhar do Paraíso, título brasileiro), lançado em 2009 é o filme de #79. 

Baseado no livro Uma Vida Interrompida - Memórias de um Anjo Assassinado de Alice Sebold e com direção de Peter Jackson (da trilogia Senhor dos Anéis) o filme apresenta uma sensibilidade enorme e mostra que o amor é além da vida.

Susie Salmon (interpretada por Saoirse Ronan) é uma garota de 14 anos que mora num bairro do subúrbio da Pensilvânia e queria ser uma fotógrafa quando crescer. Como toda garota dessa idade com sonhos, paixões e planos, ela é apaixonada por Ray um garoto da sua classe e tem pais e irmãos que a amam.

Em 6 de dezembro de 1973, Susie foi violentada e morta por George Harvey (interpretado por Stanley Tucci) seu vizinho, um tarado psicótico, que a convida a entrar num porão encravado em meio à um terreno ermo, a fim de mostrar-lhe um projeto, ao qual, segundo ele, se dedicou durante muito tempo.

Com o desaparecimento da filha, seus pais Jack (interpretado por Mark Wahlberg) e Abigail (interpretada por Rachel Weisz) demoram a acreditar que possa ter acontecido algo de mais grave. Porém, logo a polícia encontra um pedaço do braço da menina, o que indica que há poucas chances dela estar viva. Enquanto a família sofre com a notícia, Susan acompanha todas as mudanças desencadeadas com a sua morte, e não terá paz enquanto o crime não for solucionado. 

The Lovely Bones

Neste momento, o Espírito de Susie é visto por Ruth Connors (interpretada por Carolyn Dando), "a garota estranha", que "via coisas que os outros não viam" (médium). Susie, não consegue ir para o céu já que quer vingança e não se conforma com a morte, então ela está numa espécie de limbo ou purgatório junto com outras assassinadas do vizinho. O lugar se transforma de acordo com os pensamentos e sentimentos da garota. Em alguns momentos, o espectador tem a impressão de estar vendo um quadro animado de Salvador Dalí. Folhas viram pássaros e imensos barcos engarrafados navegam pelos mares, entre outras imagens surrealistas.

Além de acompanhar o que acontece com sua família e amigos, Susie é assombrada por pesadelos como o momento de sua própria morte. A família da protagonista foi abalada pela trágica morte da garota. O pai busca vingança e se intromete muito nas investigações da polícia. A mãe não consegue chegar perto do quarto da filha morta e, por isso, mantém o local fechado. O irmão e a irmã de Susie tentam seguir em frente. A avó amalucada Lynn (interpretada por Susan Sarandon), que é viciada em bebidas e cigarros, acaba assumindo o comando da casa e da família. George Harvey, o vizinho e serial killer, guarda como troféu um tufo de cabelo da vítima em sua casa e acredita piamente em sua impunidade e já planeja cometer outro assassinato. A irmã mais nova de Susie, Lindsey Salmon (interpretada por Rose McIver) está bem desconfiada do vizinho e procura provas para incriminar Harvey.

The Lovely Bones

O filme não se trata bem do "paraíso", como sugere a tradução brasileira, mas do limbo (purgatório?) que separa a vida material na Terra do "céu" espiritual. É de lá que Susie conta o que lhe aconteceu por aqui e também o que ainda a ocupa como "alma". 

O diretor Peter Jackson provou mais uma vez ter muita versatilidade, capaz de passar pelo terror, fantasia e também o drama de qualidade. Os atores são muito bons também e a naturalidade com que os sentimentos são expressos sensibilizam até mesmo os corações mais resistentes quando assistem ao filme. Nada nesta história nos soa forçado, muito pelo contrário. Até o sobrenatural é um elemento que se torna comum, mesmo para quem não esteja tão acostumado a isto.

A grande lição deste filme é que precisamos aprender que amar às vezes é deixar ir, que precisamos aprender a seguir em frente para honrar aqueles que nos amaram, que a morte é um fator natural à vida e por isso não devemos teme-la tanto assim e que pessoas que nos amem de verdade nunca vão querer nos ver presos à uma semi-vida, pois o universo continua com suas belezas, suas dores e tudo o mais. Viver é um ato de passagem, um rito transitório, e por isso temos que fazer com que valha a pena. Eu recomendo a todos!

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Filme #78 – Desafiando Gigantes (Facing the Giants, 2006)

4/15/2019 01:42:00 PM 1
Filme #78 – Desafiando Gigantes (Facing the Giants, 2006)
Durante seis anos como técnico, Grant Taylor jamais ganhou um campeonato. Quando descobre que vão dispensá-lo, perde de vez a esperança. Mas ao lado do time, descobre como a fé em Deus joga a favor dentro e fora das quadras. Em #78 escrevo sobre o filme ''Facing the Giants'' (Desafiando Gigantes, no Brasil). 

Lançado em 2006, dirigido e estrelado por Alex Kendrick. O filme conta a história do treinador de futebol americano colegial Grant Taylor (interpretado por Alex Kendrick) e de seu time Shiloh Eagles. O treinador Taylor trabalha duro mas não consegue ter sucesso com o seu time, que é um dos mais perdedores do campeonato colegial. Para piorar os pais dos alunos perdem a confiança no seu trabalho e passam a pressionar a escola para que ele seja substituído por um treinador melhor, além disso ele passa por problemas financeiros e assim como sua vida profissional, a sua vida pessoal não deslancha e passa por problemas também.

Facing the Giants

Tudo parece dar errado quando o Eagles perde 3 partidas seguidas e o campeonato já parece estar ameaçado, e os seus alunos e jogadores parecem apáticos e sem intenção de mudar o jogo. Alguns pais se reúnem para pressionar a escola a substituir Grant e ele ouve tudo, e vê ainda que um de seus auxiliares do time está com o grupo. Por fim, após anos tentando ter filhos, Grant vai ao médico e descobre que o problema de fertilidade é com ele, e que as chances são remotas de reversão e que deveria pensar em inseminação e adoção.

Através de algumas pessoas, ele recupera Ele cria uma filosofia nova e decide treinar para louvar a Deus depois de cada jogo, não importa o resultado. Ao mesmo tempo, ele orienta e convida cada um de seus jogadores a dar o máximo de esforço, e motiva-los a acreditar que podem ganhar sob a orientação de Deus. A partir desse ponto, ele perde apenas um jogo, mas vai acabar por ganhar o campeonato estadual.

Com Deus, todas as coisas são possíveis...

Confiar no tempo de Deus é ter a certeza de que alguma hora e de alguma forma tudo vai dá certo. É fazer a minha parte, confiar que a mudança virá e que existe um Deus maravilhoso agindo ao meu lado. É saber que se algo ainda não aconteceu do jeito que eu queria é porque Deus tem algo bem melhor pra mim.

Foi assim com o casal Grant Taylor e Brooke Taylor (interpretada por Shannen Fields). Há quatro anos o eles tentavam engravidar, sem confiar que Deus podia agir. Mas tudo mudou quando eles passaram a acreditar no tempo de Deus!

Ao ver todo o time desmotivado, o treinador Grant Taylor chama dois jogadores e passa-lhes um desafio pedindo para que ele dê o melhor de si. Ele coloca vendas nos olhos do jogador que deve carregar outro jogador nas costas, e diz que faz isso para que ele não desista. Enquanto isso os colegas de time riem e duvidam que ele vá conseguir atingir a meta, porém, o jogador vai além da meta estipulado pelo treinador e consegue atravessar todo o campo com o colega nas costas. E os colegas ficam fascinados com isso.

Com essa cena eu pude ver o quanto as vezes é necessário uma venda diante dos nossos olhos para que possamos acreditar no quanto somos capaz. É preciso muitas vezes passar pela dor para crescer e acreditar o quanto podemos. Com esse trecho, aprendi que precisamos mais confiar em nós mesmo e que a perseverança é uma grande aliada dos que alcançam seus objetivos.

Alex Kendrick interpreta Grant Taylor

A partir deste pensamento tudo que era impossível começa a se realizar, e o treinador Grant e seu time chegam as semifinais do campeonato colegial e se ganharem o jogo podem chegar a final do estadual. Eles perdem o jogo, mas como por um milagre o time adversário é desclassificado por estarem irregulares, e o Eagles vai avança mais um jogo. Conseguem ganhar e vão para a grande final com o melhor time na sua categoria. Melhor que eles, maior que eles, mais forte que eles e mais preparado que eles. Eles não teriam chance alguma, certo?

Eles nem acreditam que estão no jogo mais importante de futebol colegial e contra os Gigantes da categoria. Taylor não deixa ninguém desanimar, e faz com que todos acreditem que é possível vencer, e que apesar de serem mais fracos podem ser mais inteligentes. O jogo começa fácil para os Gigantes, mas logo o time do treinador Grant começa a marcar, os Eagles seguram os ataques dos Giants e marcam no último segundo do jogo. Eles viram o jogo, ganham e provam que o impossível não existe quando se acredita, e que nada é impossível para Deus.

Mesmo quando tudo parece não fazer sentido, mesmo quando não tiver mais forças físicas e psicológicas, a decisão mais sábia que podemos tomar é a de continuar ouvindo as palavras encorajadoras dAquele que conhece o nosso verdadeiro potencial e que nos convidou a darmos o primeiro passo, o nosso Deus. Ainda que abandonados por todos no meio do percurso… nosso Treinador não desiste de nós, Ele continua andando ao nosso lado e dizendo “vamos, só mais um pouco, eu sei que você pode”.

Desafiando Gigantes apesar de ser um filme religioso, considero ele destinado a todos os públicos, pois se trata de fé. E a fé é uma competência fundamental para todos. Tanto na vida pessoal, como na profissional. Sendo que o filme é muito indicado no meio empreendedor. Acreditar no que se faz e no que se quer é importante para se obter bons resultados. A trilha sonora ainda traz Bebo Norman, Third Day, Casting Crowns, Ana Laura e outros, é um primor também. Recomendo o filme a todos. Está disponível na Netflix Brasil.