O Planeta Alternativo: Um pouco disso, um pouco daquilo – e muita música!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Meus Discos #02: CD “Opposite Way” Leeland

12/17/2018 10:58:00 AM 0
Meus Discos #02: CD “Opposite Way” Leeland
Ei! Hoje no #MeusDiscos gostaria de falar sobre o CD ''Opposite Way'' e também apresentar a banda Leeland para meus leitores. 

Leeland começou em 2000 e neste CD que foi o 2° logo álbum da banda lançado, fez muito sucesso com suas canções. Artistas colaboraram no crescimento desta banda como Michael W. Smith que amou a banda (e que colaborou pesadamente com o vocalista Leeland Mooring, e também é o sogro do tecladista Jack Mooring).

Capa do álbum Opposite Way do Leeland

Na época idade dos meninos variavam de 19 a 24 anos e em menos de 2 anos conseguiram muitos prêmios e reconhecimento no mercado fonográfico cristão. Leeland já parece ter crescido e está mais maduro e polido no seguimento deles com "Opposite Way" (Traduzido para "Caminho Oposto"). As composições do trabalho surgiram em parceria com outros músicos experientes trazendo um som velho com cara jovem ao pop que nos trazem, Leeland Mooring continua impressionando como vocalista.

Leeland descreveu este álbum voltado mais pra mensagens que orientam pessoas do que em adoração poderosa. "Opposite Way" é uma chamada a viver diferenciadamente deste mundo.

Músicas do CD

#01 Count Me In

A abertura fica por conta da explosiva "Count Me In", é uma aventura nova usada por Leeland, as guitarras acústicas e o som energizante, junto com uma letra bem espiritual, soa como se estivesse sendo executada ao vivo, trazendo uma mensagem sobre a busca pela vontade de Deus e uma avaliação de tudo o que Ele tem feito por nós.



#02 Let It Out Now

Em "Let It Out Now" vem com sua declaração de fé: "Eu estou desenhando a linha entre ser eles ou não ser eu/ Eu estou envergonhado de ser chamado de Seu, Deus", a abertura bem chamativa com o som do piano, alguns riffs de guitarra, a levada bem diferente, curti muito.


#03 Enter This Temple

Não há nada totalmente tão forte quanto esse álbum do grupo, entretanto a balada "Enter This Temple" vem íntima, uma oração curta e simples a Deus para que Ele transforme as nossas vidas, e uma busca pela presença dEle, e é o melhor exemplo que Leeland trouxe de adoração para expressar com letras acessíveis e uma boa melodia. Já vem na pegada mais adoração, curti muito a segunda voz que foi colocada na canção, a ponte é muito boa.


#04 Opposite Way

"Opposite Way" é a canção que dá nome ao álbum, com o violão ao fundo bem presente, a guitarra acústica vem marcando algumas frases, Leeland interpreta muito bem a canção, melodia excelente. A letra impactante "E parece que você está fechado em uma gaiola, E precisa encontrar uma maneira de escapar, Quando todos ajustam o ritmo está certo fugir por um caminho diferente".

#05 Wake Up

Após um período de canções mais lentas, "Wake Up" já vem mais agitada, as guitarras mais presentes, a bateria vem com tudo, esta mostra amor pelo mundo.

#06 Beginning and the End

Já "Beginning and the End" vem bem diferente de todas as canções que ouvimos e que ouviremos deste projeto, a guitarra vem mais no dedilhado, e o violão vem forte ao fundo marcando a melodia da canção, abrilhantou o trabalho. O coro diz: "Saindo das trevas para a luz, eu sei que dará tudo certo, aqui em Suas mãos, Eu nunca quis me perder tão longe, Só quero estar onde você está, aqui dentro do seu plano, e Você é o centro do Início e do fim." 


#07 Brighter Days

Já em "Brighter Days" vem no início com a voz de Leeland mais aguda, isso mostra que sua extensão vocal é muito boa, e alcançando alguns graves intensos, a canção é uma balada progressiva, os vocais ao fundo muito bom também. A letra comenta que estamos buscando por dias brilhantes, do dia em que as feridas irão desaparecer, ela fala muito sobre o dia tão esperado em que as coisas irão mudar, a idéia da canção é ótima.


#08 Falling for You

"Falling for You" ou "Voltando para Ti" segue a linha do CD sem muitas diferenças no instrumental, lembra bem o pop/ rock congregacional do Hillsong. 

#09 Don't Go Away

"Don't Go Away" captura a excitação de um coração recentemente mudado que queima por Jesus depois de uma experiência de mudança: "Primeiro vem salvação, então vem começos de obsessão, Fogo com uma luz brilhante que me consome". A levada não poderia ser outra senão um agito para dar alegria à mensagem forte.

#10 Thief in the Night

"Thief in the Night" usando uma letra bem fim dos tempos em um contexto de adoração. Mudando bem e completamente de assunto, o CD que foi produzido pelo produtor Matt Bronleewe (Michael W. Smith, Natalie Imbruglia) conduz os meninos de Leeland sempre por cima com canções criativas como esta.


#11 May Our Praise

A próxima que chega anuncia o finale do CD, a vez de "May Our Praise" que tem boas pitadas de um bom pop e traz o som dos riffs de piano mesclado à letra da canção, saiu uma poderosa combinação e finalizou o CD com muita qualidade para quem ouvir. Parabéns mais uma vez Leeland.


-

Ótimas canções e carregadas de mensagens que precisamos para nosso dia a dia. Ouvir Leeland é glorificante, pois além da melodia, suas canções conseguem passar uma calmaria e ao mesmo tempo agitação para continuar a caminhada. Se você curtiu, aproveite que tem mais no Spotify. Até a próxima.

sábado, 15 de dezembro de 2018

Old Is Cool #27: Guardian - I'll Never Leave You

12/15/2018 08:26:00 AM 2
Old Is Cool #27: Guardian - I'll Never Leave You
Sabadão com Old is Cool será ao som da banda Guardian com ''I'll Never Leave You'' que eu gosto muito. Além do ritmo que é contagiante e uma letra carregada de uma mensagem. Vamos lá!

Guardian

Guardian é uma banda de hard rock cristã contemporânea, formada originalmente nos anos 80. A banda foi fundada em 1982 pelo baixista David Bach e pelo cantor Paul Cawley. Eles somaram-se ao baterista Rikk Hart e ao guitarrista James Isham. A banda é caracterizada por um som de metal melódico no mesmo estilo de bandas como Stryper ou Van Halen.

A canção "I'll Never Leave You" faz parte do álbum de estreia First Watch que foi lançado em 1989. Este é o único álbum (não contando com os lançamentos independentes) que conta com os fundadores Paul Cawley (vocal) e Rikk Hart (bateria). Ambos saíram da banda no final de uma turnê de promoção do disco. Ouça!



Curtiram o som? Aumenta aí! Bem, vou nessa, até o próximo Old is Cool!

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Na Minha Playlist #194: Jeff Buckley - Last Goodbye

12/14/2018 08:39:00 AM 1
Na Minha Playlist #194: Jeff Buckley - Last Goodbye
Ei amigos! Tudo bem? Chegamos ao #194 do #NaMinhaPlaylist, agora em contagem regressiva! Bom, dessa vez trouxe a canção ''Last Goodbye'' do Jeff Buckley que mais uma vez volta ao blog. Curto muito essa canção, a voz dele traz uma calmaria grande!

NA MINHA PLAYLIST DE #194 É: ''LAST GOODBYE'' DO JEFF BUCKLEY

Jeff Buckley

Jeff Buckley
foi um cantor, compositor e guitarrista norte-americano. Conhecido por seus dotes vocais, Buckley foi considerado pelos críticos umas das mais promissoras revelações musicais de sua época. 

A canção “Last Goodbye” faz parte do álbum “Grace” sendo o primeiro e único álbum de estúdio oficial e completo de Jeff, lançado em 23 de Agosto de 1994, produzido por Andy Wallace. O disco teve grande repercussão tanto no meio artístico quanto na mídia especializada. É uma obra repleta de canções dedicadas à saudade; fala de perda e da nossa falta de habilidade para lidar com limitações e dificuldades.

O álbum influenciou grandes nomes da década de 90 e da atualidade como Radiohead, Muse, Coldplay, Travis, Jamie Cullum, entre outros.

Jeff Buckley faleceu em 1997, aos 30 anos de idade, vítima de um afogamento acidental. Seu trabalho e seu estilo único continuam sendo admirados por fãs, artistas e músicos no mundo todo.


Fiquem ligados nos próximos posts #NaMinhaPlaylist. Até mais!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Meus Discos #01: CD Across the Sky

12/13/2018 07:40:00 AM 2
Meus Discos #01: CD Across the Sky
Ei! Tenho alguns discos de bandas e trilha sonoras que comecei a colecionar há alguns anos, então aproveitando isso começo uma nova categoria aqui no blog, uma análise desses discos, um olhar mais profundo sobre canções e qualidade musical. Começo com uma das bandas que ouvi muito quando era mais novo: Across the Sky, que também já compartilhei algumas canções deles em #NaMinhaPlaylist. Infelizmente teve apenas um disco lançado, disco que até hoje ou muito. Então vem comigo!

O CD “Across The Sky” foi o primeiro de Ben Kolarcik e Justin Unger, integrantes do Across The Sky, que fez o maior sucesso. Contratada pela Word Record, a dupla foi responsável pela assinatura das 12 faixas contidas no álbum. A produção, para surpresa dos fãs, ficou por conta de Tony Palacios, ex-guitarrista da extinta banda cristã Guardian, ícone das décadas de 80 e 90.

Para desenvolver este álbum, os meninos com 21 anos na época misturaram todas as influências que receberam. Ben Kolarcik sempre gostou de um som mais rock. Justin Unger, das baladas. O resultado foi um disco com tudo o que há de mais moderno de Michael W. Smith e Steven Curtis Chapman. Ou seja: puro pop!

No Brasil, o Across The Sky tornou-se conhecido com “Give It All Away”, que fez parte da trilha sonora da novela da Rede Globo “Mulheres Apaixonadas”. Esta música mostra que devemos nos desvencilhar das coisas deste mundo e vivermos os propósitos de Deus. Devido a mensagens como esta, na época, o talento da dupla foi comparado com os de Cindy Morgan, Scott Krippayne e Mathew Gerrard, notáveis personagens da música cristã contemporânea.

Ben e Justin se conheceram em 2000. Mas foi em 2002 que firmaram sua amizade, quando se reencontraram nos corredores da gravadora onde tentavam carreira solo. Os jovens ouviram a orientação do Senhor e rapidamente abandonaram seus projetos para se tornarem o Across The Sky.

Neste CD a dupla reuniu grandes compositores como Cindy Morgan, Scott Krippayne, Matthew Gerrard, Jeff Borders, Kyle Matthews e Tony Wood. "Nossas canções estão cheias de esperança e fidelidade. Todo o mundo pode se relacionar pelo menos com uma delas. Nós estamos falando sobre a vida."

"Nós temos uma visão de fazer a diferença no mundo. Nosso desejo é compartilhar os nossos corações e fazer uma música excelente para alcançar as massas, isto é para a igreja ou fora da igreja", diz o Ben. "Não importa se nós estivermos em Jay Leno ou falando em estações de Rádio Cristã nos programas matutinos nós seremos fiéis e declararemos a Verdade".

Across the Sky

Músicas do CD:

#01 Found By You 
(Letra e Música: Matthew Gerrard/ Ben Kolarcik/ Justin Unger)


À primeira vista o pop/rock lustroso que soa desde o início pode atrair alguns, mas as canções são insípidas e cheias de profundidade. "Encontrado por Você" é sobre dependência e confiança em Deus. A estrofe da canção começa bem suave ao som do pop/ rock bem suave, depois no coro ganha um peso formidável, gostei muito desta canção de abertura. A sonoridade da dupla é maravilhosa.

#02 Give It All Away 
(Letra e Música: Jim Cooper/ Ben Kolarcik/ Kenny Lamb)

"Dê Tudo", nos fala sobre a paz e a segurança que só podem vir depois de pormos todo o nosso foco em Deus: "Pedaços de mim estão em desordem/ E eles só são unidos com as linhas que eu teço/ Dentro da minha cabeça Mas quando eu me separo de todas as dificuldades deste mundo/ Eu vejo meus cuidados e medos e preocupações desaparecerem." A introdução ao som do driver na guitarra, que marca sozinha o compasso, depois ganha os instrumentos como a bateria e os demais.

#03 Everywhere She Goes
(Letra e Música: Jess Cates/ Randy Jackson/ Rick Jackson)

Essa é uma balada bem gostosa de ouvir, traz alguns efeitos na guitarra. Fala de uma mulher que anda por ali, por aí, onde ele deseja esta com ela, mas ela está fazendo um jogo, não dando bola. Não entendi muito o porque desta música no CD, acho que foi pra atingir mais público, mas a sonoridade é muito boa. É uma das mais executadas da banda no Spotify.

#04 When I Open My Eyes
(Letra e Música: Jeremy Bose/ Ben Kolarcik/ Justin Unger)


Em uma canção sobre a presença infalível de Deus, "Quando eu Abro Meus Olhos" lembra o som precisamente como do The Rembrandts na harmonia deles e o som de pop/rock genérico que era a marca deles. Começa ao som do piano. A melodia é bem contagiante. Eu mesmo viajo nela. Os arranjos vocais nesta música gostei muito.

#05 Broken World
(Letra e Música: Scott Krippayne/ Justin Unger/ Tony Wood)


Across The Sky também obteve ajuda de compositores de grande renome no meio artístico. "Mundo quebrado" foi co-escrito com Scott Krippayne, e você pode ouvir falar sobre a influência dele nesta balada com piano onde diz que Cristo é nossa âncora: "Você faz o sentido da loucura/ Faça a escuridão fugir/ Traz a calma ao caos que há em mim." Ao som do piano esta também se inicia. A canção ganhou um videoclipe.

#06 Shooting Star
(Letra e Música: Jason Ingram/ Justin Unger)

Esta pra colocar todo mundo de pé "Estrela Cadente", uma balada co-escrita por Justin e Jason Ingram que refletem uma experiência pessoal à fidelidade de Deus. "Todo o mundo comete erros, mas não importa o quão longe e distante você esteja, Deus está pronto pra te receber assim que você estiver pronto pra retornar a casa dEle", diz Justin, a fidelidade de Deus é um tema que eles usaram bastante neste CD. Jason Ingram ajuda em "Estrela Cadente", uma canção de humildade e perdão dirigida pela imagem do filho pródigo e o amor do pai por ele. Ao som do violão e os efeitos no teclado pra dar a sustentação na canção.

#07 Exciting Times 
(Letra e Música: Peter Kipley/ Ben Kolarcik/ Justin Unger)

Para dois sujeitos com pouco mais de vinte anos o entusiasmo deles transpassa nas veias e chega até nós com canções maravilhosas como esta. "Vendo o caminho deles antes, Ben e Justin acham excitação no desafio que a eles chegam. "Nós temos muito que fazer, mas nós temos que dizer tudo que vier. Nós estamos entusiasmados porque nós temos uma mensagem perpétua para compartilhar com as pessoas", Ben diz. "Então você vê a extensão do mundo hoje, e as pessoas estão amedrontadas com a guerra, a economia. "Tempo Excitante" foi escrita por causa de uma mensagem que a igreja precisava ouvir, mas agora também para todo o mundo ouvir, pois reflete bem o que estamos vivendo hoje". Um som de rock na guitarra semelhante é ouvido em "Tempo Excitante", produzido por Pete Kipley (MercyMe, Kristy Starling) em um estilo que se assemelha a Shaun Groves ou Sonicflood.

#08 Masquerade
(Letra e Música: S. L. Brown/ Chuck Butler/ Justin Unger)


O mais "intenso" deste álbum é "Mascarada", sobre Satanás e o modo que ele tenta nos enganar a seguir Deus. Um pop/ rock com rifs de guitarra no início e durante a estrofe também. Com bastante efeitos, uma música bem interessante. E carregada de uma mensagem.

#09 Persistence
(Letra e Música: Jim Cooper/ Kenny Lamb/ Justin Unger)

Começa ao som do violão, e de fundo alguns efeitos na guitarra. Fala persistência que Deus tem pra conosco, onde ele sempre está perto de nós. É um pop/ rock não tão agitado como nas canções anteriores. Esta é mais reflexiva, pesada mas é mais suave.

#10 First Love Song
(Letra e Música: Jeremy Bose/ Cindy Morgan/ Justin Unger)

"Primeira Canção de amor" foi co-escrita com Cindy Morgan como uma carta de amor simples para Cristo em agradecimento pela morte dele na cruz em nosso lugar. Como os outros compositores, porém, a presença de Cindy é diminuída por demais nesta composição onde ela compôs apenas o coro. Com alguns arranjos na guitarra, e o violão aparece mais nesta canção. No coro ganha o som do driver na guitarra.

#11 Do You Dream Of Me?
(Letra e Música: Michael W. Smith/ Beverly Darnall/ Amy Grant)


Nesta canção temos uma regravação deslumbrante de Michael W. Smith "Você Sonha comigo?". Esta versão vai se mostrar uma grande balada. Com a introdução ao som do piano, pra quem a conhece sabe que ela é suave e lenta. Eu mesmo gostei muito da versão que eles fizeram. Ficou com uma cara de mais contemporânea, apesar de eles terem preservado bastante os arranjos da canção. Com alguns arranjos de cordas e um back feminino no final da canção.

#12 Not So You Will Love Me
(Letra e Música: Jeff Borders/ Ben Kolarcik/ Kyle Matthews)

Kyle Matthews co-escreveu essa canção que é voltada para o pop/rock, mas bem simples com bateria eletrônica, não foi acrescentado muito arranjo nesta canção, acho que com o som que eles trouxeram ao longo do CD, nesta canção faltou um peso na estrofe inicial, quando entra no coro, já o som fica mais carregado, mas as estrofes, achei bem fraco, "Você não deixará de me amar" que nos faz lembrar que nós fazemos bons trabalhos não que com isso vamos ganhar o amor de Cristo, mas porque ele nos ama.

-

Bom, este foi o primeiro e único disco da banda. Depois eles foram fazer carreira solo. Acho que um dos fatores para o fim do grupo foi o fato de que ambos tinham estilos diferentes, Ben tinha um ritmo mais acelerado igual ao rock, Justin um estilo mais calmo.

Seja como for, a expectativa da dupla Across the Sky foi que este CD fizesse diferença dentro e fora da igreja, e que a mensagem do Evangelho alcançasse muitas pessoas. Conseguiram. Até a próxima!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

10 Músicas Para Conhecer a Banda Casting Crowns

12/12/2018 09:13:00 AM 0
10 Músicas Para Conhecer a Banda Casting Crowns
A maioria dos grupos de jovens de igreja evangélica possui pelo menos uma banda. No começo, rolam as reuniões, os ensaios, as versões de músicas nacionais e internacionais, até que os estilos são definidos e surgem as composições. Com as ideias, nascem os sonhos de gravar um CD, até mesmo um vídeoclipe e de tocar em eventos grandes como a Marcha Para Jesus e festivais de música cristã.

É claro que nem tudo é um mar de rosas, principalmente porque o mercado é restrito em relação à música cristã. Para uma banda alcançar um certo destaque, são necessários investimentos, muito trabalho e a aprovação do público.

No meio dessa longa e incerta jornada muitos desistem e desanimam. Mas caro internauta, se você precisa conhecer um caso que deu certo para ter como inspiração, O Planeta Alternativo vai te apresentar. Já ouviu falar da banda Casting Crowns?

Casting Crowns
Você pode até não conhecer, mas se ouvir alguma das canções pode achar bem familiar. Acontece que diversos artistas da música cristã brasileira já fizeram regravações de canções de sucesso da banda. 

1. Voice of Truth


O Casting Crowns começou em 2001 no ministério de jovens de uma igreja. A banda foi formada pelo pastor Mark Hall, que além de vocalista é compositor. O grupo de soft rock começou de forma independente, sem nenhum tipo de ambição.

Como dizem: "Tudo que começa com o  certo dá certo", maior confirmação que eles poderiam receber de Deus para continuar o projeto musical foi a cura de Mark Hall. O pastor da banda sofria de dislexia (distúrbio de memória que impacta a aprendizagem na área da leitura, escrita e soletração) desde a infância.  

2. If We Are the Body


Como uma extensão da igreja e com muitas experiências pessoais com Deus, o Casting Crowns realizava apresentações em Atlanta com o intuito de evangelizar jovens universitários até serem descobertos pela lenda da música cristã contemporânea, Steven Curtis Chapman.

3. Lifesong


Em 2003, a banda assinou se primeiro contrato e gravou o segundo álbum. O CD intitulado de “Casting Crowns” foi um grande sucesso, principalmente por causa das músicas If We Are the Body, Who Am I e Voice of Truth, que conta como Mark Hall superou a dislexia.  Na voz grave e aveludada de Hall, letras de adoração e pianos, sintetizadores e guitarras, com o lançamento do álbum homônimo se firmaram como um dos maiores nomes da cena gospel.

4. Who I Am


Em pouco tempo de formação, a banda atingiu o primeiro lugar na categoria "Top Christian Albums" da Billboard, uma das revistas de música norte americanas mais conceituadas.

5. What If His People Prayed


Com anos de estrada, o Casting Crows possui mais de 10 Álbuns gravados e carrega um histórico de premiações, incluindo um Grammy de Melhor Álbum Gospel Contemporâneo para o “Lifesong”, mais de 20 estatuetas do Gospel Music Awards (GMA), dezenas de Dove Awards e mais de três milhões de álbuns vendidos.

6. Glory


O nome ''Casting Crowns'' foi escolhido por causa do versículo 10 de Apocalipse 4: “os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, adoravam o que vive para todo o sempre e lançavam suas coroas diante do trono” 

7. Already There


A canção ''Already There'' traz um som pop e envolvente com cordas mais no ataque e o piano brilha de forma excepcional nesta canção. Uma canção que foi feita para os tempos incertos em que vivemos, somos lembrados de que Deus vê o fim desde o começo.

8. Praise You in This Storm


“Praise You in This Storm” nos passa uma mensagem de segurança e firmeza mesmo em meio à tempestade. Mais uma vez, Casting Crowns consegue “casar” melodia e letra em uma junção musical incomparável.

9. Stained Glass Masquerade


“Stained Glass Masquerade” trata da superficialidade do ser humano pós-moderno, que finge estar feliz em meio a todo o aparato falso e artificial de seu cotidiano. A falsidade dentro e fora da igreja é denunciada sem piedade nessa faixa. 

10. Set Me Free



Já a canção “Set Me Free” é um forte clamor de libertação. Possui uma pegada forte no coro, com uma potência excepcional na distorção da guitarra. Muito marcante. As melodias e arranjos instrumentais apresentados na verdade é só uma ponta pra que as mensagens poderosas de Casting Crowns possam ser passadas para aqueles que curtem o que a banda traz. 

-

Enfim, Casting Crowns sempre se supera a cada canção e um dos motivos principais disto, é o seu exemplo de humildade e compromisso para com Deus e o corpo de Cristo. Seu trabalho com jovens tem gerado diversos frutos não só nos Estados Unidos, mas alcançando também todos os lugares aonde suas canções são levadas. 

Suas músicas se adaptam ao dia-a-dia do cristão atual e tenta resgatar, mesmo em meio a tantas “ideologias”, o verdadeiro evangelho tão esquecido e negligenciado pelas “igrejas da moda” e pela geração “Fast-Food”.